Início » Celular » Samsung vai preencher ausência do Galaxy Note 21 levando S Pen a dobráveis

Samsung vai preencher ausência do Galaxy Note 21 levando S Pen a dobráveis

Celulares dobráveis da Samsung terão suporte à S Pen, diz executivo; nova geração da linha Galaxy Z deve chegar em agosto

Bruno Gall De Blasi Por

A Samsung não deve lançar um novo integrante à família Galaxy Note em 2021. No lugar, a fabricante sul-coreana pretende levar o suporte à S Pen aos próximos celulares dobráveis, que devem ser apresentados no mês que vem. É o que conta TM Roh, presidente da divisão de dispositivos móveis da marca, nesta segunda-feira (26).

Samsung Galaxy Z Fold 2 (Imagem: Paulo Higa/Tecnoblog)

Samsung Galaxy Z Fold 2 (Imagem: Paulo Higa/Tecnoblog)

A ausência de uma nova geração é esperada há algum tempo. Além dos rumores, em março, DJ Koh, co-CEO da marca e responsável por celulares e equipamentos de rede, avisou que um novo Galaxy Note só chegaria em 2022. “Pode ser um fardo revelar dois dispositivos emblemáticos em um ano, então pode ser difícil lançar um modelo Note no segundo semestre”, disse.

O artigo de ontem reverbera os comentários anteriores. Roh disse que, na próxima geração da linha Galaxy Z, os smartphones terão “surpresas dobráveis”, como “a primeira S Pen projetada especificamente” para dobráveis. “Em vez de revelar um novo Galaxy Note desta vez, iremos ampliar ainda mais os recursos do Note para mais dispositivos Samsung Galaxy”, explicou.

A publicação também reflete o posicionamento da Samsung em reação aos rumores sobre o fim da linha Galaxy Note dado em janeiro. Na época, a marca disse que estava “expandindo a experiência Note a todas as categorias de dispositivos”. A declaração veio a público depois que a empresa lançou o Galaxy S21 Ultra compatível com a S Pen.

Suposto Galaxy Fold 3 (Imagem: Reprodução/Evan Blass/Twitter)

Suposto Galaxy Fold 3 (Imagem: Reprodução/Evan Blass/Twitter)

Samsung deve revelar novos celulares dobráveis em agosto

A Samsung marcou um evento para 11 de agosto. Apresentada como Galaxy Unpacked, a conferência pode ser palco para os novos celulares dobráveis da marca sul-coreana. É o que aponta o convite, onde há diz-se que “mais do que nunca, há necessidade de dispositivos móveis flexíveis e versáteis que acompanhem o ritmo de nossas vidas”.

A expectativa é de que a fabricante revele o Samsung Galaxy Z Fold 3 na ocasião. O telefone dobrável deve trazer duas telas, sendo uma interna (flexível) e outra externa. O celular ainda pode ter um novo visual, sistema de câmera tripla, suporte à caneta S Pen e duas baterias que totalizam a capacidade nominal de 4.340 mAh, segundo a Anatel.

O Samsung Galaxy Z Flip 3 é outra aposta para o evento de agosto. O smartphone também deve ser anunciada com a aparência renovada, além de câmera dupla. Outra aposta fica pela bateria dupla, que, juntas, alcançam uma capacidade nominal de 3.203 mAh, de acordo com documentos da Anatel acessados pelo Tecnoblog.

A fabricante também deve apresentar os novos relógios da linha Galaxy Watch 4 com Wear OS e um novo fone de ouvido Bluetooth. O Samsung Galaxy S21 FE, por outro lado, tende a ser anunciado em agosto ou até outubro deste ano.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
7 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

André Gorgen (@Banana_Phone)

A caneta vai arranhar toda aquela tela de plástico.

Samsung, volta com a linha Note por favor.

Daniel R. Pinheiro (@DiFF7Skyns)

Eu realmente não entendo essa filosofia da Samsung.

A linha S sempre foi a top de linha e carro chefe da empresa. A linha Note surgiu para um público de nicho, com tudo o que a S tinha, porém muito maior e mais potente. Pode perceber que, no início, a linha Note era muito mais parruda que a linha S. Como exemplo, temos o Galaxy Note, lançado em 2011, que tinha especificações bem semelhantes ao Galaxy S3 que só foi lançado no ano seguinte.

Com o tempo, essa diferença diminuiu, e até recursos de software que eram exclusivos da linha Note passaram a ser inclusos na linha S. Mas o grande trunfo da linha Note era mesmo a S Pen. E eu realmente não entendi o porque adotar a S pen na linha S, a começar por esse ano. E de uma maneira bem capada: tem que comprar a caneta (sem Bluetooth) e a capinha à parte, o que nem de longe faz o aparelho ser semelhante a um Galaxy Note.

Hoje nós temos outro produto de nicho, os dobráveis. Eles podem até ter configurações semelhantes, em hardware e software, que a linha S, mas o chamariz é o estilo diferente do aparelho. O Flip é pra aqueles entusiastas, que querem algo diferente e/ou nostálgico. O Fold para aqueles que se interessam pela ideia de ter um “smartphone que vira tablet”. Mas a linha Note continua tendo seu nicho. Tem gente que não quer ou não gosta do Flip nem do Fold, quer apenas um smartphone com a caneta (e o slot, sem aquela gambiarra do Galaxy S21 Ultra).

Então por que não manter as três linhas? Linha S, linha Note e dobráveis. Cada uma tem o seu público. Eu, por exemplo, tenho que opção se a linha Note acabar? Comprar um dobrável (que não to nem um pouco a fim, e tem nada a ver com meu estilo de uso), ou partir pra linha S, além da caneta e capinhas por fora, e ficar aquela monstruosidade?