Início » Jogos » A cronologia de Castlevania; saiba a ordem para jogar

A cronologia de Castlevania; saiba a ordem para jogar

Quer encarar a luta contra Drácula, mas não sabe por onde começar? Então confira a cronologia de Castlevania

Vivi Werneck Por

Castlevania é um game de ação e aventura com ambientação gótica e de horror. Com parte dos seus títulos abraçando a mecânica de plataformas, a franquia da Konami traz a saga de caçadores de vampiros contra Drácula e conta com controles simples e aprendizado rápido, mas que demanda dedicação para dominar o gameplay. Com tantos jogos lançados, não é difícil ficar perdido. Quer saber a ordem certa para jogar? Então veja a cronologia de Castlevania.

A cronologia de Castlevania (Imagem: Divulgação/Konami)

Antes de começarmos, vale destacar que esta lista foca na linha do tempo principal da franquia. Reboots e remakes não foram incluídos. Fora isso, os títulos Order Of Ecclesia e Harmony Of Dissonance não estão listados por serem pouco impactantes nos eventos canônicos, mas fica aqui o registro da existência deles.

A critério de organização, cada título abaixo está ordenado pelo ano que sua história se passa.

Dito isso, vamos lá.

Atenção: há spoilers neste artigo!

1. Castlevania: Lament Of Innocence (1094)

Castlevania: Lament Of Innocence (Imagem: Divulgação/Konami)

Este jogo da cronologia segue os passos de Leon, o primeiro representante dos Belmont – a famosa família de caça vampiros. Na história, a amada de Leon é raptada por um vampiro chamado Walter Bernhard. Para resgatá-la, Belmont consegue a ajuda de Renaldo que lhe oferece o Whip Of Alchemy (ou Chicote da Alquimia).

Infelizmente, Leon não chega a tempo e descobre que o amor da sua vida havia sido transformada numa vampira. Com o seu sacrifício, sua alma é absorvida pelo chicote que se transforma no lendário Vampire Killer Whip, que é visto ao longo da série.

Ao menos Leon consegue sua vingança e derrota Bernhard, mas a alma corrompida do vampiro é usada pelo até então amigo de Belmont, Mathias Cronqvist, que rejeita a própria humanidade e se transforma no Drácula! O mais conhecido e poderoso de todos os vampiros se torna, assim, o inimigo mortal da família Belmont para sempre.

2. Castlevania III: Dracula’s Curse (1476)

Castlevania III: Dracula’s Curse (Imagem: Divulgação/Konami)

Drácula, já extremamente poderoso, casou-se e teve um filho chamado Adrian. Mas como o príncipe das trevas não foi feito para ser feliz, sua esposa é morta pela humanidade. Drácula, enfurecido, declara guerra à Terra.

Após séculos, a família Belmont está próxima de desaparecer por completo após anos na ativa. Trevor Belmont, o último membro restante de sua linhagem, resgata o chicote Vampire Killer e jura destruir Drácula. Para isso, ele conta com a ajuda do próprio filho do lorde das trevas (que agora trocou seu nome para Alucard), da alquimista Sypha e do ladrão Grant.

O grupo consegue derrotar Drácula (por enquanto) e, inclusive, a história deste game inspirou o plot da série animada Castlevania, da Netflix.

3. Castlevania: Curse Of Darkness (1497)

Castlevania: Curse Of Darkness (Imagem: Divulgação/Konami)

O protagonista agora não é um dos Belmont, mas sim um ex-servo de Drácula: Hector, que traiu seu antigo mestre – derrotado em Castlevania III. Cansado das atrocidades que testemunhou enquanto trabalhava para o lorde das trevas, Hector decidiu viver uma vida normal (ou ao menos tentar).

Mas, é claro, que a calmaria não duraria muito tempo e a esposa de Hector foi assassinada por Isaac, que também já foi um dos servos de Drácula. Como você já pode imaginar, Hector jura buscar vingança.

No entanto, há uma mudança de planos quando ele se nega a trilhar a escuridão para alcançar seu objetivo, o que frustra (em parte) os planos da Morte, que queria usar o corpo de Hector para ressuscitar Drácula. No lugar, a entidade usa Isaac. Hector, então, derrota seu antigo mestre que havia acabado de voltar dos mortos.

4. Castlevania: The Adventure (1576)

Castlevania: The Adventure (Imagem: Reprodução/Old Games)

Drácula está volta após uma profecia se tornar verdadeira. Ela dizia que o lorde das trevas retornaria se a humanidade perdesse a fé em Deus. A família de caçadores vampiros retorna à história e Christopher Belmont tem a missão de derrotar Drácula.

Apesar de fazer parte da saga Belmont, mesmo sendo divertido, este título foi considerado simplista demais (até por conta das limitações do Game Boy, plataforma da qual foi lançado), tanto em relação ao audiovisual quanto em gameplay.

5. Castlevania II: Belmont’s Revenge (1591)

Castlevania II: Belmont’s Revenge (Imagem: Reprodução/Let’s Play Archive)

Em Belmont’s Revenge, Drácula consegue fugir de Christopher. No entanto, ele é obrigado a se esconder para conseguir se fortalecer novamente, após os acontecimentos do jogo anterior.

Quando o príncipe das trevas finalmente retorna, Christopher já é bem mais velho. Seu filho, Soleil Belmont, é o próximo a continuar a saga da família contra o vampiro. Mas as coisas não deram muito certo para Soleil, que foi transformado em um demônio por Drácula. Christopher teve que sair da aposentadoria para derrotar o vampirão novamente e salvar seu filho.

