Início » Telecomunicações » Netflix custa o mesmo que até 3 streamings rivais, mas usuários vão migrar?

Netflix custa o mesmo que até 3 streamings rivais, mas usuários vão migrar?

Netflix Premium custa o mesmo que Amazon Prime Video, Globoplay e Disney+; diferença de preço no Brasil é ainda maior em planos anuais - confira a tabela

Felipe Ventura Por

A Netflix aumentou seus preços no Brasil em julho, com reajuste de até 22% – a assinatura passou a custar entre R$ 25,90 a R$ 55,90 mensais. Isso causou alguma polêmica na época, mas a poeira baixou desde então: deu tempo para todo mundo ver se realmente compensa cancelar e migrar para Amazon Prime Video, Disney+, Star+, Globoplay, entre tantos outros. E, conforme levantamento feito pelo Tecnoblog, é possível adquirir até três serviços de assinatura pelo preço da Netflix.

Netflix na App Store do iPad (Imagem: Souvik Banerjee / Unsplash)
Netflix na App Store do iPad (Imagem: Souvik Banerjee / Unsplash)

Netflix vs. concorrentes no Brasil

Em nosso levantamento de streamings no Brasil, reunimos os preços de assinaturas mensais – e anuais, quando disponíveis – e confrontamos com os valores que a Netflix cobra nos planos Básico, Padrão e Premium. Como a Netflix não tem cobrança anual, nós multiplicamos o valor mensal por doze para as comparações.

O plano Básico da Netflix sai por R$ 25,90 ao mês: ele permite fazer streaming a partir de apenas um dispositivo em resolução padrão 480p – ou seja, inferior a HD (720p). Globoplay e Disney+ têm preços semelhantes, porém com suporte a 4K e uso em até 5 telas simultâneas.

O plano Padrão da Netflix custa R$ 39,90 por mês, com duas telas simultâneas e streaming em até Full HD. Por um valor menor que esse, você consegue assinar dois serviços de streaming diferentes: pode ser o Prime Video com Globoplay; Prime Video com Disney+; ou Prime Video com HBO Max (multitelas).

E por R$ 55,90 mensais, preço do plano Premium da Netflix, dá para adquirir três concorrentes: Prime Video, Globoplay e Disney+. Isso acontece em boa parte porque o Amazon Prime – que inclui o Prime Video – é superbarato, cobrando somente R$ 9,90 ao mês.

Por um valor próximo ao deste plano…… você pode adquirir:
Netflix Padrão
2 telas, Full HD
(R$ 39,90 por mês)
Prime Video e Globoplay (R$ 32,80 por mês)
ou Prime Video e HBO Max multitelas (R$ 37,80 por mês)
ou Prime Video e Disney+ (R$ 37,90 por mês)
Netflix Premium
4 telas, 4K
(R$ 55,90 por mês)
Prime Video, Globoplay e Disney+ (R$ 53,80 por mês)
ou Disney+ e HBO Max multitelas (R$ 55,80 por mês)
Preços consultados em 4 de outubro de 2021.

A comparação de preços fica ainda mais complicada para a Netflix quando consideramos planos anuais dos concorrentes, que dão desconto de até 28% em relação à cobrança mensal. Por exemplo, por um valor semelhante a um ano de Netflix Premium, você pode levar o Globoplay, Disney+ e HBO Max multitelas.

Confira na tabela abaixo as principais comparações anuais que o Tecnoblog reuniu:

Por um valor próximo ao deste plano…… você pode adquirir:
Netflix Básico por 1 ano
1 tela, 480p
(R$ 310,80)
Prime Video e Globoplay (R$ 327,80 por ano)
ou Prime Video e HBO Max multitelas (R$ 328,90 por ano)
Netflix Padrão por 1 ano
2 telas, Full HD
(R$ 478,80)
Globoplay e Disney+ (R$ 454,80 por ano)
ou Star+ e Disney+ (R$ 495,90 por ano)
ou Disney+ e HBO Max multitelas (R$ 519,80 por ano)
Netflix Premium por 1 ano
4 telas, 4K
(R$ 670,80)
Prime Video, Globoplay e Disney+ (R$ 543,80 por ano)
ou Globoplay, Disney+ e HBO Max multitelas (R$ 694,70 por ano)
ou DirecTV Go com 2 anos de HBO Max incluso (R$ 699 por ano)
Preços consultados em 4 de outubro de 2021.

Efeito chamariz na Netflix

Preços da Netflix em 2021 (Imagem: Reprodução / Tecnoblog)
Preços da Netflix em 2021 (Imagem: Reprodução / Tecnoblog)

Note que a Netflix tem uma estratégia de preços diferente da concorrência, com três opções diferentes; enquanto Prime Video, Globoplay, Disney+, Star+ e outros contam com um plano só.

Isso pode estar relacionado ao “efeito chamariz” (decoy effect), uma tática de marketing que envolve oferecer três versões de um mesmo produto (Básico, Padrão e Premium) para guiar o consumidor a escolher a opção intermediária (Padrão).

“As pessoas não gostam de se sentir enganadas e não gostam de se sentir mesquinhas; então gravitamos para preços intermediários porque, dentro de um contexto, eles parecem justos”, conforme resume a The Atlantic.

Será que vale cancelar a Netflix?

