Início » Computador » Dell XPS 13 (2021): o que tem de compacto, tem de notável

Dell XPS 13 (2021): o que tem de compacto, tem de notável

Versão 2021 do Dell XPS 13 mantém estrutura de alumínio e tela 4K, mas troca processador por Core i7 de 11ª geração

Emerson Alecrim Por
Nota Final 9.2
Dell XPS 13 2021 (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Dell XPS 13 2021 (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Tem gente que associa notebooks muito compactos a desempenho mediano ou a baixa duração de bateria, mas a versão 2021 do Dell XPS 13 chegou no meio do ano no Brasil para provar que esse pensamento nem sempre é verdadeiro.

Será que consegue? Bom, o modelo tem um hardware de respeito. Encontramos aqui um processador Intel Core i7 de 11ª geração acompanhado de 16 GB de RAM, SSD de 1 TB e bateria de 52 Whr. Além disso, a tela é um painel de 13,4 polegadas com resolução 4K e formato 16:10.

O conjunto chama a atenção, mas é a prática que mostra qual é a desse laptop. É por isso que eu, Emerson Alecrim, passei um mês testando o XPS 13 (2021). Nos próximos instantes, conto como é o desempenho do modelo, se a bateria dura bastante, se a tela é tudo isso mesmo, entre outros detalhes.

Análise do Dell XPS 13 (2021) em vídeo

Aviso de ética

O Tecnoblog é um veículo jornalístico independente que ajuda as pessoas a tomarem sua próxima decisão de compra desde 2005. Nossas análises não têm intenção publicitária, por isso ressaltam os pontos positivos e negativos de cada produto. Nenhuma empresa pagou, revisou ou teve acesso antecipado a este conteúdo.

O XPS 13 (2021) foi fornecido pela Dell por empréstimo e será devolvido à empresa após os testes. Para mais informações, acesse tecnoblog.net/etica.

Design e conectividade

Na comparação com a versão anterior, lançada em 2020, o atual XPS 13 praticamente não teve mudanças no design. Mas isso não é ruim. O equipamento continua tendo corpo ultrafino baseado em alumínio e, na área do teclado, uma superfície de fibra de carbono que, ao toque, lembra vagamente um material de borracha.

XPS 13 tem corpo de alumínio (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
XPS 13 tem corpo de alumínio (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Essa combinação de materiais torna o equipamento robusto e, ao mesmo, contribui para ele não ser pesado. Ele tem 1,27 kg. Para as dimensões existentes aqui — estamos falando de uma espessura máxima inferior a 15 mm, para você ter uma ideia —, o peso poderia ser um pouco menor, mesmo assim, esse é um notebook fácil de transportar.

O problema dessa “finura” toda é que a Dell teve que sacrificar a conectividade. Não existe conexão HDMI ou Ethernet aqui. No lugar delas, o XPS 13 traz apenas duas portas USB-C, uma em cada lado. A da direita é acompanhada de uma conexão para fones e microfone; a da esquerda, de um leitor de microSD.

USB-C e conexão para fones de um lado (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
USB-C e conexão para fones de um lado (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Pelo menos a Dell tratou de “turbinar” as tecnologias de conectividade disponíveis aqui. As duas portas USB-C são compatíveis com Thunderbolt 4 e DisplayPort. Além disso, qualquer uma delas pode ser usada para recarga da bateria.

USB-C e leitor de microSD do outro (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
USB-C e leitor de microSD do outro (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Se você precisar de um dispositivo com conexão USB tradicional (tipo A), o produto é acompanhado de um adaptador do tipo para ser encaixado em uma porta USB-C.

Levemos em conta também que o Dell XPS 13 traz Wi-Fi 6 e Bluetooth 5.1.

O LED assume a cor branca durante a recarga (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
O LED assume a cor branca durante a recarga (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Outro detalhe interessante é que não encontramos muitos LEDs no modelo. Somente um, em formato de linha, fica em evidência abaixo do touchpad para indicar quando o notebook está sendo recarregado ou tem 10% ou menos de bateria.

Tela, webcam e áudio

Dá para dizer que o Dell XPS 13 possui uma “pequena grande tela”. Pequena porque, como você já sabe, ela tem 13,4 polegadas de tamanho. Grande no sentido de o aproveitamento do espaço frontal ser excelente — as bordas são mínimas aqui.

Contribui para isso o formato 16:10 do painel no lugar do tradicional 16:9. Graças a isso, o XPS não tem aquele espaço grande abaixo da tela que é tão comum em notebooks.

O Dell XPS 13 tem tela WVA e resolução 4K (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
O Dell XPS 13 tem tela WVA e resolução 4K (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Curiosamente, a Dell não revela qual a tecnologia do painel do XPS 13 vendido no Brasil. Mas, ao Tecnoblog, a companhia informou que o componente é do tipo WVA, ou seja, estamos falando de um painel do tipo IPS LCD (ou algo perto disso).