6. Castlevania (1691)

Castlevania (Imagem: Divulgação/Konami)

Mais um século se passa e adivinha… Drácula está de volta! Quem encara o desafio de enfrentá-lo (de novo) é Simon Belmont usando o lendário chicote Vampire Killer.

Ao que parece, Drácula veio preparado para os Belmonts dessa vez. Ele resolveu colocar em prática a experiência adquirida encarando a família ao longo dos séculos. Antes de Simon desferir seu último golpe, Drácula o amaldiçoa deixando um gancho para o próximo jogo.

7. Castlevania II: Simon’s Quest (1698)

Castlevania II: Simon’s Quest (Imagem: Divulgação/Konami)

Simon Belmont precisa destruir partes de Drácula, espalhadas por todos os cantos, enquanto luta contra monstros que ainda aterrorizam a região. Apenas após destruir seus restos é que o caçador de vampiros encara o fantasma de Drácula.

A saga de Simon termina quando ele consegue salvar a Transilvânia das trevas criada pelo senhor dos vampiros.

8. Castlevania: Rondo Of Blood (1792)

Castlevania II: Simon’s Quest (Imagem: Divulgação/Konami)

Cento e um anos após os acontecimentos do Castlevania original, um sacerdote das trevas, chamado Shaft, e leal servo de Drácula, ressuscita seu mestre por meio de um ritual satânico. Como nada que já está ruim não possa piorar, Shaft sequestra várias mulheres para escolher uma nova noiva para Drácula.

E onde a família caça vampiros entra nessa história? Uma das mulheres raptadas é noiva de Richter Belmont, que une forças com Maria Renard, salva as mulheres raptadas, e os dois derrotam Shaft e Drácula (mais uma vez, mas todos sabemos que ele vai dar um jeito de voltar).

9. Castlevania: Symphony Of The Night (1797)

Castlevania: Symphony Of The Night (Imagem: Divulgação/Konami)

Este talvez seja um dos títulos mais famosos da série. Richter Belmont retorna, mas é usado por Shaft para reviver Drácula. Quem encara o desafio de mandar o vampirão de volta para as trevas é o próprio Alucard, após séculos desde sua última aparição.

Não há mais Belmonts disponíveis e alguém precisa botar Drácula “para dormir” de novo. Com a ajuda de Maria Renard (do game anterior), ele derrota Shaft e Drácula, além de resgatar Richter. Alucard, então, retorna para seu descanso eterno.

Um dos pontos que mais chama atenção em Symphony Of The Night é que o jogo marca o início do estilo metroidvania na franquia e serve de inspiração para vários outros jogos até hoje.

10. Castlevania: Bloodlines (1914)

Castlevania: Bloodlines (Imagem: Reprodução/Gamerant)

Elizabeth, sobrinha de Drácula e uma sacerdotisa das trevas, começa (em 1914) a Primeira Guerra Mundial como uma forma de espalhar o caos e a destruição para o próprio Drácula.

John, filho de Quincy Morris, que recebeu o Vampire Killer de Richter Belmont, se une a Eric Lecarde para derrotar o mal que assola a Europa. Só que há um problema (sempre há): John não é um Belmont e, por isso, usar o Vampire Killer (que ele recebeu do pai) drena sua vida aos poucos. Mas antes do seu inevitável fim, ele derrota Elizabeth e… Drácula!

11. Castlevania: Portrait Of Ruin (1944)

Castlevania Portrait Of Ruin (Imagem: Divulgação/Konami)

Um vampiro chamado Brauner surge em meio ao caos e ainda mais morte gerada pela Segunda Guerra Mundial, 30 anos após os acontecimentos do jogo anterior. Incrivelmente, dessa vez, o objetivo do vilão não é ressuscitar Drácula. Brauner é mais oportunista e reergue o castelo de Drácula para se tornar o novo príncipe das trevas.

Jonathan Morris e Charlotte Aulin, os novos protagonistas, se unem para extrair o verdadeiro poder do chicote Vampire Killer e interromper a maldição que ele causava em quem não fosse um Belmont. Juntos, eles derrotam Brauner, mas antes de declararem vitória, ambos se deparam com Drácula (achou que ele não viria?) e a Morte, mas estes também são derrotados.

12. Castlevania: Aria Of Sorrow (2035)

Castlevania: Aria Of Sorrow (Imagem: Divulgação/Konami)

Dando um salto para o futuro, Aria of Sorrow traz um novo herói: Soma Cruz. Dessa vez, o jogo se passa num Japão assolado por uma nova guerra contra o mal. Soma une forças com Julius Belmont, Yoko Belnades e Alucard (que usa agora o pseudônimo de Genya Arikado).

O plot twist da história é que o vilão do jogo, Graham Jones, que todos acreditavam ser a reencarnação de Drácula, é na verdade apenas um louco psicopata. Drácula reencarnou no próprio Soma Cruz! No entanto, o herói consegue vencer o mal dentro dele mesmo e, assim, impede a ressurreição completa do vampiro.

13. Castlevania: Dawn Of Sorrow (2036)

Em Dawn of Sorrow, que também se passa no Japão, uma cultista chamada Celia Fortner pretende usar Soma Cruz como receptáculo para mais uma tentativa de ressurreição de Drácula. É claro que isso une, novamente, o herói e seus aliados do jogo anterior – incluindo Arikado (Alucard).

Na batalha final, Soma precisa enfrentar os cultistas e, um deles, absorve Celia que se transforma num monstro ainda maior. O protagonista derrota todos os adversários e, mais uma vez, Soma consegue resistir ao mal que vive dentro de si.

Com informações: The Castlevania Dungeon e Gamerant

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
1 usuário participando