Início » Jogos » Epic Games quer acolher os jogos em blockchain banidos do Steam

Epic Games quer acolher os jogos em blockchain banidos do Steam

Jogos com comércio de criptomoedas poderão ser publicados na Epic Games Store, mas ainda não há previsão para isso acontecer

Por

A Epic Games está oferecendo espaços em sua loja virtual aos desenvolvedores de jogos baseados em criptomoedas. A ideia da empresa é acolher na Epic Games Store os games baseados em blockchain que estão sendo banidos do Steam, devido às novas regras da Valve. Porém, ainda não há previsão para o lançamento desses títulos na plataforma, nem menção sobre NFT.

Epic Games Store vai expandir catálogo (Imagem: Divulgação/Epic)
Epic Games Store (Imagem: Divulgação/Epic Games)

Ao The Verge, a Epic Games garantiu que os jogos em blockchain serão bem-vindos na loja virtual do PC, mas com algumas limitações. De acordo com a empresa, os desenvolvedores terão que obedecer às legislações fiscais dos países, deixar claro nas descrições dos games como a tecnologia blockchain será usada e incluir classificações de idade apropriadas.

Além disso, os criadores de games e os jogadores não poderão usar os métodos de pagamento tradicionais da Epic Games Store — como boleto ou cartão de crédito — para realizar transações com criptomoedas. Em vez disso, será preciso implementar sistemas de cobrança próprios e externos.

Em relação a NFT — non-fungible tokens ou tokens não fungíveis, em português —, o CEO da Epic Games, Tim Sweeney, disse ao The Verge que a empresa ainda não pretende trabalhar com essa tecnologia. Contudo, Sweeney pretende conversar com os desenvolvedores para entender melhor o uso dos NFT nos jogos.

No Twitter, o CEO aproveitou para explicar o posicionamento da Epic Games nessa polêmica do blockchain. Para ele, por mais que sua própria empresa não use criptomoedas nos jogos, é importante “abraçar inovações nas áreas de tecnologia e finanças”.

“Como tecnologia, o blockchain é apenas um banco de dados transacional distribuído, com um modelo de negócios descentralizado que incentiva o investimento em hardware para expandir a capacidade do banco de dados. Isso tem utilidade, mesmo que seus usos específicos não sejam bem-sucedido”.

Tim Sweeney, CEO da Epic Games, em tweet.

Jogos em blockchain ainda não têm casa garantida

Mesmo com toda essa suposta positividade da Epic Games em relação a jogos em blockchain, os desenvolvedores ainda não têm um lugar confiável para publicarem suas criações. O programa de autopublicação da Epic Games Store — semelhante ao Steamworks — ainda está em beta fechado e não permite a entrada de qualquer um.

Também é preciso analisar com cuidado a movimentação da Epic Games, pois a empresa não costuma medir esforços na hora de bater de frente com suas concorrentes.

Na briga contra a Apple, por exemplo, a criadora de Fortnite usou estratégias questionáveis, como quebras de contrato por omissão apoiadas por campanhas de marketing, para criticar a taxa de 30% sobre microtransações cobrada pela App Store do iOS.

No caso dos jogos em blockchain, o posicionamento da Epic Games pode ser muito mais uma forma de confrontar a Valve do que proteger os criadores de games e o mercado de criptomoedas. Vale mencionar que Sweeney confirmou em um tweet que não tem o mínimo interesse em incluir tecnologias blockchain em seus próprios games.

Com informações: The Verge.