Início » Jogos » Steam Deck não roda PUBG, Apex Legends, R6 e Destiny por enquanto

Steam Deck não roda PUBG, Apex Legends, R6 e Destiny por enquanto

Proteções anti-cheat tornam alguns jogos incompatíveis com o SteamOS, o sistema operacional baseado em Linux do Steam Deck

Murilo Tunholi Por

O Steam Deck, novo PC portátil poderoso da Valve que roda jogos do Steam, não roda alguns dos títulos mais populares da plataforma em seu estado atual. Games como PlayerUnknown’s Battlegrounds (PUBG), Apex Legends, Rainbow Six Siege e Destiny 2 são incompatíveis com o SteamOS. No anúncio do dispositivo, a Valve disse que vai liberar uma nova versão do sistema operacional até o lançamento, em dezembro deste ano.

Steam Deck (Imagem: Divulgação/Valve)

Steam Deck (Imagem: Divulgação/Valve)

Por ser baseado em Linux, o SteamOS não é compatível com todos os aplicativos que rodam no Windows. Para driblar esse problema, a Valve desenvolveu uma ferramenta chamada Proton, que permite executar programas nativos do sistema da Microsoft em uma espécie de modo de compatibilidade. Mesmo assim, nem todos os games do Steam funcionam no Linux.

Até o momento, quatro dos 10 jogos mais populares do Steam não rodam no Steam Deck: PUBG, Apex Legends, Rainbow Six Siege e Destiny 2. Segundo o ProtonDB — que indica se um jogo funciona no Linux com o Proton —, há ainda outros títulos incompatíveis com o SteamOS, como Dead by Daylight, DayZ, SMITE, Black Desert Online, Paladins e Fall Guys.

Além desses games, existem também outros jogos do Steam que até rodam no Steam Deck, mas contam com alguns bugs. Entre eles estão GTA 5, Football Manager 2021, Path of Exile, Warframe, Monster Hunter: World, Among Us, Nioh 2, The Elder Scrolls Online, Final Fantasy 14, Red Dead Redemption 2, entre outros.

Jogos são incompatíveis devido às proteções anti-cheat

De acordo com a própria Valve, os culpados pelos problemas na otimização do Proton são os softwares anti-cheat, que veem a ferramenta como um possível programa ilegal de trapaças. Na maior parte dos casos, os games chegam a abrir no sistema, mas as proteções não deixam os jogadores acessarem modos multiplayer, por exemplo.

A Valve prometeu lançar o Steam Deck com uma nova versão do SteamOS e ainda afirmou estar “aprimorando a compatibilidade do Proton com jogos e dando mais suporte para soluções antitrapaça em parceria direta com os fornecedores dos softwares”.

Em outras palavras, quem deve se preocupar em consertar os games é a própria Valve e as empresas criadores das proteções antitrapaça. Enquanto isso, resta às desenvolvedoras dos títulos aguardarem por uma solução.

Com informações: PC Gamer, GameSpot.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
9 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

André (@andre00)

Essa matéria é um belo de um click bait. É só instalar o Windows que esses jogos rodam sem problemas.

Igor (@igor_meloil)

Claramente não sabe o q é clickbait

O steam deck roda esses jogos NATIVAMENTE? Não, então ele não roda os jogos.

Se tem bypass é outra questão

Fábio Emilio Costa (@Fabio_Emilio_Costa)

Vamos lá

A ideia é que muitas coisas em rodam bem no Linux com Proton: só em um exemplo, Cuphead roda liso no meu Notebook.

Agora, o maior problema é que esses anticheat demandam certas coisas que o Linux não pode liberar por questão de segurança, em especial no caso de comandos que precisam executar em Ring 0 (ou seja, com todas as possibilidades no nível do processador) como usuário comum. Aí A culpa são das empresas de anticheat.

André (@andre00)

Claramente você não sabe o que é clickbait. Steam deck é um PC. Instalar Windows não é como fazer jailbreak em um iPhone/root no Android. Você simplesmente pega e instala o sistema.

O correto seria dizer que o SteamOS (Linux) não roda PUBG, Apex Legends, R6 e Destiny, pois a solução anticheat não é compatível com o Proton. O título da matéria dá a entender que o Steam Deck não é compatível.

Leonardo Costa Porto dos Santos (@Leonardo_Porto)

É uma visão diferente as discussões de clickbait dessa matéria. Mas vc colega, compra um Iphone pensado em instalar Windows Phone nele? Compra um Galaxy S21 e reclama da vida porque não pode instalar BlackBerry OS nele?
Obviamente o SteamOS foi polido pro hardware, tem software ali pra facilitar a jogatina móvel, telas pra facilitar stream, uma versão da Steam otimizada pros controles. É de bom tom que a Valve tivesse ido conversar com as empresas pra portar os seus jogos e aparentemente não o fez. Tentou sozinha usar uma solução “emulada”.
Pode instalar o Windows e resolver todos os problemas? Pode, mas você amigo que entende como fazer isso, ponha a mão no coração e se pergunte quantas pessoas ao seu redor não sabem fazer isso. Quantas pessoas vem te procurar pra “formatar” o PC delas.
As pessoas simplesmente querem tirar o produto da caixa e que funcione, não querem ficar fuçando configurações, instalando coisas pra fazer o que o produto se propõe a fazer.
Na minha opinião é pisada de bola da Valve, deveria ter negociado que uns AAA da vida fossem portados pro SteamOS para rodar nativamente

teo venier (@teo_venier)

Concordo com praticamente tudo oq vc falou, o steam deck não tem suporte pra esses jogos, instalar windows é gambiarra, o produto tem q funcionar assim q saiu da caixa sem precisar pagar por licença do Windows (q custa uma fortuna no Brasil)
Mas sobre o proton, a steam trabalha nele faz muitos anos, desde antes das steam machine! A questão é que se olhar o steam survey o windows domina mais o mercado q a Intel ou NVidia, então os desenvolvedores não tão nem aí pro Linux ou proton ou Wine, pra q gastar dinheiro nessa plataforma se não vai dar retorno exorbitante?
A Valve tenta fazer os devs olharem o Linux, até pq o Gabe já disse no passado q queria se livrar da dependência do Windows, mas é complicado sem injetar dinheiro como a NVidia faz pra ter RT e DLSS

Leonardo Costa Porto dos Santos (@Leonardo_Porto)

" pra q gastar dinheiro nessa plataforma se não vai dar retorno exorbitante?"
Agora é pura especulação e desejo pessoal: Eu quero crer que esses PC gamer portátil vão virar tendência. AYA Neo, Os GPD, Onexplayer, agora o SteamDeck.
Eu reconheço que pra chamar atenção sem injetar dinheiro, a solução da Valve terá que vender muito pras produtoras acharem viável, até porque o Deck é o único que está saindo com Linux