Início » Finanças » Bitcoin se torna oficial em El Salvador conforme lei entra em vigor

Bitcoin se torna oficial em El Salvador conforme lei entra em vigor

"Lei do Bitcoin" entra em vigor em El Salvador, que concretiza sua posição como o primeiro país do mundo a adotar oficialmente a criptomoeda

Bruno Ignacio Por

Enquanto 07 de setembro é lembrado no Brasil como o Dia da Independência, a data está sendo batizada de “Dia do Bitcoin” em El Salvador. Nesta terça-feira, a criptomoeda se torna oficial no país centro-americano, conforme a lei proposta pelo presidente Nayib Bukele e aprovada pelo Congresso salvadorenho três meses atrás finalmente entra em vigor. Assim, a nação se torna a primeira a reconhecer e adotar legalmente a moeda digital.

El Salvador implementa bitcoin como moeda oficial (Imagem: MichaelWuensch/ Pixabay)
El Salvador implementa bitcoin como moeda oficial (Imagem: MichaelWuensch/ Pixabay)

Carteira digital do governo sofre instabilidades

Contudo, o dia histórico tanto para o bitcoin (BTC) quanto para El Salvador já foi marcado por dificuldades. Ocorreram erros de capacidade no servidor da certeira digital estatal Chivo. No Twitter, o presidente Bukele comentou o problema:

“Por algum tempo, a carteira Chivo não funcionará, nós a desconectamos enquanto aumentamos a capacidade de armazenamento de imagens dos servidores. Os problemas de instalação reportados por algumas pessoas ocorreram devido a esse motivo. Preferimos corrigi-lo antes de permitir sua reconexão.”

Dia histórico para bitcoin e para El Salvador

Presidente de El Salvador, Nayib Bukele ​(Imagem: Presidencia El Salvador/ Flickr
Presidente de El Salvador, Nayib Bukele (Imagem: Presidencia El Salvador/ Flickr)

Mesmo assim, trata-se de um dia muito importante para a história da criptomoeda. Defensores do bitcoin comemoram a adoção oficial de El Salvador como um primeiro passo para uma implementação prática da moeda digital para pagamentos e transações, algo alinhado com seu objetivo original de descentralizar a economia global.

Contudo, os críticos da medida acreditam que a implementação da criptomoeda na economia nacional pode agravar a crise atual devido a sua instabilidade de preço. Além disso, por se tratar de uma moeda digital descentralizada, o governo de El Salvador não possui poder algum sobre o bitcoin, assim como não tem sobre o dólar americano, a outra moeda oficial no país depois do colón salvadorenho, que quase não é mais usado pela população.

População protesta contra implementação do bitcoin

Bandeira de El Salvador em protesto em Washington (Imagem: Lorie Shaull/ Flickr)
Bandeira de El Salvador em protesto em Washington (Imagem: Lorie Shaull/ Flickr)

As semanas anteriores foram marcadas por múltiplos protestos em El Salvador contra a implementação do bitcoin no país. A população também teme os efeitos negativos que a criptomoeda pode trazer para a economia nacional e a instabilidade que pode gerar para as finanças familiares.

O temor da população é gerado principalmente pelas incertezas envolvendo o ativo digital e o futuro das políticas econômicas do país. Um dos recentes protestos foi organizado por salvadorenhos aposentados, que estão receosos que o governo comece a pagar suas pensões em BTC, por exemplo.

Estimasse que até 70% da população do país é declaradamente contra a adoção do bitcoin como moeda legal. Entidades financeiras globais, como o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Mundial, também alertaram El Salvador contra a implementação da criptomoeda na economia nacional.

Porém, vale lembrar que o uso do bitcoin será opcional, e que os salvadorenhos não receberão salários, por exemplo, na criptomoeda, a não ser que assim o solicitem. Essencialmente, os residentes do país ainda podem manter suas economias completamente dolarizadas se quiserem.

Criptomoeda será usada para remessas internacionais

Bitcoin será usado para transações internacionais em El Salvador (Imagem: Anete / Pexels)
Bitcoin será usado para transações internacionais em El Salvador (Imagem: Anete / Pexels)

Mas o bitcoin também deverá trazer alguns benefícios. Justamente por ser uma criptomoeda que opera em uma rede blockchain e por suas transações serem realizadas ponto a ponto, sem intermediários, os custos para se enviar BTC de fora para dentro do país são consideravelmente reduzidos, enquanto a velocidade do processo também é muito acelerada em comparação às remessas internacionais tradicionais.

Esse ponto é particularmente importante para os salvadorenhos e o uso do bitcoin no país deverá se concentrar no recebimento de envios de migrantes, geralmente residentes na América do Norte e Europa. Essas remessas internacionais ainda constituem cerca de 20% do PIB de El Salvador, portanto qualquer redução no custo de transação já é impactante para os cidadãos.

El Salvador compra 400 BTC e deve adquirir mais

Além de se tornar a primeira nação soberana do mundo a adotar o bitcoin como uma moeda oficial, El Salvador também se tornou recentemente o primeiro país a comprar a criptomoeda. O governo salvadorenho anunciou nesta última segunda-feira (06) a compra de 400 bitcoins, equivalentes a um pouco mais de US$ 20 milhões, conforme a cotação média do dia.

Além disso, o Congresso também aprovou a criação de um fundo de bitcoin de US$ 150 milhões para trazer liquidez suficiente para que os cidadãos do país consigam facilmente converter as outras moedas fiduciárias oficiais, colón salvadorenho e o dólar americano, em bitcoin e vice e versa. Além da aquisição de 400 BTC, o presidente Nayib Bukele afirmou no Twitter que o governo federal tem a intenção de aquirir muito mais da criptomoeda.

Com informações: Bloomberg, Business Insider

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
1 usuário participando