Mesmo com o aumento, a Netflix conta com a inércia de clientes que simplesmente aceitaram o aumento, sem ter o trabalho de analisar se realmente vale a pena manter a assinatura – mesmo que seja bem fácil cancelar. Mas, feitas todas as comparações, ainda resta a pergunta: é vantajoso sair da Netflix e ir para a concorrência?

Netflix na TV (Thibault Penin / Unsplash)
Netflix na TV (Thibault Penin / Unsplash)

Sim, a Netflix tem a experiência de uso a seu favor: ela costuma ser mais amigável que a concorrência, com menos engasgos na reprodução e maior facilidade de navegação pelo catálogo.

Mas, no fim, essa é uma decisão que varia de pessoa para pessoa, porque serviços de streaming se diferenciam justamente pelo conteúdo exclusivo. Você não verá The Witcher no Disney+, nem Stranger Things no Globoplay ou La Casa de Papel no Prime Video – todas essas séries ficam restritas à Netflix.

Serviços de streaming não são substitutos perfeitos. Por causa disso, há muitas pessoas que não vão migrar para a concorrência: em vez disso, elas vão assinar a Netflix e algo a mais: HBO Max para reassistir Friends ou The Big Bang Theory, Disney+ para The Mandalorian e as séries da Marvel, e assim vai. Por isso, tenha certeza de que a Netflix continuará observando de perto o comportamento dos clientes no Brasil – assim como a concorrência.

Preços da Netflix e rivais de streaming no Brasil

No levantamento do Tecnoblog, ficou explícita a enorme quantidade de concorrentes da Netflix no país: o número só cresce, e escolher entre eles vem se tornando algo cada vez mais difícil. Por isso, reunimos neste link os preços do streaming de vídeo no Brasil em 2021. Juntos, esses 14 serviços passam de R$ 300 ao mês.

Tecnocast 203 – Netflix e a busca da coxinha perfeita

Vendo a concorrência ganhar mais e mais espaço, a Netflix pretende desembolsar US$ 17 bilhões em conteúdo ao longo do ano e faz planos para entrar no mercado de jogos. Vai ser o suficiente para manter o interesse do público?

Confira nossa discussão sobre as perspectivas da empresa no atual contexto e entenda a complexa teoria da coxinha perfeita (nós juramos que faz sentido e tem tudo a ver com o assunto, mas você tem que ouvir até o final). Dá o play e vem com a gente!

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
20 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Lucas Gasparotto (@TyrMenethil)

Eu praticamente tenho tudo assinado. Prime Video, Disney e Star+ (esses no nível 6 de ML por 13,90), DirecTV (com 5 anos de HBO), Apple TV+ (por causa tão somente e apenas de Fundação) e até a Paramount+ (por conta do ML tbm) e não assino mais a Netflix. Todos estes acredito estar com o valor bem justo, visto que entregam conteúdo em 4K.

A Netflix perdeu a mão faz um tempo.

Alessandro Johnny (@alejohnny)

Troquei o Netflix pelo Plex.

B (@Bruno13)

Eu só não cancelei Netflix ainda por causa da minha esposa. A TV do quarto (onde ela mais assiste) e uma LG descontinuada e não tem o app do Prime Video, que virou a opção principal em casa. E não sei o que acontece com a transmissão de tela via wi-fi naquela TV que não funciona direito, senão metia o app no celular dela e pronto!

Tiago Jeronimo (@TiagoJL)

Eu assinei o Netflix assim que foi lançado no Brasil, mas com esse último aumento cancelei e não pretendo voltar, a menos que eles lancem um plano 4k (2 telas) por um preço menor.

Guilherme Borges (@Loumier)

Eu tenho um problema com a Netflix que é: eles nunca conseguiram minha atenção. A plataforma em si é indubitavelmente superior a todos os concorrentes, porém sempre achei o conteúdo fraco. Os conteúdos de terceiros em sua maioria eram ou coisas bem antigas ou coisas que eu já havia assistido de outra forma. Enquanto o conteúdo original eu acho muito ruim, com algumas poucas exceções. No aspecto de conteúdo acho o Prime Video muito melhor, tanto o conteúdo original como o de terceiros. Mas a plataforma em si tem vários problemas (já já pior), tanto que ontem tive um problema com o Prime Video e pra não ficar quebrando cabeça eu simplesmente fui assistir algo no Netflix.

Vitor Saggioro Lins (@Vitor_Saggioro_Lins)

Acho interessante que a maioria das notícias sobre se vale a pena assinar isso ou aquilo, e outras de comparações sempre terminam com a mesma conclusão, depende do usuário.

Paulo Andador (@PauloAndador)

Hoje em dia já não é mais tão foda assim a questão do armazenamento. Google Workspace com armazenamento ilimitado está muito acessível hoje em dia, se dividir com dois ou três amigos então, fica mole. Não eu, mas “um amigo meu” tem perto de 200 TB entre séries e filmes guardados no Drive, acessados via Plex ou Infuse… Tá nadando de braçadas!

🤷‍♀️ (@xavier)

Se você paga o plano mais caro da Netflix, e considerando o preço de um Fire Stick, em apenas 4 meses após cancelar o streaming você já pagou o dispositivo.

Entendo que a realidade financeira de cada um é complexa, mas considerando que está pagando um serviço de streaming apenas e unicamente porque a TV não pega outro app, a mudança (compra de equipamento e cancelar o serviço) é o caminho mais racional possível.