Início » Finanças » NFT falso do Banksy rende US$ 300 mil, mas ladrão devolve todo o dinheiro

NFT falso do Banksy rende US$ 300 mil, mas ladrão devolve todo o dinheiro

Homem compra NFT de arte digital falsa de Banksy por US$ 300 mil, mas golpista devolve todo o dinheiro; leilão contava com página no site oficial do artista

Bruno Ignacio Por

O mercado de NFTs, ou tokens não fungíveis, já é conhecido por movimentar muito dinheiro das mais inusitadas maneiras. Desta vez, uma suposta obra digital do artista britânico Banksy foi comprada por um colecionador por cerca de US$ 300 mil em ether (ETH) através do marketplace OpenSea. Porém, ao que tudo indica, o comprador foi enganado. Crente de que havia perdido milhares de dólares em um golpe, o comprador se surpreendeu mais uma vez ao ver que seu dinheiro foi simplesmente devolvido pouco tempo depois.

NFT de obra de arte digital falsa de Banksy (Imagem: Reprodução)
NFT de obra de arte digital falsa de Banksy (Imagem: Reprodução)

NFT contava com link para site oficial de Banksy

O token parecia legítimo, acompanhado de um link que direcionava o usuário para uma página dentro do site oficial do Bansky. Contudo, um porta-voz do artista negou qualquer envolvimento com o leilão misterioso e afirmou que se tratava de uma farsa. Para tornar o caso ainda mais bizarro, o comprador atende pelo nome de “Pranksy” em seu perfil no marketplace de NFTs, nome que, em inglês, junta as palavras “travessura” com o nome do artista britânico.

O colecionador de peças originais do Banksy conversou com a BBC sobre o inusitado leilão do falso NFT. Ele disse que ouviu falar sobre a venda a partir de alguém em seu Discord e que, ao acessar a página da obra digital no OpenSea, acreditou se tratar de uma peça legítima do artista pela presença de um link “oficial” do ativo que levava para dentro do site do próprio Bansky.

O site mostrava uma foto do NFT, que é uma composição digital pixelada, estilo CryptoPunk, de um avatar fumando com um cenário industrial ao fundo. Contudo, a página foi deletada logo após o vendedor aceitar, mais rapidamente que o normal, o lance de 100 ETH de Pransky. Foi aí que o comprador percebeu que provavelmente havia sido enganado. A Wayback Machine, que acessa um histórico de arquivos da internet, confirma a existência da página “https://banksy.co.uk/nft.html”.

Foi então que um porta-voz do artista disse à BBC que não havia nenhum projeto de NFT associada ao Banksy e que o artista não havia “criado nenhuma obra de arte digital” como token não fungível. Nesse momento, Pransky já havia aceitado que havia sido enganado e perdido cerca de US$ 300 mil.

Contudo, em mais uma reviravolta, Pranksy recebeu de volta os 100 ETH que havia pago pelo falso NFT. A transação também é confirmada pela ferramenta de rastreamento de blockchain Etherscan. Ao The Verge, Pranksy disse que não contatou o golpista de nenhuma maneira, e que os fundos simplesmente apenas foram devolvidos, sem nenhuma mensagem, comunicado ou manifestação por parte do golpista.

Seria tudo um golpe publicitário?

Essa história ainda é cercada por alguns mistérios. No Twitter, são diversas as acusações de que tudo isso teria sido um golpe publicitário para trazer o artista Banksy ao centro das discussões. Independentemente da identidade de quem criou o NFT falso, seu exemplo foi seguido por uma onda de usuários fakes que criaram supostas obras digitais e as colocaram a venda como tokens não fungíveis. Porém, felizmente ninguém mais se tornou vítima do esquema, que agora já é tão óbvio como conhecido.

O porta-voz do Bansky não se manifestou sobre como a página do leilão do NFT falso foi parar no site oficial do artista e posteriormente deletada. Ele também não respondeu às solicitações do The Verge e da BBC.

Com informações: BBC, The Verge

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
1 usuário participando