Início » Brasil » Hacker que invadiu tribunal e tentou desviar R$ 800 mil é denunciado em SP

Hacker que invadiu tribunal e tentou desviar R$ 800 mil é denunciado em SP

Acusado roubava senhas de usuários do PJe para alterar documentos públicos visando benefício próprio; comparsa está em prisão preventiva

Ana Marques Por

Um hacker acusado de invadir o sistema do Tribunal Regional Federal da 3ª Região foi denunciado na 7ª Vara Criminal Federal de São Paulo por invasão de dispositivo informático e falsificação de documento público. O homem teria tentado desviar quase R$ 800 mil por meio de alterações em minutas, com a inclusão do nome de um comparsa para o recebimento do dinheiro, além de modificar pedidos de procuradores em processos contra ele próprio.

Hacker

Hacker que invadiu sistema de tribunais é denunciado em SP (Imagem: freestocks/Unsplash)

Ao acessar indevidamente o sistema do tribunal nos meses de janeiro e fevereiro, o hacker teria cometido o crime previsto no artigo 154-A, caput, do Código Penal: “Invadir dispositivo informático de uso alheio, conectado ou não à rede de computadores, com o fim de obter, adulterar ou destruir dados ou informações sem autorização expressa ou tácita do usuário do dispositivo ou de instalar vulnerabilidades para obter vantagem ilícita.” Ele também é denunciado por falsificar documento público (artigo 297, caput, do CP) por oito vezes.

Hacker roubava senha de usuários do PJe

Um processo na 22ª Vara Cível Federal de São Paulo indica que o hacker fraudou uma minuta para que o juiz federal dos autos assinasse uma transferência de R$ 225.914 para uma conta bancária criada no nome de seu comparsa. A suspeita foi levantada depois que a diretora de secretaria que supostamente teria sido responsável pela movimentação do dinheiro negou ter alterado o documento.

Um caso semelhante foi processado na 12ª Vara Cível Federal de São Paulo, também usando o nome do comparsa, mas com uma quantia maior: R$ 600 mil.

Segundo o TRF-3, o acusado utilizava um e-mail para recuperar senhas de diversos usuários do PJe, o que possibilitava o acesso ao sistema e a alteração de documentos. Após a identificação do e-mail e da quebra de sigilo do acusado, a Polícia Federal descobriu mais seis modificações de processos criminais federais dos quais ele próprio era alvo, com o objetivo de conseguir absolvição.

“Em todas as apelações criminais alteradas foi observado que os procuradores se manifestaram pelo desprovimento do recurso do acusado, mas os pareceres teriam sido modificados por ele para solicitar o provimento dos recursos defensivos”, explica a reportagem do Conjur.

As prisões preventivas do hacker e seu comparsa foram decretadas, e uma audiência está marcada para os dias 9 e 10 de setembro de 2021. Apesar de o cúmplice ter sido preso, o hacker continua foragido.

Com informações: Conjur.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
1 usuário participando