Início » Celular » Motorola Edge 20 Pro: indo além da própria tela

Motorola Edge 20 Pro: indo além da própria tela

No Edge 20 Pro, Motorola aposta em OLED, câmera periscópica e conexão com TV ou PC para atrair quem busca "algo a mais"

Emerson Alecrim Por
Nota Final 9.4
Motorola Edge 20 Pro (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Até um passado não muito distante, smartphones high-end não eram prioridade para a Motorola. Mas a companhia mudou de postura e, hoje, abraça essa categoria tanto quanto as demais. A prova mais recente atende pelo nome de Motorola Edge 20 Pro.

Lançado no Brasil em agosto de 2021, esse é o modelo mais avançado da família Edge 20. A versão Pro se destaca por contar com chip Snapdragon 870, 12 GB de RAM, tela OLED de 6,7 polegadas e três câmeras traseiras — uma delas é uma câmera periscópica para zoom óptico.

A Motorola também faz questão de destacar os modos Ready For, que permitem conectar o celular a uma TV ou monitor ou, ainda, a um PC para transferência de arquivos e outras tarefas.

Considerando tudo isso e mais um pouco, a Motorola pede R$ 4.999 pelo Edge 20 Pro. Será que vale a pena desembolsar esse valor? Eu, Emerson Alecrim, passei duas semanas testando o aparelho. Conto o que descobri sobre ele a partir de agora.

Análise do Motorola Edge 20 Pro em vídeo

Aviso de ética

O Tecnoblog é um veículo jornalístico independente que ajuda as pessoas a tomarem sua próxima decisão de compra desde 2005. Nossas análises não têm intenção publicitária, por isso ressaltam os pontos positivos e negativos de cada produto. Nenhuma empresa pagou, revisou ou teve acesso antecipado a este conteúdo.

O Edge 20 Pro foi fornecido pela Motorola por empréstimo e será devolvido à empresa após os testes. Para mais informações, acesse tecnoblog.net/etica.

Design, acabamento e leitor de digitais

Se você não simpatiza com a tendência de celulares com cores chamativas, não se preocupe. No Brasil, o Edge 20 Pro está disponível em tons sóbrios: branco e, no caso da unidade testada pelo Tecnoblog, azul. Trata-se de um azul escuro e fosco, mas com um aspecto brilhante que muda de acordo com a posição de luz. O efeito é bonito, pelo menos “ao vivo”.

O Edge 20 Pro tem cor sóbria, mas bonita (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
O Edge 20 Pro tem cor sóbria, mas bonita (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Contribui para isso a superfície da traseira. O corpo do smartphone é de alumínio, mas essa área é recoberta por uma camada de vidro que, além de causar boa impressão, é confortável ao toque.

Apesar disso, provavelmente você vai preferir usar uma capinha, até porque a traseira fica marcada de dedos facilmente. A boa notícia é que a embalagem do produto traz uma.

Se por um lado o Edge 20 Pro é largo — ele tem 76 mm de largura —, por outro, é fino: são 8 mm de espessura. As laterais são ainda mais finas por causa de uma curvatura nas bordas. Eis o efeito: os controles de volume e o botão liga / desliga, no lado direito, também são finos.

O liga / desliga tem sensor de digitais (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
O liga / desliga tem sensor de digitais (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Esse detalhe me fez pensar que o leitor de impressões digitais não iria funcionar bem — ele é integrado ao botão liga / desliga. Felizmente, eu estava enganado. Apesar do tamanho diminuto do sensor, a leitura é rápida e precisa na maioria das tentativas.

No lado esquerdo encontramos um diminuto e solitário botão para o Google Assistente. É uma pena que ele não possa ser configurado para outras tarefas.

Botão do Google Assistente (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Botão do Google Assistente (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

A gaveta de chips? Com suporte a dois SIM cards, ela divide espaço com a porta USB-C e a saída de áudio na parte inferior. Note que não há conexão de 3,5 mm para fones de ouvido aqui.

Também devo dizer que o smartphone traz certificação IP52 para proteção contra respingos d’água. Já é alguma coisa, mas, nessa categoria, eu esperava encontrar algo mais completo, por assim dizer, como certificação IP68.

A gaveta de chips fica na parte inferior (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
A gaveta de chips fica na parte inferior (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Tela e áudio

O Edge 20 Pro tem uma das melhores telas que eu já encontrei em um celular Motorola. Começa pelas dimensões: este é um painel de 6,7 polegadas com resolução de 2400×1080 pixels, formato 20:9, bom aproveitamento do espaço frontal e, ao contrário do seu antecessor, superfície totalmente reta.