O detalhe mais importante é saber que esse visor tem ótima qualidade de imagem. As cores são exibidas com vivacidade, o brilho máximo é intenso — chega a 500 nits — e a visualização sob ângulos variados é excelente.

Tem mais: a versão testada pelo Tecnoblog é sensível a toques e tem resolução 4K. Em uma tela de 13,4 polegadas, essa parece ser uma resolução exagerada. Para você ter noção, o Windows 10 vem configurado em uma escala de 300%; se você deixar esse parâmetro em 100%, praticamente não vai enxergar os elementos das janelas.

Exagerada ou não, o fato é que distinguir pixels é impossível aqui. Por conta disso, a visualização de fotos ou vídeos em alta resolução é uma tarefa muito agradável no XPS 13.

É uma pena a webcam não acompanhar essa sofisticação. A câmera tem resolução de 720p e não exibe imagens muito detalhadas. Em tempos em que reuniões online são tão comuns, os fabricantes deveriam caprichar mais nesse item.

Dell XPS 13 é compatível com o Windows Hello (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Dell XPS 13 é compatível com o Windows Hello (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Ao menos a webcam vem com infravermelho e é compatível com o Windows Hello. Com isso, você pode se autenticar no sistema operacional via reconhecimento facial. O procedimento é rápido e quase não falha, mesmo durante à noite.

No quesito áudio, o XPS 13 não surpreende, mas também não desaponta. O laptop tem dois alto-falantes na parte inferior que reproduzem um som claro e que pode ser envolvente em filmes, por exemplo. Mas o volume máximo não é dos mais altos e, por conta do tamanho compacto do equipamento, praticamente não há graves por aqui, como esperado.

Saída de áudio no XPS 13 2021 (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Saída de áudio no XPS 13 2021 (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Teclado, touchpad e leitor de digitais

Não é porque o XPS 13 tem tamanho ultracompacto que o seu teclado é pequeno. As teclas têm medidas que as tornam adequadas tanto para quem tem mãos grandes quanto pequenas.

Além disso, os botões contam com uma superfície fosca que é agradável ao toque, bem como com nível de pressão que torna a digitação confortável e ágil ao mesmo tempo.

O teclado do XPS 13 tem retroiluminação em dois níveis (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
O teclado do XPS 13 tem retroiluminação em dois níveis (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Um detalhe importante: ao contrário da versão 2020, o teclado atual do XPS 13 vendido no Brasil é do tipo ABNT2. Existe tecla para ‘Ç’, portanto.

Outra coisa existente no modelo é a retroiluminação LED em dois níveis de intensidade. O único botão que fica às escuras é o liga / desliga, mas pelo fato de ele abrigar um sensor de impressões digitais.

Liga / desliga com sensor de impressões digitais (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Liga / desliga com sensor de impressões digitais (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Que conste que a leitura do sensor é rápida e precisa, como tem que ser, embora eu prefira fazer autenticação no Windows via webcam.

Para um notebook pequeno como este, até que o touchpad tem bom tamanho. Além disso, o componente é confortável e responde rapidamente aos comandos, inclusive para os gestos do Windows.

O único detalhe que me desagradou é a superfície do touchpad, que acumula marcas de dedo com alguma facilidade. Felizmente, não é nada que um paninho macio não resolva.

Teclado e touchpad (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Teclado e touchpad (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Desempenho, bateria e software

A grande diferença do XPS 13 (2021) em relação à geração anterior está no processador: o modelo mais recente vem com o Intel Core i7-1185G7, um chip de 11ª geração que conta com TDP de 28 W e GPU Iris Xe.

O processador é acompanhado de 16 GB de memória LPDDR4X e SSD de 1 TB. Esse conjunto foi bastante competente nos testes, desde as tarefas mais rotineiras, como edição de texto no Word e execução de vídeo na Netflix em tela cheia, até atividades mais exigentes.

Em um rápido teste de conversão de um vídeo de um minuto em 4K de MOV para MP4 no HandBrake 1.4.1, o XPS 13 gastou três minutos. Como comparação, saiba que o mesmo teste feito em um notebook com um Core i5 exigiu quatro minutos e meio.

Dell XPS 13 2021 (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Dell XPS 13 2021 (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Asphalt 9: Legends rodou praticamente sem tropeços, mas com as configurações em nível intermediário. Jogos mais pesados não são o foco do modelo, até porque exigem um chip gráfico dedicado, coisa que não existe aqui.

Duas observações importantes relacionadas ao desempenho: a primeira é que a memória RAM é soldada à placa-mãe do laptop e, por isso, não pode expandida; a segunda é que o XPS 13 esquenta um bocado quando executa tarefas pesadas, embora não a ponto de “fritar” os seus dedos.

Com 52 Wh, a bateria convence, mas não é nada impressionante. Os testes do componente foram feitos com um vídeo de duas horas na Netflix e outro de uma hora no YouTube com brilho máximo na tela, uso do Chrome por uma hora e 20 minutos de Asphalt 9: Legends.

