Início » Jogos » Qual a diferença entre remake e remaster em jogos?

Qual a diferença entre remake e remaster em jogos?

Entenda a diferença entre jogos remake e remaster e saiba o que mudou naquele clássico nostálgico que você voltou a jogar

Alvaro Teixeira Por

Aqueles clássicos que trazem uma certa dose de nostalgia estão sempre ressurgindo em nossos consoles e PC’s com os títulos de remake e remaster. Os fabricantes e estúdios encontraram um nicho no saudosismo dos jogadores com vontade de relembrar os jogos que marcaram de certa forma. Como nem sempre é muito claro o que mudou em um ou outro, vou te mostrar a seguir quais as diferenças entre essas versões.

Entenda a diferença entre remake e remaster naquele jogo clássico que você adora (Imagem: João Ferrão/Unsplash)

Qual a diferença entre jogos remake e remaster?

A confusão entre os dois tipos de edições é normal. Na maioria das vezes, o título clássico é anunciado e consequentemente, é criado todo um marketing em torno do jogo e com tudo isso, o jogador pode ficar um pouco perdido para entender o que, de fato, mudou na edição.

Remaster: Uma nova camada no jogo

O termo remaster é muito frequente no universo cinematográfico e musical, já que é usual encontramos versões “remasterizadas” de gravações e filmes mais antigos, quando eles passaram por processos de melhorias em sua qualidade.

UNCHARTED: The Nathan Drake Collection é um remaster dos jogos lançados para a geração anterior do PlayStation (Imagem: Divulgação/PlayStation)

Tais melhoras são feitas no arquivo original, ou seja, nenhuma modificação é aplicada. E com os jogos, não é diferente. Quando você vê uma versão remaster de algum jogo clássico, ela passou por melhorias, principalmente na questão da resolução. Isso significa que você não verá um jogo pixelado rodando no seu console moderno.

Remake: um novo jogo baseado no original

A versão remake já é uma mudança um pouco mais significativa. É um jogo parcialmente novo baseado no original. Claro, existem variações do processo, alguns podem aproveitar muito do jogo como base e outros podem praticamente criar um game novo utilizando a mesma ideia e contexto do primeiro.

Final Fantasy VII Remake é um jogo diferente do original (Imagem: Divulgação/Square Enix)

Os projetos que utilizam o jogo original como base podem aproveitar mecânica, problemas e soluções e dar uma nova modelagem, com tecnologia e gráficos melhores. Neste caso, a experiência do usuário que conhece o jogo original será bem familiar, porém mais fluida e aprimorada.

Quando o fabricante resolve criar um remake total de um jogo, ele será mais que uma versão melhorada, mas sim, um novo jogo, que pode usar a mesma história, ambiente, cenários, músicas ou jogabilidade. Logo, há um aproveitamento mais subjetivo e menos prático, de conteúdo.

Como o mercado de jogos clássicos só está em crescente afirmação, você irá ver cada vez mais títulos como remaster e remake, e nem sempre eles serão fáceis de identificar. Há jogos que conseguem circular pelas duas definições, então não precisa se prender somente aos nomes. Se você gosta de um clássico e ele for relançado, aproveite e curta o momento!

Com informações: Techradar.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
2 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

André Gorgen (@Banana_Phone)

Me incomoda saber que em vez de criarem um jogo novo, as produtoras preferem recriar o mesmo jogo diversas vezes.
Shadow of the Colossus foi lançado pro PS2, remasterizado pro PS3 e remake pro PS4. GTA V estão sugando até a última gota, vão relançar ele pro PS5 antes de lançarem o GTA VI.