A tela tem ainda HDR10+ e uma taxa de atualização de 144 Hz que, como tal, realmente dá uma sensação de mais fluidez em animações, efeitos de transição e afins.

Porém, esse parâmetro é configurado por padrão para ser ajustado automaticamente em taxas de até 120 Hz. Se você quiser deixá-lo em 144 Hz, precisa ativar essa opção nas configurações do sistema, com a ressalva de que essa mudança pode aumentar o consumo de energia.

Tela OLED marcando presença (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Tela OLED marcando presença (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Como este é um painel OLED, as cores são exibidas com vivacidade, o preto é profundo, a visualização sob ângulos variados é excelente e o brilho máximo é satisfatório (embora eu tenha ficado com a impressão de que poderia ser um pouco mais elevado).

Pena que o áudio não acompanha toda esse requinte. Talvez para cortar custos, a Motorola não equipou o Edge 20 Pro com som estéreo. Existe apenas uma saída de áudio na parte inferior que tem bom volume e som claro, mas a experiência seria mais envolvente se ela fizesse par com um alto-falante no topo do aparelho.

Software

A Motorola faz questão de destacar que o Edge 20 Pro vem com o Android 11 e uma interface quase pura. De fato, a gente não encontra muitas modificações visuais por aqui. Por outro lado, há uma quantidade importante de recursos funcionais implementados pela empresa.

É interessante como, na primeira configuração do aparelho, a companhia incentiva a navegação por gestos, que substitui a tradicional configuração por três botões. Nesse modo, você usa gestos na parte interior da tela para voltar ou acessar a lista de aplicativos abertos, por exemplo.

Software do Edge 20 Pro (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Software do Edge 20 Pro (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

No começo, você fica meio perdido com os comandos, mas, quando pega o jeito, percebe que eles são muito práticos. De qualquer modo, você pode ativar a navegação com três botões nas configurações.

A Motorola não deixou os recursos clássicos da família Moto de lado. Um exemplo: os comandos por movimento, como o que ativa a lanterna quando o celular é agitado duas vezes, funcionam no modelo.

Para quem se preocupa com as atualizações do sistema operacional, a Motorola garantiu que a linha Edge 20 vai receber pelo menos duas novas versões do Android, além de updates de segurança por, no mínimo, dois anos.

Ready For

Não dá para falar do software do Edge 20 Pro sem abordar o Ready For. Esse é um recurso que conecta o aparelho a uma TV ou monitor para que você pode reproduzir filmes, participar de chamadas por vídeo, jogar e até acessar uma interface de desktop em uma tela maior.

Esse recurso não é novo. Ele está disponível para o Moto G100, por exemplo. Mas, no Edge 20 Pro, o Ready For introduz um modo de conexão sem fio, basta que a sua TV ou monitor seja compatível com Miracast.

Para as telas não compatíveis com Miracast, a alternativa é usar um cabo USB-C para HDMI — a Motorola vende um kit com um cabo do tipo e um dock.

Para ativar o Ready For, basta estabelecer a conexão por cabo ou Miracast e ativar o ícone do recurso na área de notificações. Em seguida, escolha uma das categorias disponíveis: desktop, TV, jogos e bate-papo, que usa as câmeras do celular como webcam. Também dá para espelhar a tela do smartphone.

Ready For via cabo em um monitor (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Ready For via cabo em um monitor; a tela exibe o modo desktop do Edge 20 Pro (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Se você escolher TV, por exemplo, o Ready For vai mostrar os aplicativos de vídeo instalados no celular, como YouTube e Amazon Prime Video. Com o auxílio de um teclado Bluetooth, você também pode ativar a opção de desktop para transformar o smartphone em PC. Se não houver um mouse por perto, a tela do Edge 20 Pro pode ser usada como trackpad.

É verdade que muitos aplicativos não têm uma interface adequada para esse modo. Mesmo assim, o Ready For pode ser um quebra-galho para quando você estiver em um hotel, por exemplo.

Ready For PC

A linha Edge 20 também traz o Ready For PC, que possibilita uma conexão incrementada do celular ao seu computador. Isso pode ser feito por meio de um cabo USB ou via Wi-Fi, basta que o smartphone e o PC estejam na mesma rede.

