Início » Finanças » Pix Saque e Pix Troco começam em 29 de novembro e terão limite de R$ 500

Pix Saque e Pix Troco começam em 29 de novembro e terão limite de R$ 500

Pix Saque e Pix Troco permitirão que clientes façam saques de dinheiro (em espécie) em estabelecimentos comerciais

Emerson Alecrim Por

Após um período de consulta pública iniciado em maio pelo Banco Central, o Pix Saque e o Pix Troco já têm data para começar a funcionar: 29 de novembro de 2021. As duas modalidades permitirão que consumidores façam saques em dinheiro via Pix em estabelecimentos comerciais. Há limites de valores e horários, porém.

Notas de real (imagem: IkzMiranda/Pixabay)
Notas de real (imagem: IkzMiranda/Pixabay)

Tanto o Pix Saque quanto o Pix Troco foram aprovados em 24 de agosto pela Diretoria Colegiada do Banco Central. Para a entidade, os novos serviços devem trazer vários benefícios para a sociedade:

O cidadão passará a contar com mais alternativas disponibilizadas pelo Pix e com mais opções de acesso ao dinheiro físico quando assim o desejar, pois os saques poderão ser feitos em diversos locais (padarias, lojas de departamento, supermercados etc.) e não apenas em caixas eletrônicos.

O que é Pix Saque e Pix Troco?

Como o próprio nome sugere, o Pix Saque vai permitir que o cidadão faça saques de valores em lojas, padarias, mercados, farmácias e outros estabelecimentos comerciais por meio de caixas eletrônicos próprios ou terminais compartilhados.

Para isso, o cliente terá que fazer a leitura de um QR Code por meio do aplicativo em que tem conta para que o valor a ser sacado seja transferido via Pix ao agente de saque. Em seguida, o valor poderá ser retirado em espécie.

O Pix Troco tem uma dinâmica parecida, com a diferença de que o saque do valor poderá ser associado a uma compra no estabelecimento. Um exemplo: o usuário pode pagar R$ 200 via Pix por um produto que custa R$ 140 e receber, além do item, a diferença de R$ 60 em dinheiro.

Para não haver confusão, o extrato ou comprovante indicará qual valor corresponde ao item ou serviço comprado e qual diz respeito ao saque.

Pagamento via Pix (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Pagamento via Pix (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Limites de saques e valores

O Banco Central determinou que, em ambas as modalidades, haja um limite de saque de R$ 500 durante o dia e de R$ 100 no período entre 20:00 e 6:00.

No entanto, os prestadores do serviço poderão definir limites mais baixos do que esses com base em parâmetros como perfil do cliente, horário e localização física.

Cada pessoa física ou microempreendedor individual poderá realizar até oito saques via Pix Saque ou Troco por mês sem cobrança de tarifa.

Benefícios para o comércio

Para os comerciantes, o Pix Saque e o Pix Troco podem ser uma forma de levar consumidores aos seus estabelecimentos ou diminuir a quantidade de dinheiro em espécie em seus caixas no final do dia, por exemplo.

Além disso, o Banco Central prevê que o estabelecimento receba uma tarifa por saque que pode variar entre R$ 0,25 a R$ 0,95. Tudo dependerá da negociação entre o estabelecimento e a sua instituição financeira de relacionamento.

Ambas as modalidades são opcionais. Pode-se habilitar as duas ou apenas uma delas. Entretanto, os estabelecimentos que adotarem esses serviços deverão oferecê-los a todos os clientes que têm conta em uma instituição participante do Pix.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
18 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Islan Oliveira (@Islan_Oliveira)

O Pix Saque tem uma dinâmica parecida, com a diferença de que o saque do valor poderá ser associado a uma compra no estabelecimento.

@Alecrim, creio que nesse trecho fosse pra ser o PIX Troco.

No mais, estou bem ansioso por essa modalidade do PIX, é ótimo pra quem usa uma fintech como banco principal.

Emerson Alecrim (@Alecrim)

É isso mesmo, obrigado pelo toque!

André (@andre00)

Sinceramente não entendi o propósito desse Pix troco. Qual é a utilidade prática? Não é melhor fazer o saque direto?

Igor (@igor_meloil)

Em q loja vc paga com transferência bancária e eles te dão o troco dessa transferência em dinheiro?

Jonathan (a.k.a Halls) (@akahalls)

Pelo menos eu não preciso estar com meu cartão físico pra saque, e nem de um caixa eletrônico. Na cidade onde trabalho só tem dois caixas, que congestionam em dia de pagamento.

Natthan Fruche Terzi (@Natthan_Fruche_Terzi)

Seria legal, se por exemplo, você fez uma compra de R$ 46,00, paga com uma nota de R$ 50,00 - Ai o caixa não tem R$ 4,00 de troco pra devolver, devolve via PIX. Mas acho que não é esse o propósito.

Lucas Carvalho (@Lucas_Carvalho)

e como esse modelo tem vantagens tanto pro comerciante quanto pro cliente, é possível que haja uma adoção boa por parte de ambas as pontas.

Monin (@Monin)

O Pix Saque sem dúvida é de grande ajuda para os usuários.

Eu iria além e implementaria o Pix Depósito pra gente depositar de dinheiro em conta em qualquer estabelecimento, e ainda cairia no mesmo momento. Mas essa função iria na contra mão do saque que faz com que o comerciante tenha menos dinheiro em espécie no caixa e teria “mais segurança” por conta disso. Mas só o fato de não ter que ir ao banco pra depositar já seria uma alívio.