Início » Aplicativos e Software » Uber Planet compensa emissões de carbono e cobra a mais por isso

Uber Planet compensa emissões de carbono e cobra a mais por isso

Uber Planet tem tarifa mais alta que UberX para comprar créditos de carbono gerados pela preservação da Floresta Amazônica

Por

Uma novidade interessante para quem se preocupa com o meio ambiente: a Uber vai passar a oferecer uma modalidade que compensa as emissões de carbono da viagem. Ela se chama Uber Planet e estará disponível inicialmente em cinco cidades brasileiras, a um valor um pouco acima do normal.

Aplicativo da Uber (Imagem: Priscilla Du Preez/Unsplash)
Aplicativo da Uber (Imagem: Priscilla Du Preez/Unsplash)

A compensação das emissões é feita por meio de uma parceria com a companhia Carbonext. A Uber compra créditos de carbono, que são gerados mantendo em pé as árvores da Floresta Amazônica brasileira. Do outro lado, a Carbonext investe em projetos de preservação de áreas em risco de degradação.

“Para a Floresta, os créditos funcionam como uma alternativa economicamente viável à derrubada das árvores para plantio de soja, pecuária ou venda ilegal de madeira”, diz Janaína Dallan, CEO da Carbonext. Dallan afirma que 70% da renda gerada pela comercialização dos créditos de carbono volta para a população que mora na região.

Uber Planet é mais caro

A Uber estima que as viagens com o Planet são, em média, 5% mais caras do que com o UberX ou com o Comfort — as duas modalidades terão a opção de compensar as emissões. A empresa enviará mensalmente ao usuário um relatório com a quantidade de CO2 compensada em suas viagens.

Preços do Uber com a nova modalidade Uber Planet
Preços do Uber com a nova modalidade Uber Planet (Imagem: Divulgação/Uber)

Por enquanto, o Uber Planet estará disponível apenas em cinco cidades: Florianópolis (SC), Natal (RN), Maringá (PR), São José dos Campos (SP) e Campos dos Goytacazes (RJ).

Aplicativos de transporte são mais poluentes

De acordo com um estudo divulgado em 2020 pela Union of Concerned Scientists (UCS), os carros particulares de aplicativos são a modalidade de transporte mais poluente. A pesquisa afirma que eles emitem em média 69% mais gases nocivos que ônibus ou bicicletas e 47% mais que carros particulares.

Os cientistas consideram que os momentos que os veículos trafegam sem nenhum passageiro contribuem com a poluição. Além disso, há um aumento de uso de carros particulares por passageiros que recorreriam ao transporte público ou simplesmente não fariam aquela viagem.

Por outro lado, o Uber Planet não é a única ação da empresa nesse sentido. A Uber pretende que 100% de suas viagens nos EUA, no Canadá e em algumas cidades europeias sejam feitas com veículos elétricos até 2030. A companhia também quer se tornar uma plataforma com emissão zero de carbono até 2040.

Google Maps tem opção para reduzir emissões

A Uber não é a única empresa de mobilidade a dar opções para os usuários que querem reduzir seu impacto no meio ambiente. Para quem tem seu carro próprio, o Google Maps passou a mostrar recentemente rota com menos emissões de carbono, estimando o caminho mais econômica em termos de combustível entre as opções. Por enquanto, essa novidade ainda não chegou ao Brasil.