Início » Negócios » O que seu cartão de crédito faz e você não sabe

O que seu cartão de crédito faz e você não sabe

Muito além de milhas: seu cartão de crédito pode oferecer benefícios gratuitos como garantia estendida, seguro viagem e até mesmo assistência para cães e gatos

Lucas Braga Por
O que seu cartão de crédito faz e você não sabe
O que seu cartão de crédito faz e você não sabe (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

Ao se falar em benefícios de cartão de crédito, normalmente o primeiro pensamento que vem à cabeça está relacionado a programas de pontos para conversão em milhas aéreas. Na verdade existe uma série de outras vantagens oferecidas pelos emissores, que acabam despercebidas nos asteriscos e sites dos bancos.

Muitos não sabem, mas boa parte dos cartões de crédito do mercado cobrem seguro médico nas viagens sem custo adicional. Outros, incluem acesso à salas VIP, créditos de celular, rolha grátis para consumo de vinhos em restaurante e até mesmo assistência para pets. Você sabe o que seu cartão de crédito tem a oferecer?

Cartão de crédito com ou sem anuidade?

O Tecnoblog conversou com Gabriel Dias, proprietário do site Falando de Viagem e especialista em cartões de créditos. No perfil do Instagram Melhores Cartões de Crédito, Dias já analisou centenas de cartões de crédito de diferentes bandeiras.

Perguntei a ele qual a primeira coisa que uma pessoa deve se atentar na hora de escolher um cartão de crédito, e a resposta pode parecer surreal para muitas pessoas:

Gabriel Dias e seu cartão Porto Seguro Visa Infinite
Gabriel Dias (Imagem: acervo pessoal)

“O principal erro das pessoas é procurar logo de cara por cartões de crédito que não cobram anuidade. Esse cartão vai te dar poucos benefícios, e é melhor pro banco que vai lucrar com uma porcentagem de todas as suas compras.

O ideal é procurar um bom cartão e entender como faz para isentar essa anuidade. Muitos bancos já têm algumas condições pré-estabelecidas, então se você atinge um certo gasto mensal consegue escapar das cobranças”
Gabriel Dias

Mesmo para quem não consegue atingir a média de gastos exigida para isenção, Dias afirma que pagar a anuidade ainda pode ser vantajoso, dependendo do perfil do usuário: “Se você usa muito os benefícios, a anuidade se paga. Uma visita qualquer em sala VIP avulsa vai custar entre R$ 150 e R$ 200; se você tem esse benefício e vai usar algumas vezes no ano, pode valer a pena arcar com as taxas”.

Além disso, não necessariamente o cliente precisa pagar o valor integral da anuidade: dá pra chorar um desconto e negociar diretamente com o banco. “Em muitos cartões você vai conseguir pelo menos um bom desconto, e passa a acumular milhas ou ter cashback“. Algumas instituições também possuem política de isenção baseada na quantidade de investimentos, o que pode ser uma boa saída.

“O principal erro das pessoas é procurar logo de cara por cartões de crédito que não cobram anuidade.”

Gabriel Dias

Um monte de benefícios

Normalmente os benefícios de cartões de crédito são relacionados a viagens, mas existem boas exceções. Um bom exemplo é o programa Elo Flex, da Elo, que ao portador escolher quais vantagens irá usar a partir de um catálogo com 35 opções.

O Tecnoblog conversou com Felipe Maffei, diretor de Produtos e Inovação da Elo. Ele afirma que os consumidores possuem perfis muito distintos, e isso dificulta a criação de um único produto que atenda o máximo possível de clientes:

“Tradicionalmente, o mercado (no Brasil e no mundo) trabalha com portfólios pré-definidos, com uma certa rigidez em relação a formatação. Não importa muito o emissor, dificilmente os benefícios fogem de atributos de viagem. Isso tem valor, mas para um grupo específico de pessoas.

A gente começou a perceber que muitas pessoas não viajavam, ou viajavam poucas vezes em um intervalo longo de anos, e queriam mais benefícios relacionados ao dia a dia.”

Felipe Maffei

O Elo Flex permite que o cliente escolha os benefícios no site e o cliente “monta” seu próprio cartão, como se estivesse em um Subway ou Spoleto. A seleção está disponível desde o Elo Mais, que dá direito a uma vantagem, até o cartão topo de linha Elo Diners Club, que permite escolher até seis opcionais.

