Início » Negócios » Salário de técnicos em TI pode ser maior do que o de graduados, diz estudo

Salário de técnicos em TI pode ser maior do que o de graduados, diz estudo

Competências adquiridas por meio da formação universitária têm os menores bônus de salário, enquanto habilidades técnicas, como análise de risco, estão em alta

Pedro Knoth Por

O mercado de TI sofreu pressão durante a pandemia, quando o setor de Tecnologia ganhou ainda mais importância. A demanda por profissionais disparou, mas nem todos os salários cresceram junto. Um estudo da consultoria estadunidense Foote Partners concluiu que técnicos de informática com bagagem de cursos técnicos, com aprendizado mais específico, estão ganhando mais do que profissionais formados em cursos de graduação em TI.

Mercado de TI: competências aprendidas em cursos técnicos superam diploma em bônus salariais (Imagem: juantiagues/Flickr)

De acordo com a Foote Partners, o maior aumento no setor de TI foi de profissionais especializados em análise de risco: 12% de crescimento para a primeira metade de 2021. O dado é da edição do 3º trimestre do relatório 2021 IT Skills Demand and Pay Trends Report.

Mas o estudo indica que competências aprendidas dentro da universidade estão em baixa: para cerca de 546 diplomas relacionados à Tecnologia, os bônus de salários caíram 6,6% — é o patamar mais baixo em 7 anos.

David Foote, CEO da Foote Partners, afirma que o aumento na oferta por cursos universitários em Tecnologia acaba por prejudicar a demanda por profissionais com diploma.

Para Luiz Mariano, sócio-fundador da startup brasileira Flow – Executive Finders, que atua no recrutamento de profissionais em cargos de liderança em TI, há uma “briga” entre oferta e demanda que sempre esteve presente, mas que agora a procura por técnicos está exacerbada:

“Enquanto oferta e demanda estão reguladas, as empresas buscavam profissionais formados, com bagagem acadêmica. No limite, elas sempre abriram mão de alguns detalhes. Agora, as companhias precisam abrir mão de mais coisas, pois a competição está alta, e algumas barreiras que não vão prejudicar o desempenho do profissional entram em questão.”

Mariano ainda alerta: para quem está procurando emprego ou precisa imediatamente de um trabalho, é melhor fazer um curso técnico.

Áreas como análise de risco em TI estão em alta

A pesquisa da Foote sinaliza que algumas áreas de TI estão em alta e puxam a média de bônus salariais para cima.

O destaque vai para dois setores: especialistas em análise de risco tiveram bônus médio de 21% no salário entre janeiro e julho de 2021. Já programadores mais íntimos à linguagem do Apache Pig — uma plataforma de uma década de idade que analisa conjuntos de dados de Hadoop — tiveram aumento médio de 20%, no mesmo período. Profissionais de análise big data tiveram aumento semelhante.

Em geral, a média no aumento de salários no mercado de TI quase alcançou a marca recorde estabelecida no 3º trimestre de 2020, de 9,6%. A marca simboliza a alta do mercado de TI durante a pandemia. Por outro lado, especialistas avisam que profissionais estão sobrecarregados e sofrendo pressão.

Os altos bônus salariais, segundo a autora da pesquisa, estão diretamente associados a habilidades que o funcionário adquiriu no decorrer de sua jornada de trabalho. Mas elas podem ser aprendidas por meio de cursos técnicos.

Vivian de Olivera Preto, coordenadora da Escola Senai de Informática, comenta que o alto salário se deve à procura por empregos operacionais na área de TI, que está à frente da chamada Indústria 4.0:

O que emprega hoje é a indústria. Sempre foi assim. Mas, atualmente, TI é a profissão da moda, principalmente porque estamos em meio à Indústria 4.0. Nela, o técnico de informática é indispensável, pois ele é o responsável por agilizar e simplificar processos. Quem se forma em Tecnologia hoje pode trabalhar tanto na industria de moda, com tecidos inteligentes, como na industria de química pesada.

O Senai atua há 3 anos oferecendo cursos que focam na rápida formação de técnicos de informática. Vivian diz que o objetivo da instituição, dentro das disciplinas, é oferecer situações de problemas reais do mercado de trabalho.

Mudança segue alta demanda na pandemia, diz professor

Em 2021, a pandemia teve um aspecto primordial na mudança do modelo de negócio das empresas e na transformação digital. A demanda de hoje é muito acima de qualquer previsão. Esta é a avaliação de André Insardi, professor de graduação TECH da ESPM.

Mas o especialista avisa:

“Porém, eles não estão ganhando essas vagas em detrimento das pessoas formadas, mas sim participando desse mercado de trabalho e ganhando destaque, porque obviamente vem aumentando o número de pessoas com esse tipo de formação [sem graduação].”

Contudo, uma tendência confirmada por especialistas ouvidos pelo Tecnoblog e pelo relatório da Foote Partners, é que cibersegurança está em alta. Com o aumento de casos de ransomware e invasões DDoS, proteger usuários e grandes bases de dados se tornou prioridade. É nessa área que um diploma ainda faz a diferença: o salário dos profissionais do ramo aumentou em média 13%, apesar de ter acumulado queda 1,2% em relação a 2020.

“Sem dúvida nenhuma, ainda vale a pena entrar em uma universidade de TI, para que o jovem não se especialize apenas em uma tecnologia. A pessoa não sabe o que vai acontecer com a valorização daquela tecnologia no mercado, o que pode a deixar à deriva”, diz Insardi.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
10 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

@ksio89

No fim das contas, o que importa é o conhecimento adquirido, independente da origem. Mas como o último parágrafo bem pontuou, um diploma ainda é muito importante para ter formação mais geral.

imhotep (@imhotep)

As pessoas ainda não entenderam que o que vale é o resultado que elas trazem para o trabalho.
Se fez faculdade ou não, pouco importa, apesar de que, estatisticamente, a chance de fazer um melhor trabalho será de quem é mais preparado e, teoricamente, é alguém que estudou alguma coisa, seja faculdade, ou um curso qualquer.

² (@centauro)

Mas pra conseguir o emprego (principalmente no começo da carreira) pra mostrar resultado é um pouco mais complicado quando você não tem um papel dizendo que você estudou.