Início » Finanças » Empresas deixam de investir em bitcoin devido à insegurança, diz pesquisa

Empresas deixam de investir em bitcoin devido à insegurança, diz pesquisa

Nova pesquisa entrevistou 100 empresas e gestores, identificando que 76% deles possuem preocupações com a segurança de se investir em criptomoedas

Bruno Ignacio Por

A Nickel Digital Asset Management, uma corretora de criptomoedas britânica, realizou uma interessante pesquisa com 100 investidores institucionais e gestores de patrimônios do mundo todo para avaliar o sentimento associado ao bitcoin (BTC) e outros ativos digitais. O resultado mostrou que 76% dos entrevistados demonstraram preocupação e desconfiança em relação a criptomoedas, citando a segurança da tecnologia e dos serviços como fator principal.

Empresas perdem confiança nas criptomoedas e deixam de investir (Imagem: Roy Buri/Pixabay)

Empresas perdem confiança nas criptomoedas e deixam de investir (Imagem: Roy Buri/Pixabay)

A pesquisa foi conduzida de maio a junho de 2021 e reúne entrevistados dos Estados Unidos, França, Alemanha, Emirados Árabes Unidos e Reino Unido, que possuem, em conjunto, US$ 275 bilhões em ativos sob gestão.

Segurança é principal obstáculo

O estudo descobriu que há uma baixa confiança em criptoativos por parte das empresas, com 76% dos entrevistados afirmando ter preocupações com a segurança da tecnologia e dos serviços de custódia de ativos digitais, como corretoras e fundos de investimento. Essa se tornou a principal razão para a queda no interesse de investidores institucionais por criptomoedas nos últimos meses.

Donos de exchange de criptomoedas da Africa do Sul desaparecem após suposto hack (Imagem: Marco Verch/Flickr)

Roubo de criptomoedas (Imagem: Marco Verch/Flickr)

Em noticiários do mundo todo é fácil encontrar golpes, fraudes e roubos relacionados a criptomoedas e a empresas que oferecem serviços correlatos. Em abril, Faruk Fatih Ozer, CEO da exchange turca Thodex, deixou o país após milhares de usuários terem suas contas bloqueadas, causando um prejuízo estimado em centenas de milhões de dólares.

Outro caso similar ocorreu em junho, na Africa do Sul. Os donos da corretora Africrypt desaparecem após um suposto hack nos sistemas da exchange, que perdeu cerca de US$ 3,6 bilhões em bitcoin. Porém, as autoridades acreditam que eles fugiram com os fundos roubados das vítimas.

Leis, volatilidade e percepção pública preocupam

Outro fator que influencia empresas a não investirem em criptomoedas são as crescentes restrições e proibições que vêm ocorrendo em diversos países do mundo. Os entrevistados acreditam que o ambiente regulatório é um obstáculo significativo. Outras preocupações importantes incluem a falta de transparência, volatilidade e a possibilidade de se manchar o nome da empresa ao anunciar investimentos em ativos digitais.

A própria Tesla, que foi uma das principais e mais importantes empresas a investir em bitcoin em janeiro e impulsionar todo o setor de criptomoedas, também sofreu críticas por entrar nesse mercado. Na época, muitas pessoas questionaram o posicionamento da empresa de carros elétricos, que defende o uso de energia limpa, ao comprar mais de US$ 1 bilhão de uma criptomoeda conhecida por causar um alto impacto ambiental.

O cofundador e CEO da Nickel Digital, Anatoly Crachilov, disse que as preocupações das empresas permanecem mesmo após a indústria observar grandes avanços em segurança nos últimos meses. Ele afirmou que os provedores de serviços cripto têm implementado cada vez mais soluções criptográficas sofisticadas, como chaves distribuídas e cofres de computação multi-partidários, enquanto as instituições financeiras tradicionais também estão migrando para esses serviços.

“Estamos vendo agora Fidelity, BNY Mellon e State Street entrando no mercado, reforçando ainda mais a infraestrutura do setor. Tudo isso aumenta os níveis de confiança em criptomoedas e leva a alocações cada vez maiores para esta classe de ativos em rápido desenvolvimento”, disse Crachilov.

Com informações: Cointelegraph

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
2 usuários participando