Início » Aplicativos e Software » Mozilla testa troca de Google por Bing como buscador padrão no Firefox

Mozilla testa troca de Google por Bing como buscador padrão no Firefox

Mozilla vem trabalhando em projetos alternativos ao Google, apesar de contrato atual com a Gigante da Internet ser válido até 2023

Ana Marques Por

A Mozilla começou a testar silenciosamente a troca do Google pelo Microsoft Bing como buscador padrão do Firefox. O experimento, implementado no início de setembro, está em curso para 1% dos usuários de desktop, e a empresa não entrou em detalhes sobre os motivos do estudo. Atualmente, a Mozilla tem um contrato com o Google para manter seu mecanismo de buscas como padrão, com prazo para até 2023.

Firefox testa Bing como navegador padrão (Imagem: Reprodução/Mozilla)
Firefox testa Bing como navegador padrão (Imagem: Reprodução/Mozilla)

O acordo entre a Mozilla e o Google teria valor de aproximadamente US$ 400 milhões por ano, segundo estimativas de fontes da indústria, e não há indícios de que ele não será renovado em 2023, então não há motivos para alarde. Ao TechRadar, a companhia disse apenas que:

“Como parte da otimização da experiência do Firefox, realizamos estudos regularmente. No momento, estamos realizando um estudo que pode fazer com que alguns usuários percebam que seu mecanismo de pesquisa padrão foi alterado. Para voltar ao mecanismo de pesquisa de sua escolha, os usuários podem seguir estas etapas.”

Além disso, vale ressaltar que a maior parte da receita da empresa responsável pelo Firefox vem de buscadores que pagam para ser opção padrão em determinadas regiões — é o caso do Baidu, na China. Obviamente, o Google representa a maior fatia nesse bolo — segundo o StatCounter, o buscador representa mais de 90% do market share no segmento, seguido por Bing com apenas 2,48%.

Mozilla trabalha em alternativas ao Google

De acordo com Selena Deckelmann, vice-presidente sênior do Firefox, a companhia está trabalhando em novos objetivos para curadoria e reunião de informações na web, visando se tornar uma alternativa para ajudar o usuário a escapar de sobrecarga de informações e encontrar o que busca de forma precisa e segura.

Como parte dessa estratégia para o futuro, a Mozilla apresentou o Firefox Suggest recentemente — o recurso oferece links possivelmente interessantes da Wikipedia ou outros parceiros, e pode incluir também resultados de busca patrocinados, como links do eBay.

Por enquanto, o Firefox Suggest está disponível apenas para quem usa o browser em Inglês, e tem o objetivo de ser “um guia confiável para encontrar o melhor da web”, segundo Deckelmann.

Já a Microsoft se mostrou disposta a substituir o Google na Austrália no início deste ano, após ameaças de suspensão dos serviços da empresa rival devido a uma nova lei que poderia exigir o pagamento para exibir notícias de terceiros. O bloqueio, porém, não foi à frente depois que o Google concluiu as negociações com as autoridades australianas.

Com informações: TechRadar, FastCompany

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
13 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

CesarStoffell (@CesarStoffell)

Mas sejamos realistas, mesmo se ficasse melhor que Google a massa não pararia de utilizar, aka Whatsapp e Telegram.

Em um exemplo mais próximo temos o Edge contra o Chrome, mesmo o Edge sendo mais otimizado pra windows (especialmente notebooks) a grande maioria prefere baixar o Chrome.

James F (@jamesf)

A verdade é que o pessoal da Mozilla parece seguir um feedback de um núcleo hardcore ali dentro, aqueles caras barbudos, com camisa do Tchê que tem ipad, iphone,
mac m1 e um tesla na garagem. E acham que o perfil deles deve ser o perfil de todos.

Não estou dizendo que o firefox tem de ser igual as outros navegadores, mas as diferenças do firefox que antes eram a sua virtude, agora são a sua desgraça. Essas diferenças estão se tornando irritantes. Essas barras de ferramentas grosseiras e tão minimalistas ao ponto de fazer o Windows 1.0 graficamente sofisticado. Desde a v90 as abas de navegação parecem pestanas enormes e pesadas que ocupam quase metade da tela.
Isso na interface. Problemas recorrentes com experimentos, páginas deixando de ser compatíveis, um motor JavaScript lento e atrasado. Um dos últimos problemas que tive
foi o tempo do clique do botão do mouse, que por algum motivo eles alteraram para 100ms e desde então tive que passar a usar um plugin para remediar isso.
E pasmem, não é o meu mouse que está ficando velho é o browser mesmo. A cada nova versão solto uma frase: Para que fizeram isso? Pq tiraram isso? Pqp por que isso está assim?
Está árduo usar esse navegador e talvez ele esteja se tornando no novo IE6! E eu estou me acostumando cada vez mais com o Edge. A volta dos que não foram!

Gustavo Guerra (@GustavoGuerra)

Se não há riscos do Google parar de pagar, acho perca de tempo testar um concorrente, afinal sempre vai listar ali quem der o maior lance no leilão.

Além disso, eu preferiria testar uma alternativa com algum foco nas propostas do Firefox, o DuckDuckGo é conhecido pela preservação da privacidade, seria um teste muito mais interessante.

Carlos Pacheco (@carlospachecool)

A Mozilla esquartejou o FF Mobile, antes era um navegador leve, com extensões e com muitas funções. Hoje é um navegador um pouco diferente do Chrome… Aparentemente no desktop a coisa tende a ficar ruim também, esse Proton é uma vergonha em questão de interface de usuário.

Não boto mais fé na Mozilla.

Carlos Pacheco (@carlospachecool)

Eu deixei de usá-lo mês passado, insisti muito desde o seu relançamento.

A abolição do Photon foi a gota d’água, acabei desistindo…

Quem sabe futuramente? Quando a Mozilla liberar o about:config novamente, quando as extensões que foram removidas voltarem, quando possuir um gerenciador de downloads novamente, puder customizar a página inicial… Nossa, bateu saudades do FF 68

Goku SSGSS (@renatodantas)

Nos testes que fiz, o DuckDuckGo trouxe resultados MUITO mais precisos que o Bing. Fora que este último traz uma penca de propagandas junto que confundem tanto quanto aqueles múltiplos botões de download nas páginas de torrent.