Início » Gadgets » DroneGun Tactical, bloqueador que “derruba” drones, é aprovado pela Anatel

DroneGun Tactical, bloqueador que “derruba” drones, é aprovado pela Anatel

DroneGun Tactical, da DroneShield, é uma "arma gigante" que dispara sinal que força drones a pousarem ou se afastarem

Emerson Alecrim Por

Na primeira olhada, o DroneGun Tactical parece uma arma oriunda de um filme de ficção. Mas o equipamento é real e tem um propósito muito específico: impedir a aproximação de drones. A solução já pode ser usada no Brasil. A Anatel homologou o DroneGun Tactical na última quinta-feira (22).

DroneGun Tactical (imagem: divulgação/DroneShield)

DroneGun Tactical (imagem: divulgação/DroneShield)

O uso do bloqueador exige algum treino, mas segue um princípio simples: aponte o DroneGun Tactical na direção de um drone que esteja realizando voo por perto e aperte o gatilho. Mas, em vez de um projétil, o dispositivo dispara sinais de radiofrequência que fazem o drone perder a comunicação com o controlador.

Nessas circunstâncias, é comum que o drone tente fazer um pouso seguro ou, se o sinal de GPS não for perdido — o DroneGun Tactical tem um recurso complementar que afeta esse componente —, volte para um local sobrevoado anteriormente, onde, em tese, a comunicação com o controlador pode ser recuperada.

De acordo com a fabricante, a australiana DroneShield, o equipamento consegue alcançar drones que estejam a mais de 1 quilômetro de distância, pode ser usado por até duas horas seguidas com uma única recarga e é capaz de afastar uma grande variedade de modelos.

Podemos pensar no bloqueador “derrubando” drones que fazem filmagens não autorizadas. Mas o DroneGun Tactical pode até controlar a carga útil da aeronave, característica útil para mitigar a ação de drones que liberam explosivos, por exemplo.

Homologação do DroneGun Tactical no Brasil

Não foi a DroneShield que solicitou a homologação do bloqueador pela Anatel, mas a brasileira Pirâmide Tecnologias que, em seu site, vende equipamentos de segurança pública, resgate, investigação e afins. Drones também fazem parte do catálogo da empresa, bem como dispositivos antidrone.

Não surpreende que a companhia tenha órgãos de segurança como clientes. A Pirâmide Tecnologias já forneceu designadores laser para a Polícia Federal do Rio de Janeiro por meio de pregão, por exemplo.

A DroneShield tem outros bloqueadores de drones, incluindo o relativamente compacto DroneGun MKIII, que lembra uma pistola. Não há, porém, dados sobre homologação desse e de outros dispositivos da marca no Brasil.

Colaborou: Everton Favretto.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
10 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Luis Carllos (@XxxStrangeManxxX)

Daqui uns dias esse DroneGun vai estar nas mãos do crime organizado.

Rafael Machado de Souza (@rafael.mds)

Aguardando as réplicas do Aliexpress…

Sérgio (@trovalds)

Interessante, não conhecia esse tipo de equipamento. Parece com um Pulso Eletromagnético (PEM) mas o que ele faz basicamente é apenas fazer um bloqueio de sinal.

O PEM no caso literalmente destrói qualquer tipo de componente eletroeletrônico que atinge.

Estranho Carioca (@MuitoChato)

Os traficantes aqui no Rio já usavam drones antes mesmo da polícia, o crime organizado sempre fica na vanguarda tecnológica.