Início » Jogos » 10 dicas para montar ou comprar um arcade stick

10 dicas para montar ou comprar um arcade stick

Escolher o melhor ou montar o próprio? 10 dicas para ter um arcade stick, sejam nos jogos retrô ou para os games de luta

Leandro Kovacs Por

Os arcades sticks foram a primeira versão de controladores de jogos, utilizados nos fliperamas. Veja abaixo, 10 dicas para montar ou comprar um arcade stick. Os valores variam de acordo com a tecnologia do controle, produtos com altos preços são usados por Pro players ao redor do mundo.

10 dicas para montar ou comprar um arcade stick (Imagem: Thomas Despeyroux/Unsplash)

1. É importante ter um arcade stick?

Antes de pensar em comprar o equipamento, é bom refletir sobre as suas necessidades, se é competidor ou apenas um fã em busca de diversão – os mais baratos estão na faixa de preço dos joysticks do Xbox Series e PS5.

2. Utilidade além dos jogos de luta

Embora os arcade sticks sejam focados para os jogos de luta, são controladores perfeitamente viáveis para outros jogos de estilo arcade, como Super Sidekicks ou a série Metal Slug . Basicamente, qualquer jogo que não exija os dois analógicos serve para os arcade sticks. É mais uma questão de gosto do que eficiência.

3. Estou decidido, qual devo escolher?

Decidido, mas e agora? A partir deste momento, precisamos levar em conta outros fatores que alteram a funcionalidade e valores do equipamento. São 3 pontos principais para decidir qual comprar, mas o último é o preço. Lembre-se, sempre verifique se o arcade stick é compatível com seu console.

4. Performance do hardware

Este é o aspecto mais importante. Quando se investe em um arcade stick, o objetivo é melhorar seu jogo. Isso significa que não importa a aparência, desde que ele forneça os resultados desejados. Quando se trata de profissionalismo, os arcade sticks com bom desempenho, geralmente, têm um bom hardware e o preço mais elevado.

Exemplos de hardware sofisticado: Qanba Dragon, Victrix Pro FS, Razer Atrox (são realmente excelentes mas com custo elevadíssimo).

Victrix Pro FS Arcade Fight Stick (Imagem: Victrix/Divulgação)

5. Tamanho e peso

De modo geral, deve-se procurar um modelo com tamanho e peso médios, para que seja confortável tanto no colo quanto na mesa. Lembre-se, seja um competidor percorrendo o mundo em torneios ou simplesmente indo para a casa do amigo para algumas partidas, terá que carregá-lo por aí.

Exemplos de tamanho e pesos médios: Mayflash F300 ou F500 Arcade Fight Stick, Qanba Drone (Tem tamanho e peso bom para utilizar no colo).

Mayflash F300 Arcade Fight Stick (Imagem: Mayflash/Divulgação)

6. O valor do investimento

O melhor arcade stick é sempre aquele que podemos comprar, apesar da diferença potencial entre preço e a contraparte na qualidade.

Para ser realista, nem todo mundo tem dinheiro sobrando. Por esse motivo, deve-se comprar o melhor que esteja dentro de limites acessíveis.

De qualquer forma, evite arcade sticks que são de alguma edição limitada. É simplesmente uma arte exclusiva, mas existe uma unidade idêntica e muito mais barata. Exemplos mais econômicos: Hori Fighting Stick Mini, Mayflash F300 Arcade Fight Stick.

Hori Fighting Stick Mini para PS4 (Imagem: Hori/Divulgação)

7. Não tenho dinheiro, como faço?

Bom, se mesmo os arcade sticks mais baratos do mercado, que encontram-se em torno de R$ 400 à R$ 700, não são acessíveis no momento, temos outra maneira de conseguir a diversão. Obviamente, para competir e jogar nos consoles, é necessário investir.

Se o objetivo for jogar no PC, ou jogos antigos em um Raspberry, é possível montar a sua própria versão. Existem muitas ofertas de peças, kits, placas, caixas para adquirir. Geralmente, são acompanhados por um simples manual de instruções que ajuda a montar seu arcade stick.

8. Kit com botões e manete

Os modelos de maior oferta, são vendidos com os botões e a manete juntos. O objetivo é economizar, escolha uma manete de contatos analógicos, as digitais tem um preço mais elevado. É importante verificar o tamanho e diâmetro dos botões

Conexão interna do arcade stick com kit Aegis arcade (Imagem: Leandro Kovacs/Tecnoblog)

9. Placa Zero-delay

Algumas vezes, placa é oferecida junto com o “chicote” de fios que fazem a conexão entre os botões e o “cérebro” do controle, que é a Zero-delay. Podem vir acompanhados de algum manual, além dos indicativos escritos na placa para cada plug com o seu botão correspondente.

Placa Zero-delay é o “cérebro” do controle (Imagem: Leandro Kovacs/Tecnoblog)

10. Caixa do arcade

O corpo do seu controle, muitas ofertas em diversos materiais, com ou sem arte. A versão mais econômica é a de MDF. Sabendo o diâmetro dos botões e quantos são no total, fica mais fácil conversar com o comerciante.

Arcade stick com caixa simples em MDF (Imagem: Leandro Kovacs/Tecnoblog)

Lembrando, caso o usuário não goste ou não tenha a mínima familiaridade com montagem de eletrônicos, isso pode ser uma dor de cabeça. Particularmente, fiz a minha versão para lazer no Raspberry e no PC, sem maiores problemas. Na época, gastei menos de R$ 250. Resumindo, só vale a pena construir sua versão se o objetivo for o lazer.

Com informação: TheArcadeStick, PCmag.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
1 usuário participando