Início » Telecomunicações » Servidores da Cloudflare deixarão internet mais rápida em 32 cidades do Brasil

Servidores da Cloudflare deixarão internet mais rápida em 32 cidades do Brasil

Expansão da Cloudflare levará servidores de CDN para 15 estados brasileiros; confira a lista de cidades que receberão o serviço

Lucas Braga Por

O Cloudflare, serviço de distribuição de conteúdo, anunciou uma expansão do seus servidores que deve melhorar a qualidade da internet no Brasil. A empresa levará seu CDNs para mais de 25 cidades das regiões Norte, Nordeste, Sudeste, Centro-Oeste e Sul.

Foto por Michal Jarmoluk/Pixabay

Novos datacenters da Cloudflare devem melhorar qualidade da internet (Imagem: Michal Jarmoluk/Pixabay)

Um dos principais serviços do Cloudflare é a tecnologia de CDN, sigla para Content Delivery Network. A companhia espalha datacenters em diferentes locais do mundo para armazenar dados em cache de diversos sites – incluindo o Tecnoblog. Isso tudo permite um desempenho melhor em comparação com uma hospedagem convencional em um único servidor, uma vez que o conteúdo estará fisicamente mais perto do local de acesso dos usuários.

Cloudflare terá servidores em 15 estados brasileiros

Com a expansão, a Cloudflare chegará ainda mais perto da casa dos usuários. A empresa já possui servidores em Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Campinas (SP), Curitiba (PR), Fortaleza (CE) e Porto Alegre (RS), e irá ativar em breve a infraestrutura nas seguintes cidades:

  • Americana (SP)
  • Belém (PA)
  • Blumenau (SC)
  • Florianópolis (SC)
  • Goiânia (GO)
  • Itajaí (SC)
  • Joinville (SC)
  • Manaus (AM)
  • Salvador (BA)
  • São José do Rio Preto (SP)
  • São Paulo (SP)
  • Sorocaba (SP)

As adições não param por aí: o Cloudflare já planeja estar presente também nos seguintes municípios:

  • Campina Grande (PB)
  • Caxias do Sul (RS)
  • Cuiabá (MT)
  • Guarulhos (SP)
  • Lajeado (RS)
  • Londrina (PR)
  • Maringá (PR)
  • Mogi das Cruzes (SP)
  • Natal (RN)
  • Recife (PE)
  • Osasco (SP)
  • Santo André (SP)
  • São José dos Campos (SP)
  • Vitória (ES)
Mapa de presença de servidores da Cloudflare

Mapa de presença de servidores da Cloudflare (Imagem: Divulgação)

Expansão deve melhorar internet, diz Cloudflare

O Cloudflare afirma que essa foi uma das maiores expansões de servidores já feita pela empresa em um único país. A chegada dos novos pontos de tráfego foi possível por conta de uma parceria com uma grande (e não revelada) operadora brasileira de internet.

De qualquer forma, o Cloudflare afirma que os brasileiros terão melhorias significativas na experiência de acesso à internet: a empresa já identificou que em 25% do tráfego de dados houve queda na média da latência (ping) de 20 ms para menos de 10 ms.

Ativação de novos servidores já possibilitou queda no ping

Ativação de novos servidores já possibilitou queda no ping (Imagem: Divulgação/Cloudflare)

Além de fornecer serviços de CDN, a Cloudflare também tem um DNS público focado em privacidade – o 1.1.1.1 – e a VPN gratuita Warp.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
13 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Caio Garcia (@Caio_Garcia)

Legal, eu uso a vpn deles e nao tenho o que reclamar…além de ser bem baratinha…

Léo Barros (@leo_barros)

Farei um novo teste de latência. Tinha feito esse teste com o Google Public DNS e a OpenDNS.

Escolhi a OpenDNS

image1908×2361 341 KB

Douglas Knevitz (@Douglas_Knevitz)

Imagino que isso ajude a melhorar a performance do Private relay da Apple, já que usa a infra da Cloudflare em parte.

@ksio89

Esse DNS da CloudFlare vive fora do ar na Oi fibra. Até pouco tempo a latência ficava na casa dos 150ms, mas de uns dois meses pra cá baixou para “apenas” 50ms, contra 45ms do Google.

Felipe Ventura (@felipe)

Explicamos isso no texto:

Um dos principais serviços do Cloudflare é a tecnologia de CDN, sigla para Content Delivery Network . A companhia espalha datacenters em diferentes locais do mundo para armazenar dados em cache de diversos sites – incluindo o Tecnoblog . Isso tudo permite um desempenho melhor em comparação com uma hospedagem convencional em um único servidor, uma vez que o conteúdo estará fisicamente mais perto do local de acesso dos usuários.