Início » Legislação » MPRJ abre programa para acelerar startups que ajudam a identificar milícias

MPRJ abre programa para acelerar startups que ajudam a identificar milícias

Entidade abre concurso para incubar startups que cruzem dados financeiros e socioeconômicos para identificar e agilizar investigações sobre milícias

Pedro Knoth Por

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) anunciou a abertura de um programa de incubação para startups ligadas à área jurídica, chamado Impacta. O programa de fomentação às pequenas empresas do órgão público estadual está à procura de soluções tecnológicas para problemas como o combate a milícias e o controle da atividade policial no Rio.

MPRJ abriu concurso para startups que ajudem a identificar e mapear milícias fluminenses (Imagem: MPRJ/Divulgação)

O Impacta foi elaborado pelo Laboratório de Inovação do MPRJ (Inova_MPRJ) e executado com apoio da empresa Semente Negócios. Apesar de ser administrado pelo Ministério Público do Rio, o programa de incubação está aberto a startups de todo o Brasil.

Em uma nota divulgando o evento, o MPRJ afirma que é necessário que as startups participantes proponham soluções inovadoras para a resolução de nove desafios mapeados pela instituição.

Startup deve ajudar MPRJ a identificar milícias

Um deles é o combate às milícias cariocas, organizações que ganharam evidência e se tornaram um desafio para a Segurança Pública no estado. Recentemente, o problema das facções paramilitares no Rio afetou a operadora Oi, que mencionou a dificuldade em instalar cabos de rede em áreas controladas pelas milícias.

De acordo com o promotor de Justiça do MPRJ, Vitor Micelli, as investigações envolvendo milícias são mais complexas do que inquéritos de outros tipos, porque o Ministério Público não pode recorrer aos meios de apuração convencional.

“As milícias são feitas por agentes que estão infiltrados e fazem parte dos meios de repressão e de persecução criminal. Então a gente precisa sempre tentar estar à frente ou inovando, buscando meios de encontrar informações que sejam desconhecidos ou, ao menos, pouco utilizados.”

O promotor do MPRJ espera encontrar no programa de incubação que as empresas forneçam soluções para processar dados de forma eficaz e ágil para acelerar investigações policiais sobre milícias, que segundo Micelli, acabam muitas vezes “se prolongando”.

Programa de startups está dividido em dois módulos

O Impacta está dividido em dois módulos. No primeiro, de incubação, dez startups selecionadas pelo MPRJ devem desenvolver produtos minimamente viáveis (PMV) para três desafios principais no prazo estabelecido. Além do combate às milícias, as empresas devem abordar o enfrentamento aos crimes relacionados ao patrimônio financeiro e controle externo da atividade policial.

O segundo módulo é o de aceleração: nessa etapa, doze startups devem desenvolver soluções para outros seis desafios propostos pelo MPRJ nessa etapa do programa. São eles:

  • Integração de dados para investigações: conectar as diversas bases de dados do MPRJ para agilizar e tornar investigações mais eficientes.
  • Sistema de precedentes: soluções para automatizar a identificação de histórico criminal em processos jurídicos e procedimentos investigativos para melhorar o sistema de precedentes.
  • Automatização de providências simples: automatizar a adoção de providências em casos de menor complexidade abordados pelo órgão.
  • Mandados de prisão: aprimoramento dos mecanismos de localização de pessoas com mandados de prisão em aberto para investigações e decisões judiciais.
  • Recursos legalmente vinculados: eficiência no acompanhamento da execução de recursos legalmente vinculados para permitir ações de controle preventivas e corretivas
  • Gestão de projetos: criar um padrão para o planejamento estratégico do MPRJ, passando por formas colaborativas de gerenciamento de projetos que evitem retrabalhos e sobreposições.

Inscrições do programa Impacta vão até 19/10

O Impacta vai escolher apenas startups em fase de desenvolvimento ou comercialização em escala — mesmo que as soluções apresentadas exijam uma fase de adaptação da empresa. Os negócios escolhidos para a fase de incubação também poderão avançar para a segunda etapa do Impacta, a de aceleração, a critério do MPRJ.

“Os programas de inovação aberta possuem um diferencial promissor. Por meio deles, organizações podem investir na definição precisa dos problemas que pretendem resolver e criam condições para as empresas construírem as melhores propostas”, comenta Breno Gouvêa, Gerente do Inova_MPRJ. “Esse diferencial pode ser ainda mais promissor quando aplicado aos desafios do setor público”, completa.

As inscrições para o Impacta já estão abertas e vão até o dia 19 de outubro. Dez dias depois (29) serão anunciadas as empresas selecionadas pelo MPRJ, que devem participar do primeiro módulo de incubação. No dia 19 de novembro, serão anunciadas as vencedoras que participarão do módulo de aceleração.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
3 usuários participando