Felipe Maffei, diretor de produtos e inovação da Elo
Felipe Maffei, diretor de produtos e inovação da Elo (Imagem: Divulgação)

Dentre os serviços disponíveis se encontram os benefícios tradicionais de viagem, como assistência médica e salas VIP, por exemplo. Mesmo em comparação com a concorrência, a Elo ainda consegue ter diferencial nesse segmento: é o caso do chip de celular para uso de 4G no exterior, algo que já foi oferecido pela Visa mas depois foi retirado do mercado.

O executivo comenta que a utilização dos serviços relacionados a viagem diminuiu muito com a chegada da pandemia de COVID-19, e houve maior procura dos clientes para vantagens relacionadas ao dia a dia:

“Se antigamente os benefícios de viagem eram os mais buscados, hoje eles têm uma utilização muito baixa e os mais procurados são assistência residencial e assistência pet. A assistência pet, por sinal, foi disparado o recordista em acionamentos nos últimos seis meses, porque as pessoas vêem valor no dia a dia.”

Felipe Maffei

Para atender as necessidades de pessoas que não viajam, a Elo também criou um benefício de conectividade que dá créditos no celular: “Dependendo da variante do seu cartão você tem acesso a créditos na sua linha telefônica pré-paga, de R$ 20 a R$ 30”, comenta Maffei. O portfólio também possui opções de proteção veicular, streaming de músicas (Deezer), acesso a hotspots Wi-Fi via iPass (que recentemente foi reformulado e… piorou), cursos online, entre outros.

Seguro de viagem… grátis!

Muitos países exigem que o visitante estrangeiro tenha um seguro médico que cubra gastos com despesas médicas em caso de emergências hospitalares – é obrigatório para entrar em territórios da União Europeia, por exemplo. O que muita gente não sabe é que várias empresas dão esse seguro sem nenhum custo adicional, e a contrapartida das bandeiras é que a passagem aérea tenha sido paga com o cartão de crédito.

Antes de viajar, é necessário emitir um bilhete da apólice no site da bandeira. A partir de então, o seguro fica válido por um período pré-determinado – normalmente um ano – e todas as viagens com passagens aéreas compradas pelo cartão de crédito ficam cobertas.

Seguro viagem: grátis para quem comprar passagem com cartão de crédito
Seguro viagem: grátis para quem comprar passagem aérea com cartão de crédito (Imagem: Skitterphoto / Pixabay)

É legal ter esse tipo de seguro não só pra evitar surpresas com despesas hospitalares, mas porque as apólices costumam incluir quantias de indenização em caso de atraso, cancelamentos ou extravio de bagagens, mesmo em viagens domésticas.

No entanto, algumas “pegadinhas” devem ser observadas, e é recomendado ler a apólice antes de viajar para ter ciência de toda a cobertura. Veja alguns destaques das principais bandeiras:

Mastercard

Seguro viagem para o portador do cartão, mas cobertura se estende para cônjuges ou companheiros e filhos de até 21 anos de idade, desde que as passagens sejam compradas com o cartão de crédito.

Em caso de emissão com milhas é necessário provar que a pontuação foi gerada pelo próprio cartão. A taxa de embarque deve ser paga usando o cartão de crédito.

Visa

Seguro viagem para o portador do cartão, mas a cobertura se estende a todas as pessoas que estão na mesma reserva.

Para ter direito a cobertura, é necessário que o bilhete seja emitido usando o cartão de crédito. Em caso de emissão com milhas é necessário pagar as taxas de embarque usando o cartão.

Elo

É necessário ter o seguro viagem como benefício fixo ou escolhê-lo na plataforma Elo Flex. Todos os passageiros da reserva recebem cobertura.

Para ter direito a cobertura, é necessário que o bilhete seja emitido usando o cartão de crédito. Em caso de emissão com milhas é necessário pagar as taxas de embarque usando o cartão.

No caso de uma emergência médica, Dias dá uma dica importante sobre o uso do seguro do cartão de crédito:

“Se você precisar do seguro, evite ir para um hospital ou clínica por conta própria. Pode ser que aquele local não tenha convênio com o seu seguro, e nesses casos é necessário pagar a despesa para depois pedir reembolso ao cartão de crédito.