No computador, é preciso que você instale o Ready For Assistant, que pode ser baixado do site da Motorola. Quando aberto, o aplicativo exibe um QR Code que deve ser lido pelo Edge 20 Pro. Com isso, a conexão é estabelecida.

Ready For PC (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Ready For PC (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Você pode então executar aplicativos do celular direto no PC, ler notificações e até transferir arquivos de um para o outro.

Por meio de um cabo USB, você tem ainda a opção de usar o Edge 20 Pro como webcam do computador. Você pode alternar entre a câmera frontal e a traseira, mesmo durante a transmissão.

Câmeras

Falando em câmeras, vamos a elas. A Motorola destaca que toda a linha Edge 20 tem sensor principal de 108 megapixels na traseira. Porém, a versão Pro é a única que traz uma câmera periscópica com sensor de 8 megapixels para zoom óptico de 5x.

O Edge 2O Pro é o único da linha com câmera periscópica (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
O Edge 20 Pro é o único da linha com câmera periscópica (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Quando as condições de iluminação ajudam, a câmera principal faz fotos com controle de ruído caprichado, alcance dinâmico amplo e excelente definição.

Em ambientes com iluminação reduzida, a definição cai um pouco, mesmo assim, fica em níveis aceitáveis, principalmente se você ativar o modo NightVision.

Que conste que a câmera principal também pode gravar em 8K e 24 fps ou em 4K a 60 fps, mas com duração máxima de 5 e 10 minutos, respectivamente.

Se você filmar em 1080p, pode alternar entre as três câmeras durante a gravação. Em geral, os resultados são muito bons, embora eu tenha ficado com a impressão de que faltou um pouco de cor aqui.

A câmera periscópica, com seu zoom óptico de até 5x, é mesmo um ponto forte do aparelho. Com ela, os níveis de detalhamento e alcance dinâmico se mantêm em patamares interessantes. As cores convencem por não terem excesso de saturação, detalhe que também vale para a câmera principal.

E não pense que o disparo com a câmera de zoom é demorado. No começo, talvez você se atrapalhe um pouco para localizar o objeto com a aproximação máxima, mas, quando pega o jeito, faz as fotos rapidamente.

Câmera principal (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Câmera principal (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Zoom de 5x com a câmera periscópica (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Zoom de 5x com a câmera periscópica (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Grande angular (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Grande angular (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Câmera principal (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Câmera principal (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Zoom de 5x com a câmera periscópica (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Zoom de 5x com a câmera periscópica (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Grande angular (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Grande angular (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Câmera principal (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Câmera principal (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Zoom de 5x com a câmera periscópica (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Zoom de 5x com a câmera periscópica (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Grande angular (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Grande angular (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Câmera principal com NightVision (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Câmera principal com NightVision (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Zoom de 5x à noite (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Zoom de 5x à noite (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

O Edge 20 Pro também traz uma câmera de 16 megapixels que serve tanto para macro quanto para grande angular. Neste último modo, a foto tende a ficar um pouco mais escura na comparação com a câmera principal e a definição cai um pouco, mas os resultados ainda são apreciáveis.

Quanto ao modo macro, bom, estamos tão acostumados com sensores de 2 megapixels para isso que é um alívio encontrar uma câmera que entrega resultados com bastante detalhamento, como é o caso aqui.

Macro (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Macro (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Temos ainda a câmera frontal, com sensor de 32 megapixels. Ela registra selfies com um ótimo padrão de coloração e detalhamento. O recorte do modo retrato pode ser um pouco impreciso, mas, no geral, agrada.

Selfie com modo retrato quase perfeito (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Selfie com modo retrato quase perfeito (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Desempenho e bateria

Certamente, o Edge 20 Pro seria mais caro se a Motorola tivesse colocado o Snapdragon 888 aqui. Mas o chip do smartphone é um modelo ligeiramente inferior, o Snapdragon 870, que é complementado com a GPU Adreno 650.

Apesar disso, não pense que o celular faz feio no desempenho. Junto com 12 GB de RAM, o Snapdragon 870 deu conta de todas as atividades com desenvoltura, inclusive em multitarefa. Jogos como Asphalt 9: Legends e Real Racing 3 também rodaram bem, sem queda perceptível na taxa de frames.

Para armazenamento, o dispositivo conta com 256 GB de capacidade. Ainda bem, pois não existe slot para microSD aqui.

