Início » Computador » Notebook Lenovo Yoga 7i: o 2 em 1 com poder de fogo

Notebook Lenovo Yoga 7i: o 2 em 1 com poder de fogo

Lenovo Yoga 7i tem poucas portas e webcam simples, mas compensa com bom desempenho, autonomia e acabamento robusto

Emerson Alecrim Por
Nota Final 8.8
Notebook 2 em 1 Lenovo Yoga 7i (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Notebook 2 em 1 Lenovo Yoga 7i (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Parece até uma regra: toda grande marca de PCs tem ao menos um modelo de notebook 2 em 1 (que se transforma em tablet). O Yoga 7i está aí para provar que a Lenovo não é diferente. Porém, a tela com abertura de 360 graus é apenas um detalhe. O equipamento também se destaca por oferecer “experiência premium”.

Na versão testada pelo Tecnoblog, essa experiência é proporcionada por um hardware com chip Core i7 de 11ª geração e 8 GB de RAM, além de tela de 14 polegadas com resolução full HD e tecnologia WVA LCD.

Mas como será que o laptop se comporta no dia a dia? O desempenho é bom? A bateria tem autonomia decente? A tela é um ponto forte? Eu testei o Lenovo Yoga 7i por duas semanas e conto o que descobri sobre ele a partir de agora.

Análise do Lenovo Yoga 7i em vídeo

Aviso de ética

O Tecnoblog é um veículo jornalístico independente que ajuda as pessoas a tomarem sua próxima decisão de compra desde 2005. Nossas análises não têm intenção publicitária, por isso ressaltam os pontos positivos e negativos de cada produto. Nenhuma empresa pagou, revisou ou teve acesso antecipado a este conteúdo.

O Lenovo Yoga 7i foi fornecido pela Intel por empréstimo e será devolvido à empresa após os testes. Para mais informações, acesse tecnoblog.net/etica.

Design, conectividade e áudio

O primeiro detalhe que chamou a minha atenção no design do Yoga 7i é o fato de o modelo ser muito parecido com o Lenovo Ideapad Flex 5i, outro modelo 2 em 1 (conversível) que passou recentemente pelo Tecnoblog.

Mas as diferenças entre ambos logo ficam evidentes. Para começar, o Yoga 7i tem corpo de alumínio, enquanto que, no Flex 5i, o plástico predomina. Teoricamente, o metal torna o Yoga 7i mais robusto e, claro, transmite uma sensação de produto bem-acabado.

Lenovo Yoga 7i tem acabamento robusto (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Lenovo Yoga 7i tem acabamento robusto (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

A robustez também é perceptível nas dobradiças da tela, que são mais largas que as do Flex 5i. Elas também são firmes, característica que exige que você faça um pouco de esforço para abrir totalmente a tela. Por outro lado, o componente não desce sozinho com facilidade, mesmo quando você balança o notebook.

Mas o Yoga 7i tem uma desvantagem importante: a quantidade reduzida de conexões. No lado direito, o laptop traz apenas uma porta USB 3.2 tipo A (convencional). Por ali também encontramos o botão de liga / desliga.

Porta USB, botão de liga / desliga e... só (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Porta USB, botão de liga / desliga e… só (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Já o lado esquerdo abriga a conexão para fones e microfones, além de duas portas USB-C. E só. Não é incomum que notebooks com design ultrafino como esse tenham um número reduzido de portas, mas pelo menos uma conexão HDMI o Lenovo Yoga 7i deveria ter.

Ao menos as portas USB-C são compatíveis com USB4 e Thunderbolt 4. Curiosamente, a Lenovo sinaliza que apenas uma delas faz recarga do equipamento (o produto vem com um carregador USB-C), mas, nos testes, o carregador funcionou com ambas.

Faltou uma porta HDMI aqui, não? (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Faltou uma porta HDMI aqui, não? (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Não menos importante: Wi-Fi 6 e Bluetooth 5.0 também fazem parte das especificações.

Ao contrário da maioria dos notebooks, o Yoga 7i tem as saídas de áudio posicionadas ao lado do teclado, não na parte inferior. Esse detalhe torna o som mais envolvente.

Para completar, os alto-falantes têm áudio claro e Dolby Atmos, além de um volume alto que quase não distorce no nível máximo. Dá até para notar alguns detalhes que, normalmente, só percebemos com fones.

O Yoga 7i tem alto-falantes em cada lado do teclado (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

O Yoga 7i tem alto-falantes em cada lado do teclado (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Tela, modo tablet e webcam

O mercado brasileiro tem tantos notebooks com aquelas limitadas telas TN que dá um alívio encontrar um notebook com um painel LCD melhor. O Lenovo Yoga 7i traz um visor de 14 polegadas com tecnologia WVA LCD, um padrão similar ao IPS.

