Início » Finanças » Token lastreado em dívidas de SP começa em R$ 50 e promete 350% do CDI

Token lastreado em dívidas de SP começa em R$ 50 e promete 350% do CDI

Token FTPC-35782 da Foxbit é lastreado em dívidas públicas do estado de São Paulo e promete rendimento de 34,87% em 18 meses; cada unidade custa R$ 50

Bruno Ignacio Por

A Foxbit Tokens lançou um ativo digital um tanto inusitado: um token lastreado nas dívidas públicas do estado de São Paulo e que promete um retorno de até 353% do CDI ao longo de 18 meses. O investimento mínimo é de R$ 50, referente a uma unidade do ativo batizado de FTPC-35782.

Token é alternativa a opções do mercado financeiro tradicional (Imagem: Nicholas Cappello/Unsplash)
Token é alternativa a opções do mercado financeiro tradicional (Imagem: Nicholas Cappello/Unsplash)

A empresa do grupo Foxbit é especializada na negociação de ativos alternativos tokenizados e já havia lançado seu primeiro token de precatório, que representam frações de títulos do governo federal e estadual, em agosto deste ano. Segundo a companhia, o primeiro produto foi um sucesso e as unidades se esgotaram em poucos dias após seu lançamento.

Agora, o novo token FTPC-35782 prevê um retorno de 34,87%, ou 353% do CDI, com prazo estimado para pagamento em 18 meses. O rendimento prometido supera, por exemplo, a poupança e Tesouro Selic, com retornos previstos de 6,63% e 9,77% para o mesmo período, respectivamente.

Segundo a Foxbit Tokens, esse tipo de produto financeiro vem ganhando cada vez mais força no mercado, trazendo mais benefícios para investidores comuns dado seu baixo valor mínimo de aplicação e rentabilidade acima da média do mercado tradicional.

“Os ativos tokenizados são sem dúvida um dos caminhos para uma rentabilidade acima da média com risco controlado. Outro fator importante é que os ativos podem ser negociados a partir de R$50,00 a unidade, o que torna o investimento acessível a todos.”

Ricardo Dantas, CO-CEO da Foxbit, em comunicado.

Prazo de resgate pode ser antecipado

Os primeiros tokens do tipo já foram vendidos a partir de R$ 100, mas a companhia decidiu tornar o novo produto mais acessível e está o ofertando a partir de R$ 50 a unidade, com um suprimento total de 9.106 tokens disponíveis para compra.

O investidor aguarda o prazo final de pagamento pelo estado de São Paulo para receber seus retornos, mas a Foxbit Tokens afirma que é possível realizar o resgate antecipado a partir de novembro de 2021 pelo valor do token naquele momento de venda. No entanto, é cobrada uma taxa de resgate de 5%, isenta para quem aguarda o período completo.

O analista CEO da Foxbit João Canhada também afirmou em comunicado que vê um grande mercado para ser explorado. Por isso, a empresa está buscando outros tipos de ativos para serem tokenizados e ofertados, como “bras de arte, mercado imobiliário, agronegócio, entre outros.

O segundo token de precatório FTPC-35782, lastreado nas dívidas públicas do estado de São Paulo, já está disponível para compra na plataforma da Foxbit.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
6 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Sérgio (@trovalds)

Arriscado. Não pelo investimento em si mas pelas grandes chances de calote.

Explicando rasamente o que é um precatório: quando você cobra do poder público financeiramente via judiciário, ele não pode te pagar automaticamente se for condenado e esgotados todos os recursos possíveis (exceções aplicáveis). Daí o Poder Judiciário emite um “Ofício Precatório”, que é uma espécie de carta de cobrança. Essa carta de cobrança tem que ser submetida ao orçamento público da esfera em questão.

Mas o que o investimento em si tem haver com isso? Bom, é aí que entra o “mercado dos precatórios”. Existem empresas especializadas em comprar precatórios sem previsão de pagamento por uma porcentagem X do valor de face, normalmente 30% do que o precatório vale (corrigido até a data da compra). Daí essas empresas usam esses precatórios pra uma infinidade de coisas, entre elas abater dívidas públicas, por exemplo.

Daí do que entendi desse Token: ele está lastreado em um (ou alguns) precatório(s) que tem dotação orçamentária garantida. Ou seja: ele [precatório] está incluído no orçamento e vai ser pago. O cálculo aproximado do rendimento é basicamente a correção desde quando o precatório foi emitido.

Resumindo: é um investimento que promete uma excelente renda pelo prazo. MAS em contrapartida você está à mercê de um calote por se tratar de algo que envolve dívida pública.

Tio Arlequim (@Felipepperoni)

Como dizem os mais velhos: Esmola demais o Santo desconfia.