Início » Celular » bPhone 2, 3 e 4 são celulares da Brasiltec com preço a partir de R$ 800

bPhone 2, 3 e 4 são celulares da Brasiltec com preço a partir de R$ 800

Brasiltec bPhone 2 é um celular barato que chega em agosto com Android 11 (Go Edition); bPhone 3 e bPhone 4 têm bateria grande de 5.000 mAh

Bruno Gall De Blasi Por

A Brasiltec apresentou a sua nova linha de celulares nesta semana. Entre eles, está o bPhone 2, um smartphone de baixo custo com Android 11 Go e câmera dupla de 13 megapixels. O trio ainda é formado pelo bPhone 3 e bPhone 4, ambos com bateria grande, de 5.000 mAh. Os preços sugeridos do telefones começam em R$ 800.

bPhone 2 (Imagem: Divulgação/Brasiltec)

bPhone 2 (Imagem: Divulgação/Brasiltec)

O bPhone 2 é uma opção a quem busca um celular de baixo custo. O smartphone possui câmera dupla de 13 megapixels e vem com Android 11 (Go Edition), a mesma versão do Nokia 1.4 lançado no Brasil na terça-feira (27). A tela de 6,1 polegadas tem resolução HD e um notch em forma de gota para abrigar a câmera frontal de 8 MP.

Com Android Go, uma versão otimizada do sistema do Google voltada para celulares de baixo custo, a ficha técnica do lançamento da Brasiltec lista um processador octa-core de 1,6 GHz e a memória RAM de 1 GB. Para instalar apps e armazenar fotos, músicas, vídeos e afins, o novo smartphone possui 32 GB de espaço. A bateria é de 3.000 mAh.

bPhone 3 e 4, da Brasiltec, têm bateria de 5.000 mAh

bPhone 3 (Imagem: Divulgação/Brasiltec)

bPhone 3 (Imagem: Divulgação/Brasiltec)

O bPhone 3 é a opção intermediária do trio. O smartphone vem com conjunto fotográfico triplo, acompanhado por uma câmera principal de 13 MP e mais dois sensores, sendo um de 5 MP (ultrawide) e outro para capturar a profundidade de campo, além da câmera frontal de 13 MP. A tela de 6,5 polegadas tem resolução HD.

A bateria de 5.000 mAh é outro destaque do telefone, assim como o Motorola Moto G30 e o Realme 7. A ficha técnica ainda conta com a RAM de 3 GB, o armazenamento de 64 GB e um processador octa-core de 1,8 GHz. O smartphone vem com Android 10.

bPhone 4 (Imagem: Divulgação/Brasiltec)

bPhone 4 (Imagem: Divulgação/Brasiltec)

Já o bPhone 4 é o mais encorpado dos três lançamentos da marca. Também com bateria de 5.000 mAh, o celular possui câmera quádrupla de 16 megapixels. A tela também mede 6,5 polegadas e conta com resolução HD, além de um furo no canto esquerdo para abrigar o sensor de selfies de 16 megapixels.

A ficha técnica é formada por um processador de oito núcleos de 1,8 GHz, cujo modelo também não foi informado pela Brasiltec. Já a memória RAM é maior, de 4 GB, enquanto o armazenamento sobe para 128 GB, a mesma quantidade do Poco X3 mais caro. Os celulares ainda vêm com uma capa anti-shock, de acordo com a fabricante.

As vendas dos smartphones estão previstas para começar “em meados de agosto”. Ao Tecnoblog, a Brasiltec informou que o preço sugerido dos celulares vai variar de R$ 800 a R$ 2 mil. A fabricante ainda não revelou o valor exato de cada celular.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
11 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

² (@centauro)

Bom, segudo o site da empresa:

Acho difícil acreditar que eles estão fabricando esses bPhone ao invés de simplesmente pegando alguma OEM chinesa e trocando a carcaça.

Bom, espero que eles atinjam essa meta.
Mas com esses bPhones eles não conseguiram passar muito a impressão de que eles estão dedicando esforços para criatividade e inovação.
Negócio é esperar pra ver o que mais eles estão planejando lançar.

Douglas Knevitz (@Douglas_Knevitz)

Já começou errado com esse nome do aparelho. Poderiam ter deixado apenas o país como logo, sem esse b, para não poluir tanto.

Tem cara de aparelho com hardware genérico, que a única mudança foi escolher cores e acabamentos feios para a carcaça.

Eu (@Keaton)

A ficha técnica é formada por um processador de oito núcleos de 1,8 GHz, cujo modelo também não foi informado pela Brasiltec.

Se não foi informado, é alguma coisa obscura à lá UniSoc… Se fosse Snapdragon (ou similar) estaria estampado em tudo que é lugar. (Sinceramente espero estar errado. UniSoc à 2k é de chorar de rir…)

Mas eu sinceramente espero que eles consigam vingar. Não que nem a Quantum que lançou meia dúzia de bombas e desapareceu…

Edit: 1GB de RAM, 32GB de armazenamento à 800?! pqp… começou bem essa desgraça.

Pierre (@pierrediniz)

O Mi Mix 2 tinha a câmera na parte de baixo. Ele tinha um gimmick no app de câmera que identificava quando você tirava foto com o celular de cabeça pra baixo e fazia o ajuste automático. Problema é que, pra alguns apps como o Instagram e Whatsapp, a foto saía invertida, mesmo.

Fui muito zoado com o meu quando tinha que inverter pra tirar uma selfie. Sem contar a qualidade da câmera que era horrível.