Essa painel é capaz de exibir cores vívidas, proporciona visualização satisfatória sob ângulos variados e tem brilho máximo decente, que beira os 300 nits. Decente, não excelente: para um notebook premium como este, o ideal seria que a tela oferecesse ainda mais brilho e, de quebra, caprichasse mais no contraste.

O Yoga 7i tem tela de 14 polegadas sensível a toques (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

O Yoga 7i tem tela de 14 polegadas sensível a toques (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Apesar disso, essa tela consegue oferecer uma boa experiência com filmes, jogos e leitura, por exemplo. A resolução, de 1920×1080 pixels, contribui para isso. Ela poderia ser maior, mas essa proporção de pixels está de bom tamanho para um painel de 14 polegadas.

Lembremos que este é um notebook 2 em 1. Se você abrir a tela em 360 graus, ele se transforma em tablet. Por conta dessa funcionalidade, o visor do Yoga 7i é sensível a toques. A ideia principal é a de que você possa utilizar esse atributo junto com uma caneta especial (stylus) para realizar trabalhos artísticos ou fazer notas à mão, por exemplo.

Infelizmente, um acessório do tipo não acompanha o produto. Mas, tocando a tela com os dedos, a resposta me pareceu ser rápida e precisa. Com base nisso, dá para presumir que essa tela pode ser útil para ilustradores, designers e afins, pelo menos para um retoque aqui, outro ali.

Lenovo Yoga 7i no modo tablet (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Lenovo Yoga 7i no modo tablet (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Como de hábito, o Yoga 7i tem uma webcam na parte superior. Assim como em outros modelos da marca, o componente tem uma trava retrátil que bloqueia a câmera.

Mas o que mais importa é a qualidade de imagem, certo? Bom, saiba que a webcam tem 720p. Dá para usá-la em reuniões online numa boa, mas a definição é apenas ok. Se você acha que já passou da hora de notebooks virem com câmera de 1080p, saiba que eu concordo plenamente.

A webcam tem um bloqueio retrátil na lente (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

A webcam tem um bloqueio retrátil na lente (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Teclado, touchpad e leitor de digitais

O teclado do Yoga 7i é praticamente o mesmo que aparece no Flex 5i. O layout, baseado no padrão ABNT2, é idêntico, assim como a quantidade de teclas.

Na digitação, o teclado é confortável e tem um bom espaçamento entre os botões. Mas seria interessante se, a exemplo daquilo que encontramos em notebooks avançados de outras marcas, as teclas tivessem pressão um pouco menos mole.

Teclado do Yoga 7i (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Teclado do Yoga 7i (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

A retroiluminação tem dois níveis de intensidade (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

A retroiluminação tem dois níveis de intensidade (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Apesar disso, este não deixa de ser um bom teclado. Soma pontos o fato de haver retroiluminação com dois níveis de intensidade aqui.

Já o touchpad está longe de ser ruim, mas tenho a impressão de que o componente poderia ser um pouco maior e ter clique mais firme. Ao menos o touchpad responde bem aos toques, inclusive para uso com os gestos do Windows.

O touchpad é bom, mas dá impressão de que poderia ser melhor (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

O touchpad é bom, mas dá a impressão de que poderia ser melhor (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Ah, reparou que, logo abaixo do teclado, à direita, existe um “quadradinho”? Trata-se do sensor de impressões digitais, um recurso que é tão prático que deveria existir em tudo o que é notebook.

No Yoga 7i, o recurso funciona muito bem: a leitura é rápida e quase não falha. O efeito não poderia ser outro: o desbloqueio do Windows é imediato.

O discreto leitor de impressões digitais (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

O discreto leitor de impressões digitais (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Desempenho, bateria e software

O trunfo das versões 2021 do Yoga 7i está na presença dos chips Intel Core de 11ª geração. A unidade testada aqui conta com o Core i7-1165G7, um processador com quatro núcleos, TDP máximo de 28 W e gráficos Iris Xe.

Esse é um chip que rodou com desenvoltura todos os aplicativos testados: Word, Chrome com umas cinco abas abertas, Netflix em tela cheia, Photoshop, entre outros.

Nos testes de desempenho, o notebook precisou de 7 minutos e meio para converter um vídeo em 4K e três minutos de duração de MOV para MP4 no software Handbrake 1.4.0.

Para fins de comparação, o mesmo teste, quando realizado com o Flex 5i, que tem um Core i5-1035G1 de décima geração, precisou de 12 minutos para concluir a tarefa.

Em Asphalt 9: Legends, o laptop apresentou algumas leves engasgadas com as configurações gráficas no nível máximo, mas rodou muito bem no nível intermediário.

