Início » Finanças » Caixa eletrônico de bitcoin é destruído em protesto em El Salvador

Caixa eletrônico de bitcoin é destruído em protesto em El Salvador

Protesto contra a adoção do bitcoin (BTC) como moeda oficial em El Salvador deixa caixa eletrônico Chivo, que converte dólares na criptomoeda, em chamas

Bruno Ignacio Por

Críticos à adoção do bitcoin (BTC) como moeda oficial em El Salvador e protestantes contra a administração do presidente Nayib Bukele destruíram um “quioesque Chivo”, semelhante a um caixa eletrônico da criptomoeda, deixando-o em chamas nesta última quarta-feira (15). Diversos vídeos foram publicados nas redes sociais mostrando o ato, que foi veementemente rechaçado pelo governo federal.

Caixa eletrônico de bitcoin é queimado em prostesto em El Salvador (Imagem: Reprodução/ Twitter)
Caixa eletrônico de bitcoin é queimado em protesto em El Salvador (Imagem: Reprodução/ Twitter)

Adoção do bitcoin gera onda de protestos em El Salvador

El Salvador tomou os noticiários do mundo todo ao se tornar a primeira nação soberana a adotar o bitcoin como moeda nacional junto ao dólar americano, que substituiu o já esquecido colón salvadorenho.

Porém, enquanto alguns viram a política econômica como progressista e possivelmente benéfica para o país centro-americano, parte da população local e da comunidade internacional se posiciona totalmente contra a implementação da criptomoeda na economia.

O principal argumento é que o ativo digital, considerado extremamente volátil, agrave ainda mais a crise econômica. Além disso, assim como já acontecia com o dólar americano, o bitcoin é uma moeda digital descentralizada, significando também que o governo federal não tem poder sobre ela e sua capacidade de intervenção é limitada.

Vídeos mostram caixa eletrônico de bitcoin queimando

No Twitter, o presidente Bukele se manifestou contra os atos que ele caracterizou como vandalismo:

“Dizem que o ‘vandalismo’ foi feito por ‘infiltrados’, mas fizeram vandalismo em todas suas manifestações. Além disso, por que não há gritos de ‘pare’ ou ‘não faça isso’? O que se ouve são aplausos e elogios; e tem a imprensa.”

No vídeo compartilhado pelo presidente salvadorenho, é possível ver uma manifestante mascarada quebrando a vidraça de um dos 200 quiosques Chivo espalhados pelo país. Enquanto é filmada, manifestantes ao redor aplaudem. Através desses postos específicos, os cidadãos podem trocar dólares por bitcoins, e vice-versa.

Já a agência de notícias local Teleprensa, publicou outros vídeos dos protestantes, mostrando o mesmo quiosque em chamas em meio a uma multidão e jornalistas. A máquina pode ser vista desfigurada pelo fogo, junto a uma placa que dizia “a democracia não está à venda”.

O quiosque atacado está localizado no centro da capital do país, San Salvador, na Plaza Gerardo Barrios. Os manifestantes também teriam queimado móveis de uma das lojas da praça. O prefeito da cidade, Mario Durán, disse que trabalhadores da região deixaram o local do protesto após receber ameaças.

Uso de bitcoin não é obrigatório

Bukele já havia dito que espera que os caixas eletrônicos de bitcoin estejam presentes em todos os lugares do país, mas reforçou que ninguém é obrigado a usar o bitcoin se não quiser. Ainda é possível manter as finanças completamente dolarizadas no país. A criptomoeda foi adotada principalmente com o intuito de facilitar o recebimento de remessas internacionais de migrantes que vivem em outros países.

Com o bitcoin, esses salvadorenhos que moram nos Estados Unidos, por exemplo, podem enviar dinheiro para seus familiares sem ter que pagar uma enorme quantidade de taxas de conversão, já que as remessas em bitcoin são transacionadas diretamente, de ponto a ponto no blockchain e sob uma taxa única. Cerca de 20% do PIB de El Salvador ainda é formado por esse montante que vem de fora do país.

Com informações: Cointelegraph

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
3 usuários participando