Início » Aplicativos e Software » Windowsfx 11 é uma distribuição Linux com a cara do Windows 11 (e não pede TPM)

Windowsfx 11 é uma distribuição Linux com a cara do Windows 11 (e não pede TPM)

Mantido por desenvolvedor brasileiro, projeto Windowsfx 11 está em fase preview, mas já é bastante funcional

Emerson Alecrim Por

Distribuições inspiradas no Windows não são novidade. O que causa alguma surpresa é o fato de o Windows 11 ainda não ter sido lançado oficialmente, mas já contar com um “clone” baseado em Linux. Estamos falando do Windowsfx 11, um projeto criado por um desenvolvedor brasileiro.

Distribuição Linux Windowsfx 11 (imagem: divulgação)
Distribuição Linux Windowsfx 11 (imagem: divulgação)

O Windowsfx 11 ainda está fase preview. Apesar disso, a distribuição pode ser baixada e usada por qualquer interessado. Efeitos de transição e transparência já estão disponíveis, por exemplo, assim como a interface inegavelmente baseada no Windows 11, com direito a uma barra de tarefas que centraliza seus ícones.

Esse é um projeto liderado pelo desenvolvedor brasileiro Rafael Rachid. A primeira versão da distribuição foi liberada em 2007, época em que o projeto era conhecido apenas como Linuxfx.

Um vídeo de demonstração mostra o Windowsfx 11 funcionando com vários softwares. Alguns deles são versões para Linux de ferramentas da Microsoft, como o Edge e o Microsoft Teams, detalhes que reforçam a semelhança com o Windows 11.

O usuário também encontra ali uma área de widgets, desktops virtuais, um “Menu Iniciar” que dá acesso a todos os aplicativos, ferramenta de configurações, ajustes de múltiplas janelas e assim por diante. Só a assistente Cortana não aparece. No lugar dela, a distribuição pode rodar o Google Assistente.

Existe ainda um modo de compatibilidade que permite a execução de aplicativos .exe e .msi (feitos originalmente para o Windows). Isso é mérito da inclusão do Wine 6.0 na distribuição.

Apesar de ser possível identificar uma diferença ou outra, a similaridade do Windowsfx 11 com o Windows 11 impressiona. Na primeira olhada, você pode até ter impressão de estar diante do sistema operacional da Microsoft.

Mas não se engane. Essa é mesmo uma distribuição Linux. O projeto conta com o kernel Linux 5.11, traz o KDE 5.22.5 e tem como base o Ubuntu 20.04 LTS. A cara de Windows 11 é garantida pelo tema Linuxfx WxDesktop Windows 11.

Windowsfx 11 rodando o Microsoft Teams (imagem: divulgação)
Windowsfx 11 rodando o Microsoft Teams (imagem: divulgação)

Windowsfx 11: download e requisitos

O Windowsfx 11 só não se assemelha ao Windows 11 nas exigências de hardware. Os requisitos mínimos da distribuição são: processador dual-core, 2 GB de RAM e HD com, no mínimo, 20 GB de espaço livre para dados.

Já os requisitos mínimos recomendados incluem um processador com quatro núcleos, 4 GB de RAM e SSD de pelo menos 64 GB.

Não, o módulo de segurança TPM não é exigido, até porque a compatibilidade com PCs antigos é uma das premissas do projeto.

Os links para download podem ser encontrados no site oficial do Windowsfx. Note, porém, que há duas versões disponíveis.

A primeira é a Free Edition, que oferece recursos básicos e é gratuita, como o nome diz. A segunda é a Professional Edition, que tem custo de US$ 20 por computador e dá acesso a recursos como assistente de voz, Microsoft Active Directory e suporte do desenvolvedor. A versão paga foi criada para ajudar a financeira o projeto.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
14 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

João M. (@RonDamon)

Linux tem de td um pouco, menos usuários heuhehueuheuhe

Tori Niwikari (@Tori)

Vou te falar, Linux tem um nicho, tem usuários, mas não chega ao nível que Windows tem.
Se a comunidade Linux parasse de olhar programas closed source com desgosto e apoiar mais as empresas que entrarem no mundo Linux, com certeza já teria o Photoshop for Linux.
Mas Linux tá uma bagunça ultimamente.
É executável de pacote (AppImage, Flatpak, Snap) com o mesmo fundamento, uma bagunça de letrinhas.

João M. (@RonDamon)

Não chegar ao nível é elogio, o treco não chega nem a 2% de usuários na Steam por exemplo. MacOS tem bem mais.

Pika das Galaxias (@PikaDasGalaxias)

O linux ainda perde muito no quesito games, já que o ecossistema de games no PC ainda segue centralizado em Windows, porém as distribuições melhoraram muito.

Graças a esses sandbox, o usuário comum corre menos risco de cagar todo o sistema para tentar instalar um app via código, apesar de confundir um pouco por ter mais de uma opção, já temos distribuições como o próprio Windowsfx focados a usuários comuns, compatíveis nativamente com ambos em que os app já estão na loja para a instalação simples, menos preocupação com o pacote em si.

Cara existe usuários que usariam distribuições dessas vários anos sem problemas acreditando que de fato é Windows, entorta o rosto só de ouvir a palavra “linux”, mesmo que apenas use a impressora e o navegador web, então a proposta é excelente já que é meio caminho andado para este tipo usuário.

porque precisaria? Ambos são gratuitos para baixar e não é o primeiro linux com apps de terceiros, inclusive anydesk está disponível no flathub, qualquer distribuição com suporte tem ele na loja.

Isso é verdade, mas cabe a microsoft processar né?

Daniel Plácido (@Daniel_Placido)

Interessante, mas tenho um certo preconceito com essas distros Linux que querem se passar por Windows, é tipo o mundo vegetariano que fica inventando “carne de soja” e “feijoada vegetariana” pra atrair novos “usuários”…

Eu (@Keaton)

tem gente pra tudo… até para pegar o horrendo menu iniciar do WIndows 11 e jogar no linux… ce eh doido…

João M. (@RonDamon)

Você fala como se isso fosse bom. SO bom é SO prático e fácil de usar, se vc precisa ir no google ou em wiki pra usar um sistema o problema é o sistema.

Jhonny (@jokalokao)

Hoje em dia Linux não é difícil de usar, talvez uns 10 anos atrás você poderia falar isso. Além disso resolver os erros do Windows é mais complicado que no Linux, porque o Windows reporta erros genéricos que ninguém sabe resolver. No Linux quando dá problema (em distros estáveis raramente) os erros tem bastante informação e formas de resolver nos fóruns

De qualquer forma, não é esse o ponto do meu comentário anterior. As pessoas tem preguiça de testar. O computador já vem com Windows e nunca instalam outro sistema.