Início » Antivírus e Segurança » Google vai ativar autenticação em duas etapas para mais 150 milhões este ano

Google vai ativar autenticação em duas etapas para mais 150 milhões este ano

Google quer desenvolver tecnologia para usuários "não dependerem tanto de senhas" e reconhece que autenticação de dois fatores "não é para todos"

Pedro Knoth Por

Como parte do Mês de Cibersegurança, o Google disse em comunicado nesta terça-feira (5) que vai ativar a verificação de duas etapas (2FA) para 150 milhões de contas elegíveis de usuários até o final de 2022. Na nota de hoje, a empresa revelou o esforço para garantir mais segurança aos clientes junto às próximas medidas a serem tomadas sobre proteção contra invasões.

Ícone do Google em um iPhone
Google vai atualizar contas de 150 milhões de usuários com autenticação de duas etapas (Imagem: Brett Jordan/Unsplash)

A publicação mais recente do Google sobre a autenticação de dois fatores não revela quantas contas já receberam o update de segurança em 2021. A empresa sequer confirmou quantos usuários já estão com esse mecanismo ativado. Antes, o buscador havia dito que tornaria a 2FA como login padrão para todos os acessos.

Google vai fornecer chaves de graça para 10 mil clientes

A empresa decidiu incluir uma série de contas dentro de seu plano de 2FA, ativando a verificação para quem não havia ativado o recurso.

Hoje, ao logar em uma conta de um aplicativo Google, como o Gmail, o usuário recebe uma notificação após inserir a senha correta. Essa notificação o leva ao 2FA do serviço. Uma tela aparece com todos os dados da pessoa e pergunta se é ela mesma quem está logando no dispositivo. Ela pode confirmar clicando no botão “sim”, ou inserindo manualmente uma chave de autenticação.

Até o final deste ano, o Google fará automaticamente esse procedimento para mais de 150 milhões de usuários. A companhia também afirma que está colaborando com entidades para gerar chaves de segurança de graça para 10 mil clientes com “altos-riscos” de serem invadidos.

Para que essas chaves fossem compatíveis em todos os dispositivos, o Google implementou a ferramenta para gerá-las direto no Android e no app do Google Smart Lock para iOS.

“2FA não é para todos”, diz Google

Além disso, o time de segurança do Google está trabalhando em soluções de longo prazo para que as pessoas não precisem memorizar senhas para cada site ou serviço que acessam:

“Nós também reconhecemos que as atuais opções de 2FA não são adequadas para todos, então estamos trabalhando em tecnologias que providenciam um meio de autenticação conveniente e seguro e que reduza a dependência de senhas no longo prazo.”

Por enquanto, as pessoas ainda se apoiam nas senhas. O Google diz que, em breve, o Chrome para iOS será capaz de gerar e armazenar uma senha segura em todos os apps do sistema operacional da Apple — no momento, é possível apenas programar o navegador para preencher automaticamente dados de cadastro.

No Android, o “menu de apps do Google” logo mais deve permitir que usuários “acessem todas as senhas salvas no Gerenciador de Senhas do Google”.

Recentemente, a empresa gerou polêmica por implementar na atualização mais recente do Chrome 94 o recurso Idle Detection API, que avisa quando o usuário está ocioso. Concorrentes criticaram a nova feature: a Mozilla, dona do Firefox, afirmou que a ferramenta põe em xeque a privacidade do usuário e pode facilitar a vigilância

Com informações: 9to5Google e Google

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
1 usuário participando