Esses testes sugerem que o Core i7-1165G7 é um chip com desempenho consistente, sendo capaz inclusive de dar conta de alguns jogos não muito exigentes com relativa facilidade.

Vale destacar que o Yoga 7i vem com SSD de 256 GB e 8 GB de memória DDR4 que são soldados à placa-mãe. Não dá para simplesmente trocar o módulo de RAM para fazer um upgrade.

A bateria é recarragada via USB-C (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

A bateria é recarragada via USB-C (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Com bateria de 71 Wh, o laptop também se saiu bem no quesito autonomia. O teste foi feito no decorrer de um dia com as seguintes tarefas, começando com 100% de carga: duras horas de vídeo na Netflix com brilho máximo na tela, uma hora de navegação no Chrome, 1h15min de videochamada por Zoom, uma hora de Spotify via alto-falantes e meia hora de edição no Word.

Por volta das 22:00, a bateria ainda tinha cerca de 35% de carga. E olha que os testes foram feitos sem nenhum modo de economia ativado. Nessas circunstâncias, dá para estimar a autonomia em algo entre oito e nove horas com uso moderado do notebook, uma média que não é nada ruim.

O tempo de recarga de 20% para 100% foi de duas horas e meia, aproximadamente.

Lenovo Vantage (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Lenovo Vantage (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Convém destacar que o Yoga 7i vem de fábrica com o Windows 10 Home e aplicativos como o Lenovo Vantage, que dá acesso a configurações e, bom, também serve como canal de propaganda da marca.

Ah, tem trial de antivírus por aqui. Desinstale-o e seja feliz.

Lenovo Yoga 7i com Core i7: vale a pena?

O Yoga 7i com chip Core i7 tem vários pontos positivos, com destaque para o desempenho geral consistente, a boa autonomia de bateria e o tamanho compacto. Esses detalhes fazem o laptop ser uma opção interessante para quem precisa de um notebook com poder de fogo e facilidade de transporte.

Ok, a quantidade reduzida de conexões é uma desvantagem importante. Por outro lado, essa característica pode não ser tão relevante assim para quem prioriza mobilidade, categoria que é justamente o foco desse modelo.

Lenovo Yoga 7i (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Lenovo Yoga 7i (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Se é o seu caso, vá em frente, o Yoga 7i pode te atender muito bem, em parte porque os outros atributos do equipamento, como a tela de boa qualidade, o teclado retroiluminado, o leitor de digitais, o som envolvente e o modo tablet também somam pontos.

É claro que tudo isso tem um preço. Um preço alto: na data de publicação deste review, a versão do notebook com Core i7 custava R$ 7.999 no site da Lenovo, sem considerar descontos ou abatimentos. É um valor alto, mas, infelizmente, essa é a realidade de todo o mercado brasileiro de notebooks.

A dica, portanto, é ir atrás de promoções ou, quando possível, optar por pagamento à vista para obter desconto. O próprio site da Lenovo vendia este Yoga 7i por cerca de R$ 7.200 no pagamento com boleto. Já é alguma coisa.

Especificações técnicas

  • Processador: quad-core Intel Core i7-1165G7 de 3 GHz e GPU Iris Xe (há versões com o i5-1135G7)
  • RAM: 8 GB de DDR4 de 3.200 MHz (módulo soldado à placa-mãe)
  • Armazenamento: SSD NVMe M.2 de 256 GB
  • Tela: LCD WVA de 14 polegadas, full HD (1920×1080 pixels), sensível a toques, brilho de 300 nits
  • Bateria: 71 Wh (quatro células)
  • Conectividade: USB 3.2 tipo A (1), USB-C compatível com Thunderbolt 4 (2), conexão para fones e microfone, Wi-Fi 6, Bluetooth 5.0
  • Outros: teclado ABNT2 com retroiluminação LED, leitor de impressões digitais, tela dobrável em 360 graus (modo tablet), webcam de 720p com bloqueio retrátil, dois alto-falantes de 2 W com Dolby Atmos, cor grafite
  • Sistema operacional: Windows 10 Home
  • Dimensões: 320,4 x 214,6 x 17,7 mm
  • Peso: 1,43 kg

Notebook Lenovo Yoga 7i

Prós

  • Desempenho geral consistente
  • Bateria com bastante autonomia
  • A tela não decepciona
  • Acabamento externo robusto

Contras

  • Uma webcam melhorzinha cairia bem
  • Sério que não tem porta HDMI?
  • Memória RAM soldada à placa-mãe
Nota Final 8.8
Tela
9
Design
9
Bateria
10
Software
8
Desempenho
9
Conectividade
7
Som
10
Teclado
9
Trackpad
8

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
10 usuários participando