Realizadas no decorrer de um dia sem nenhuma configuração de economia de energia, essas tarefas fizeram a carga cair de 100% para cerca de 30%. Podemos estimar a autonomia em algo entre cinco e seis horas com uso moderado. Não é uma média ruim, mas, para um notebook focado em mobilidade, seria interessante uma duração maior.

O tempo de recarga de 15% para 100% foi de pouco mais de duas horas.

O XPS 13 faz recarga via USB-C (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
O XPS 13 faz recarga via USB-C (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Fique sabendo que a unidade testada veio com o Windows 10 Pro, mas o notebook também é comercializado com o Windows 10 Home.

O sistema operacional é acompanhado de trial de antivírus e um punhado de aplicativos da própria fabricante, como o Dell Updates para atualizações e o Dell Mobile Connect para integração do notebook ao seu celular. Com isso, você pode transferir arquivos de um para o outro ou espelhar a tela do smartphone, por exemplo.

Se por um lado o Mobile Connect é útil, por outro, acredito que a Dell poderia ter reduzido a quantidade de softwares próprios para deixar o sistema um pouco mais limpo.

Dell XPS 13 2021: vale a pena?

Não é por sorte que a linha XPS costuma ser lembrada quando o assunto é notebook high-end. A versão 2021 do XPS 13 faz jus à fama da linha ao combinar uma estrutura deveras compacta com um hardware respeitável.

A tela é um dos melhores painéis LCD que eu já encontrei em um notebook, o acabamento é robusto, o design é elegante e o Core i7 existente aqui mostra serviço.

Mas há duas limitações importantes (sem contar a memória RAM que não pode ser expandida). A primeira: o XPS 13 é muito compacto e, por isso, restrito no número de portas. Se você precisa combinar mobilidade com desempenho, pode se dar bem com ele. Se o seu perfil de uso é diferente, talvez seja o caso de partir para outro modelo.

Dell XPS 13 2021 (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Dell XPS 13 2021 (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Já a segunda observação diz respeito ao preço: no site da Dell, a versão com tela 4K custava a partir de R$ 11.999 na data de publicação desta análise. Existia ainda uma opção com tela full HD com preço R$ 11.299. Caro, mesmo assim.

Apesar de o XPS 13 ser um notebook notável, esses valores o tornam menos interessante que um MacBook Air com M1, por exemplo, um chip que, a essa altura, todo mundo sabe que oferece excelente desempenho.

Por isso, o XPS 13 (2021) vale a pena, sim, mas para quem faz questão de um notebook ultrafino baseado no Windows e, claro, não vê problema em desembolsar muito dinheiro por isso.

Especificações técnicas

  • Tela: WVA LCD, 13,4 polegadas, resolução de 3840×2400 pixels (4K), formato 16:10, touchscreen (opção de tela full HD sem touchscreen), brilho de 500 nits
  • Processador: Core i7-1185G7 de 11ª geração com gráficos Intel Iris Xe
  • RAM: 16 GB de LPDDR4X de 4.267 MHz (soldados à placa-mãe, sem expansão)
  • Armazenamento: SSD NVMe M.2 de 1 TB, leitor de cartão microSD
  • Bateria: 52 Whr (quatro células) com carregador de 45 W e recarga via USB-C
  • Conectividade: Wi-Fi 6 (802.11ax), Bluetooth 5.1, USB-C compatível com Thunderbolt 4 e DisplayPort (2), conexão para fones e microfone, acompanha adaptador de USB-C para USB-A
  • Sistema operacional: Windows 10 Home ou Pro (versão testada)
  • Webcam: webcam de 720p compatível com Windows Hello
  • Outros: dois alto-falantes estéreos de 2,5 W cada, corpo de alumínio e fibra de carbono, teclado ABNT2 com retroiluminação LED, leitor de impressões digitais compatível com Windows Hello
  • Dimensões: 295,7 x 198,7 x 14,8 mm
  • Peso: 1,27 kg

Dell XPS 13 (2021)

Prós

  • Que tela incrível!
  • Continua finíssimo e leve
  • Acabamento robusto
  • Desempenho consistente
  • Teclado confortável e com teclas amplas

Contras

  • Número reduzido de conexões
  • Webcam de 720p até quando?
Nota Final 9.2
Tela
10
Design
10
Bateria
8
Software
9
Desempenho
10
Conectividade
8
Som
9
Teclado
10
Trackpad
9

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
9 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Hélio Márcio Filho (@heliommsfilho)

Bela máquina, mas a menos que se precise mesmo do Windows é difícil dizer que vale a pena tendo o MacBook Air M1 como concorrente custando “só” mil e pouco a mais e entregando em média 3x mais autonomia e muito mais desempenho.

Emerson Alecrim (@Alecrim)

Dá pra dizer que este é um “pequeno grande erro”, haha.

Valeu o aviso!