O problema é que esse processo não costuma ser muito rápido. Se você não estiver preparado terá que arcar com uma despesa de milhares de reais, sem ter fluxo de caixa para isso.

Quando você liga para o seguro, vão te indicar um hospital conveniado. Daí não é necessário pagar as despesas por conta própria, uma vez que tudo é resolvido diretamente pelo cartão de crédito.”

Gabriel Dias

Seguro de automóvel alugado

Além do seguro médico em viagens, cartões de crédito também costumam incluir assistência para veículos alugados. É uma ótima pedida na hora de contratar um carro, uma vez que o cliente consegue economizar muito dinheiro por uma proteção que não pretende utilizar.

Assim como no seguro médico, a proteção de carro alugado também tem uma pegadinha: a apólice não inclui cobre danos causados em veículos de terceiros. Para ter paz de espírito, convém contratar essa proteção direto com a locadora.

As famigeradas salas VIP

Já se foi o tempo em que salas VIP era algo restrito para passageiros de classe executiva ou primeira classe. Se você estiver viajando de econômica mas possuir um cartão de crédito elegível, pode desfrutar de um espaço mais calmo e confortável que a sala de embarque, com comida e bebida à vontade.

Lounges de aeroporto: cartões de crédito permitem acesso grátis
Lounges de aeroporto: cartões de crédito permitem acesso grátis (Imagem: Gabriel Dias / Acervo pessoal)

Para quem costuma viajar com uma certa frequência, ter um cartão de crédito que dá acesso a salas VIP é um conforto enorme e pode trazer até economia: “Comer no aeroporto é caro. Você vai comprar uma água mineral e pode chegar a R$ 10, agora imagina em uma viagem para países que usam euro, libra ou dólar? É um desfalque muito grande”, comenta Dias.

As salas VIP podem ser um fator determinante na hora de escolher um cartão: certos plásticos incluem alguns acessos por ano ou até mesmo o uso ilimitado, enquanto alguns bancos não dão nada; em outros, o cliente precisa pagar US$ 32 dólares por pessoa para cada visita nas redes LoungeKey ou Visa Airport Companion.

Salas VIP costumam ter buffet com comida à vontade
Salas VIP costumam ter buffet com comida à vontade (Imagem: Gabriel Dias / Falando de Viagem)

Para quem pretende usar os lounges, Dias dá a dica: “Não basta ter um Visa Infinite, tem que saber qual é o Visa Infinite porque tem bancos que não dão benefício nenhum [como o cartão da XP], enquanto outros bancos dão dois, quatro acessos por ano”. O mesmo também vale para outras bandeiras: existem Mastercard Black que dão acesso ilimitado ao LoungeKey, como os oferecidos pelo Banco Inter, enquanto o Nubank Ultravioleta não inclui nenhuma visita às salas do programa.

Eu já estive algumas vezes em salas VIP, e posso atestar que é um excelente benefício: por morar em Belo Horizonte, normalmente costumo viajar para São Paulo ou Rio de Janeiro para fazer conexões internacionais. Alguns vôos ingratos me deixam várias horas de molho, e ter o conforto de um lounge para descansar, comer e beber à vontade ou até mesmo tomar um banho antes de voar (!) é um ótimo negócio, especialmente quando não tem nenhum custo adicional.

Salas VIP costumam ter espaços confortáveis com bebida e comida liberada
Salas VIP costumam ter espaços confortáveis com bebida e comida liberada (Imagem: Gabriel Dias / Falando de Viagem)

Vale lembrar que o acesso à salas VIP é um benefício também possível para quem só voa dentro do Brasil. Os principais aeroportos do país também incluem lounges nas áreas domésticas, o que é uma boa pedida para quem viaja a trabalho ou simplesmente quer evitar gastos nas lanchonetes superfaturadas das salas de embarque.

Outros benefícios não-óbvios

Existem alguns benefícios interessantes de cartões de crédito mas que fogem do óbvio:

Seguro proteção de preço

Esse é sem sombra de dúvidas um dos benefícios mais legais: o cartão de crédito te reembolsa a diferença de valores caso encontre o mesmo produto por um preço menor em até 30 dias após a compra.

É importante observar as regras: nem todos os produtos são elegíveis, há um limite máximo de valor e algumas lojas não são contempladas. Gabriel conta que já recuperou R$ 2.100 usando a proteção de preço na compra de um iPhone, e a diferença foi depositada em sua conta corrente.