Motorola Edge 20 Pro traz carregador de 30 W (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Motorola Edge 20 Pro traz carregador de 30 W (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Deixando a tela com taxa automática de atualização e brilho máximo, testei a bateria rodando duas horas de vídeo via HBO Max, uma chamada de vídeo por uma hora e meia, cerca de 30 minutos de Asphalt 9: Legends e Real Racing 3 somados, uma hora de Chrome e redes sociais, além de uma ligação de 10 minutos.

Comecei os testes pela manhã, com 100% de carga. Por volta das 22:00, o celular ainda tinha quase 60% de carga, uma média muito boa para uma bateria de 4.500 mAh.

O tempo de recarga de 15% para 100% com o carregador TurboPower de 30 W que acompanha o produto foi de aproximadamente uma hora. Só é uma pena não existir recarga sem fio aqui.

Motorola Edge 20 Pro: vale a pena?

O Motorola Edge 20 Pro cumpre o papel direcionado a ele: ser uma opção da marca para quem busca um smartphone avançado. Ele pode até não ter todos os elementos de sofisticação que encontramos em um Galaxy S21 Ultra, por exemplo, mas chega perto.

Levemos em conta também que o Edge 20 Pro traz diferenciais relevantes. Estou falando da câmera periscópica e dos modos Ready For. Nenhum desses recursos é essencial, por outro lado, eles podem incrementar a experiência de uso.

Áudio estéreo e um pouco mais de proteção física são elementos que faltam aqui, mas, no conjunto da obra, dá para perceber que a Motorola se esforçou para criar um smartphone de destaque.

Motorola Edge 20 Pro (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Motorola Edge 20 Pro (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Isso é visível, entre outros fatores, pela presença de tela OLED e a inclusão de um carregador rápido na embalagem do produto. Depois de uma chuva de críticas, até a política de atualização do Android a Motorola tratou de melhorar. Em relação ao Motorola Edge+, a evolução é inegável.

Por tudo isso, o Edge 20 Pro é uma opção que vale a pena para quem está à procura de um celular avançado. Sim, o preço sugerido de R$ 4.999 é alto, mas ao menos é mais “pé no chão” do que os R$ 8.000 cobrados no lançamento do Edge+, em 2020.

De qualquer forma, fica valendo a velha dica de esperar por abatimentos ou promoções.

Especificações técnicas

  • Tela: pOLED Max Vision, 6,7 polegadas, full HD+ (2400×1080 pixels), 394 ppi, formato 20:9, taxa de atualização de 144 Hz, HDR10+, Gorilla Glass 5
  • Processador: Snapdragon 870 com GPU Adreno 650
  • RAM: 12 GB
  • Armazenamento interno: 256 GB, UFS 3.1, (sem expansão por microSD)
  • Câmera frontal: 32 megapixels, f/2,2, gravação em 4K (30 fps)
  • Câmeras traseiras:
    • Principal: 108 megapixels, f/1,9, gravação em 8K (24 fps)
    • Grande angular e macro: 16 megapixels, f/2,2, ângulo de 119 graus
    • Teleobjetiva (periscópica): 8 megapixels, f/3,4, OIS, zoom óptico de 5x
  • Bateria: 4.500 mAh com carregador TurboPower de 30 W
  • Conectividade: 2G, 3G, 4G, 5G, dual SIM, Wi-Fi 6 (802.11ax), Bluetooth 5.1, GPS, Glonass, Galileo, NFC, USB-C
  • Sensores: acelerômetro, proximidade, giroscópio, luz ambiente, impressão digital
  • Sistema operacional: Android 11 (com atualizações prometidas para Android 12 e 13)
  • Dimensões: 163,3 x 76 x 8 mm
  • Peso: 190 g

Motorola Edge 20 Pro

Prós

  • Tela OLED de respeito
  • Câmera periscópica é uma ideia legal
  • Boa autonomia de bateria
  • O Ready For é um bom acréscimo
  • Ótimo desempenho geral

Contras

  • Faltou som estéreo
  • Podia ter IP68, né?
  • Recarga sem fio também
Nota Final 9.4
Tela
9
Design
9
Câmera
9
Bateria
10
Software
9
Desempenho
10
Conectividade
10

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
5 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

João Luiz G (@Joao_Luiz_Gomes_Silv)

Esse preço cai rapidão, seria melhor comprar um Galaxy S21 Plus ou um iPhone 11

Sérgio (@trovalds)

Eu li direito? Esse smart NÃO tem suporte a carregamento sem fio? Bah, que mancada…

Emerson Alecrim (@Alecrim)

Não tem. Seria interessante se pelo menos a versão Pro tivesse, mas…