Início » Gadgets » Kindle vai perder acesso a redes 3G a partir de dezembro nos EUA

Kindle vai perder acesso a redes 3G a partir de dezembro nos EUA

Diante do desligamento do 3G nos Estados Unidos em 2022, Amazon avisa usuários que alguns modelos do Kindle perderão totalmente o acesso à internet

Bruno Ignacio Por

O Kindle da Amazon é sem dúvida o dispositivo mais icônico para a leitura de e-books e favorito entre os leitores. Porém, é necessária conexão com a internet para realizar o download desses livros, o que alguns modelos mais antigos sem conectividade WiFi vão perder a partir de dezembro de 2021 diante do desligamento de redes 3G nos Estados Unidos.

Alguns modelos Kindle perderão totalmente o acesso a internet nos EUA até o final de 2021 (Imagem: Felipe Pelaquim/Unsplash)

Alguns modelos Kindle perderão totalmente o acesso à internet nos EUA até o final de 2021 (Imagem: Felipe Pelaquim/Unsplash)

Por mais que ainda exista a possibilidade de se conectar um Kindle via USB para transferir e-books, alguns modelos vendidos nos Estados Unidos contam apenas com conectividade 3G para acessar a internet e realizar diretamente o download dos livros. Porém, a rede 3G é considerada ultrapassada, principalmente em países onde a vasta maioria dos dispositivos tem ao menos acesso ao 4G.

Os aparelhos Kindle possuem acesso gratuito a redes 3G, como uma comodidade oferecida pela Amazon, que fecha contratos com operadoras para fornecer internet através de um chip embutido no aparelho.

As operadoras americanas vão desligar suas coberturas 3G em cronogramas diferentes a partir do ano que vem. Por isso, a Amazon emitiu um aviso para seus usuários que seus dispositivos Kindle começarão a perder acesso à internet a partir de dezembro de 2021, mesmo que algumas operadoras ainda mantenham o serviço por um pouco mais de tempo.

Kindles antigos vão ficar desconectados

O desligamento não vai afetar duramente modelos como o Kindle Touch de quarta geração e o Kindle Oasis de oitava geração, que ainda conseguirão baixar livros diretamente da Internet por meio do WiFi. Entretanto, os modelos básicos de primeira e segunda geração, juntamente ao Kindle DX de segunda geração, vão perder por completo sua conectividade no país.

No Brasil, nada vai mudar até então. Operadoras ainda mantêm sua cobertura 3G e modelos vendidos por aqui que possuem essa conectividade móvel, como o Kindle Paperwhite, seguem funcionando normalmente.

Nos Estados Unidos, o Kindle da Amazon não é o único aparelho que está enfrentando dificuldades com o encerramento do 3G. Até mesmo alguns dispositivos mais modernos dependem dessa internet móvel para se conectar. Portanto, outras empresas deverão seguir o mesmo exemplo da Amazon em breve.

Com informações: The Verge

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
8 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Vítor Gomes Neves Oliveira (@vctgomes)

Esse desligamento do 3G nos EUA tá sendo osso pra várias áreas, mesmo assim, as operadoras não parecem arregar.

O retorno deve ser realmente bem grande pra tanto empenho assim.

Infelizmente, no Brasil, é impensável, já q a única operadora q oferece VoLTE a rodo é a TIM.

Douglas Knevitz (@Douglas_Knevitz)

Só fazendo assim para evoluir mesmo. Para que manter empenho e ocupar espaço de banda, se já estamos no 5G. Está certo, tem que focar na tecnologia mais nova, que é mais eficiente energeticamente (falando de equipamento de tele) e trabalhar para desenvolver o potencial dessa quinta geração.

Tenho certeza de que não temos (Brasil) cobertura total de 4G, mas se este tivesse sido posto como prioridade, com metas objetivas de desligamento de tecnologia legada, a situação seria outra. E mais uma vez perdemos o momento com o 5G, em ser posto como prioridade.

Vítor Gomes Neves Oliveira (@vctgomes)

Definitivamente. Eu concordo perfeitamente haha.

Aqui no Brasil, acredito q as operadoras só ficam receosas por conta das regulamentações e tudo mais. Já faz um certo tempo que a Vivo e a TIM (e possivelmente a Claro também), já abandonaram as redes 2G/3G e elas só funcionam mesmo na base da fé.

Em uma cidade próxima, por exemplo, a TIM adicionou cobertura bem recentemente e ela trouxe unicamente a rede 4G. Como é uma cidade “nova”, a operadora não precisa indenizar o cliente q saia lesado caso o celular n funcione.

image1080×2400 107 KB image1080×2400 101 KB image1080×2400 94.8 KB
(4G, 3G e 2G, respectivamente)

Nesse local, todas as chamadas são obrigatoriamente feitas usando o VoLTE. Se vc desativá-lo, as chamadas não completam.

Infelizmente, atualmente, a TIM é a única q pode fazer isso, já q é a única q oferece VoLTE de fato.

Usuários da Xiaomi sentam e choram.

Douglas Knevitz (@Douglas_Knevitz)

Mas esse é o ponto, já deveria ser previsto em lei o desligamento de frequências legadas, já que a cada X períodos de tempo uma nova é lançada. Esse tipo de organização e planejamento ajuda a impulsionar o mercado e trás segurança para ambas as partes.

Falta mesmo é por ordem na casa e olhar para o longo prazo.

Vítor Gomes Neves Oliveira (@vctgomes)

Tá sim. Funciona normalmente aqui e na linha de pais e parentes q eu solicitei a ativação. A razão dessa limitação é pq a Vivo ainda tem Cores IMSs suficiente pra todos clientes, então eles restringem a alguns usuários e quem solicita.

Pega um protocolo aleatório no Meu Vivo, vai ouvidoria online e pede pra ativarem o VoLTE/VoWi-Fi.

Em geral os atendentes n implicam, mas caso algum implique e fale q não tá disponível pra sua cidade, desconsidere.

Se eles falarem q tá ativo ou que ativaram e em 24h funcionar (atendente de ouvidoria só serve pra direcionar ar suas reclamações), saia e entre de novo. O correto é eles preencherem um formulário, enviar pra engenharia pedirem 5 dias úteis pra isso (embora costuma funcionar já no mesmo dia ou no próximo dia).