O processo de reembolso é feito todo online: “Você achou o item mais barato, gera um PDF com o print da tela e abre a solicitação no site da bandeira após a fatura do cartão fechar. A oferta tem que ser igual – ou seja, se você comprou algo à vista, tem que comparar com outro anúncio com preço à vista”, revela Dias.

No Brasil, esse benefício é oferecido por Visa (cartões Gold, Platinum, Signature ou Infinite) e Mastercard (apenas na bandeira Gold). Para ter direito ao reembolso, é necessário que a compra seja feita utilizando o cartão de crédito que dá direito ao serviço.

Proteção de compra ou Compra Protegida

O benefício de proteção de compra cobre reparos de danos acidentais ou reembolsa o valor de produtos roubados, desde que o item tenha sido comprado com o cartão de crédito.

Compra com cartão pode dar garantia estendida, proteção de preço e seguro contra roubos e danos
Compra com cartão pode dar garantia estendida, proteção de preço e seguro contra roubos e danos (Imagem: wayhomestudio / Freepik)

O benefício é oferecido no Brasil pelas bandeiras Visa (Gold, Platinum, Signature ou Infinite), Mastercard (Gold e Black) e Elo (Elo Flex). É necessário ter adquirido o produto com o cartão elegível.

A proteção é válida tanto para compras no Brasil ou exterior, e a cobertura é válida para um período de dias após a aquisição do produto – até 180 dias no caso da Visa, 45 dias na Elo e 30 dias na Mastercard.

Garantia estendida

Essa proteção cobre gastos com consertos e substituições de produtos com garantia vencida por mais um ano além da garantia original, sem custo adicional.

Dependendo do cartão de crédito há uma lista de produtos elegíveis para o benefício de garantia estendida, bem como o período máximo de cobertura.

O benefício é encontrado no Brasil nas bandeiras Visa (Gold, Platinum, Signature ou Infinite), Mastercard (Gold e Black), Elo (Elo Flex) e American Express (The Platinum Card)

Isenção da taxa de rolha

Esse é um benefício exclusivo da linha Mastercard Black que pode ser muito útil aos portadores do cartão. A bandeira mantém convênio com alguns restaurantes para a isenção da taxa de rolha – que é quando o cliente leva o próprio vinho para consumir no local:

“O Black da Mastercard tem isenção de taxa de rolha em muitos restaurantes. Beber vinho em restaurante é caro, mas quando o lugar tem convênio você pode levar sua garrafa, entregar para o garçom e não pagar nada mais por isso.”

Gabriel Dias

Mas e aí, qual o melhor cartão de crédito?

Para Dias, não existe um único cartão de crédito para ser escolhido. “O ideal é não ter apenas um cartão. É legal ter um da Mastercard, outro da Visa, outro da Elo e American Express, pra pegar o melhor de cada um deles e usar os benefícios a seu favor”.

Cartões de crédito: não existe um melhor, cada um tem benefícios diferentes
Cartões de crédito: não existe um melhor, cada um tem benefícios diferentes (Imagem: Lucas Braga / Tecnoblog)

Mesmo assim, Gabriel diz que Visa e Elo concentram as melhores opções do mercado:

“Eu considero que o Visa Infinite tem um excelente conjunto de benefícios. Também gosto muito do Elo Diners Club, que conta com o pacote Elo Flex que permite escolher os benefícios.”

Gabriel Dias

Note que a Mastercard ficou de fora por aqui. “A Mastercard não faz nada significante no mercado há muito tempo, porque é líder de mercado e ficou acomodada com isso”. Mesmo assim, o cartão ainda tem alguns diferenciais: além de uma sala VIP própria no Aeroporto de Guarulhos que dá uso ilimitado para clientes Black, a cobertura de seguro viagem costuma ter apólices melhores que o oferecido pela Visa ou Elo, por exemplo.

Para quem vai viajar para o exterior, Dias também recomenda ter em mãos cartões de crédito de backup, com bandeiras diferentes:

“É importante ter sempre um Visa ou Mastercard, porque Elo e American Express não têm boa aceitação internacional. Se você tem apenas um desses dois na carteira, pode ter problemas: eles são aceitos nas grandes lojas e hotéis, mas dependendo do estabelecimento simplesmente não passam.”
Gabriel Dias

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
10 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Felipe (@darth)

Mastercard Black do Banco Inter (tem acesso ilimitado + dólar com Spreed de 1%)
Visa infinite do Banco Itaú (dolar turismo + 2 visitas a salas vips)
Reservinha fica em casa (Credicard zero) uso somente para pagar serviços de Streaming e assinaturas (Netflix,  music, prime, Crunchroll) e compras na AppStore.

Everton Favretto (@evefavretto)

Sobre ter cartões de mais uma bandeira: o BB dá desconto de 90% na anuidade da segunda bandeira. Você pode ter um Visa e um Elo (ou Mastercard) sem pagar duas anuidades cheias.
E, no BB, o limite é compartilhado entre todos os seus cartões.

Alex (@wuhkuh)

Procure por um cartão que tenha “direito a lounge”
Alguém avisa kkkk

imhotep (@imhotep)

Eu frequento o fórum Falando de Viagem há muitos anos.
O perfil do usuário de lá pouco tem a ver com o perfil médio da população local.

Concordo q, se vc viaja muito, ter benefícios como salas vip, ou descontos em traslados, hotéis, seguros, etc, é uma forma de economizar.

Mas o perfil da maioria das pessoas é o de ter um Nubank da vida com 500 reais de limite e sim, nesses casos, isenção de anuidade faz diferença.

Particularmente, gosto muito das dicas do Gabriel (owner do fórum de viagem) mas são para um perfil bem específico de pessoas.

Pra quem está começando a vida financeira agora, anuidade faz diferença. E, bem, qd vc já tem uma vida mais tranquila, o próprio perfil de consumo já te dá uma série de benefícios como as citadas na matéria.

Lucas Pinheiro (@LucasMiller)

Eu entendo perfeitamente a sua linha de pensamento, e concordo mto com ela, realmente o perfil dos usuários do Falando de Viagem não é o perfil da maioria da população.
Mas acho que uma parte do que ele disse com relação a cartão sem anuidade, faz sentido: melhor vc pegar um cartão Bradesco, Itaú ou Santander, que te obriga a gastar R$200 por mês, mas que pelo menos pontue num Livelo, Esfera ou Iupp (mesmo que pontue mal), do que ir no Nubank, por ser sem anuidade, mas que não oferece nada em troca.

Gustavo Guerra (@GustavoGuerra)

Endossando o comentário do @imhotep, acredito que pagar anuidade num cartão de crédito seja uma opção recomendada para quem já tem poder aquisitivo elevado, do contrário, para o povo comum, ainda não achei nenhum benefício que realmente compense o valor gasto.

² (@centauro)

Você sabe que o assunto é pra uma classe mais abastada quando uma das sugestões é ter vários cartões de créditos, uma de cada bandeira.

imhotep (@imhotep)

Concordo. Mas como vc disse, as pontuações são tão ruins, que vc acaba não conseguindo trocar por nada útil. Aí entra um terceiro dispositivo que acho mais vantajoso (ainda que renda centavos) q é o cashback.

imhotep (@imhotep)

Uma coisa que eu utilizei muito era desconto em cinema e teatro (acho que Bradesco e Itaú têm essa oferta).
Tb já utilizei umas 2x concierge pra reserva de restaurante (irrelevante para os dias atuais). Mas nas vezes que utilizei não gostei da experiência. Fui nos restaurantes mas nunca batia com o acordado com o serviço de concierge.
Seguro de viagem eu sabia que tinha direito mas preferi assinar um com mais recursos.
Sala VIP, pra ser sincero, nunca fui de pegar conexão longa. Então era irrelevante pra mim. Mas talvez eu usasse como nessa situação de ficar no aeroporto por mais tempo.

Lucas Pinheiro (@LucasMiller)

Nisso aí concordamos completamente!!! Antes de eu conseguir melhorar de vida pra ter acesso a cartões mais top, meu primeiro “benefício” que tive com um cartão foi o cashback, pelo cartão do Original, e realmente é o melhor para quem está começando a ter acesso a crédito, ou para quem n tem condições de manter um cartão de volume de gastos maior.

Felipe (@darth)

Pra meu perfil viagens, gasto pouco, eu prefiro cartão com baixo Spreed, salas vips, e cashback (no caso o inter nisso me atende perfeitamente).

Agora em questão e limite o Itaú se supera.