Início » Aplicativos e Software » Windows XP, a estrelinha azul e a cliente que foi “ludibriada” pela Microsoft

Windows XP, a estrelinha azul e a cliente que foi “ludibriada” pela Microsoft

Windows XP foi lançado há 20 anos; confira diálogo de vídeo clássico envolvendo cliente que usava cópia não original do sistema e reclamou com a Microsoft

Por

O Windows XP está comemorando o aniversário de 20 anos: lançado em 25 de outubro de 2001, o sistema operacional marcou a vida de milhões de brasileiros porque foi a porta de entrada para quem usava um PC pela primeira vez. É por isso que o XP traz consigo uma onda de nostalgia: o papel de parede com as colinas verdes, as cores fortes da interface, programas integrados como o MSN…

Mas, para mim, o que mais me marcou foi um vídeo – agora um clássico do YouTube – sobre uma cliente reclamando que havia sido ludibriada pela Microsoft. Permita-me explicar.

Windows XP rodando em um MacBook (Imagem: Chris Hartford / Flickr)
Windows XP rodando em um MacBook (Imagem: Chris Hartford / Flickr)

Primeiro, o contexto: o Windows XP foi a primeira versão a vir com o WGA (Windows Genuine Advantage). Era uma forma de a Microsoft combater a pirataria, obrigando o PC a fazer uma validação online ao usar serviços como o Windows Update. Se a cópia fosse pirata, ela poderia não passar no teste.

Nesse caso, o usuário veria um ícone azul de estrela e um balão dizendo que o sistema não era original, e que seria necessário adquirir uma licença. Na época, a Microsoft até impedia que PCs piratas baixassem atualizações do Windows Update, exceto por correções críticas de segurança.

O vídeo, que eu devo ter assistido lá pelos idos de 2007, existe em várias formas no YouTube: temos o “Mulher Louca Vs. Microsoft”, “Quebra pau entre Atedente da Microsoft com cliente”, ou simplesmente “Windows Xp Pirata”. (Curiosamente, eu tive dificuldade em encontrá-los através da busca; a plataforma do Google preferiu recomendar tutoriais contra a ativação do XP.)

"Esta cópia do Windows não passou no teste de validação do Windows original" (Imagem: Reprodução / YouTube)
“Esta cópia do Windows não passou no teste de validação do Windows original” (Imagem: Reprodução / YouTube)

Se você usava um PC nos anos 2000, talvez já tenha ouvido falar desse vídeo: uma cliente liga para a Microsoft questionando a tal estrelinha no canto direito da tela. O ícone vem acompanhado de uma mensagem dizendo que a usuária poderia ter sido vítima de falsificação. Ela quer tirar essa estrelinha o quanto antes, mas não quer ajudar o atendente – que insiste em pedir nome completo, e-mail e telefone para abrir o chamado.

OK, mas qual é o problema da estrelinha? A usuária diz que o ícone “está me incomodando” e que o PC “agora está até travando”. Pior: a Microsoft avisa que, como o Windows XP não é original, ele deixará de receber atualizações – “e eu quero tirar isso porque eu quero atualizar”, diz a cliente. Nesse meio tempo, rola uma confusão sobre o que é software e o que é atualização.

Eis que a mãe da cliente entra na história, alegando que foi ludibriada pela Microsoft porque colocaram uma estrelinha no computador dela, que ela pagou, sem avisarem. Mesmo rodando o XP pirata, ela ameaça recorrer ao Juizado de Pequenas Causas (hoje chamado de Juizado Especial Cível) para ir atrás dos próprios direitos. Aí começa uma baixaria que é melhor nem explicar – só vendo o vídeo para entender.

Em homenagem ao Windows XP, transcrevo abaixo – sem alterações nem correções – todo o diálogo deste vídeo clássico que faz parte da história do sistema operacional no Brasil. Se o vídeo é real? No meu coração, é sim, e é tudo o que importa nesta data de comemoração.

Ato 1: A Estrelinha Está Me Incomodando

Roberto: Microsoft, Roberto Pereira, boa tarde. Com quem falo, por gentileza?

Kátia: Você fala com Kátia.

R: Boa tarde, senhora Kátia, é o primeiro contato com a Microsoft ou já possui cadastro?

K: Não, já… eu já fui… já contatei com relação… com vocês ontem, mas eu não me cadastrei.

R: Ah, a senhora não fez cadastro?

K: Não. Acho que não… Não. Não fiz, não.

R: Podemos checar! Qual é o seu nome completo, e-mail e telefone?

K: Não, então, então eu não fiz (riso nervoso). Não, então eu não fiz. Se deu o nome completo, eu não fiz, então.

R: OK. Já…

K: Então, desculpa, é… É que é o seguinte, ontem eu estava fazendo uma atualização – desculpa, antes de ontem – atualização constante no meu computador como de rotina, certo? E até então no meu computador, apareceu a atualização, eu fiz, depois apareceu uma estrela azul no lado esq… no lado do horário, falando que eu fui vítima de um software falsificado, certo? No caso, do XP.

R: Sim.

K: Eu queria saber como é que eu faço pra tirar essa estrelinha porque ela está me incomodando. O computador já tá dando problema com relação a essa estrelinha.

R: A estrelinha que tá avisando que seu sistema não é original, é isso?

K: Isso!

R: Tá correto, senhora. Eu sou um pré-atendimento, faço abertura do chamado…

K: Oi?

R: Eu faço abertura de chamado para (inaudível) auxiliar no processo.

K: Ahn.

R: Já que a senhora não tem cadastro, vou ter que fazer um breve pra poder gerar o chamado, tudo bem?

Ato 2: Não Foi Avisado Que Seria Um Software

K: Vai ter que fazer cadastro… Mãe, vai ter que cadastrar. Não, meu, eu só quero saber, entendeu? (Ruídos da mãe ao fundo) Eu só quero saber, porque vocês mandaram para mim como uma atualização…

R: Sim.

K: E ontem, eu falei com um rapaz, né, na… acho que foi em outro lugar lá que eu falei com um atendente, ele me disse que isso era um software, certo? Aí depois a Natália disse que não era um software, que era um programa que instalaram mesmo, e que conforme o tempo, o meu computador não vai ter mais atualização nenhuma. E eu quero tirar isso porque eu quero atualizar. Eu só quero saber como é que tira, não vou me cadastrar em porcaria nenhuma, eu só quero saber como é que tira.

R: Senhora, sem eu efetuar a abertura do seu chamado, não tem como a gente proceder e nem transferir a ligação para nenhum setor.

K: Como não? Como não?

R: Esse é um processo, senhora. A senhora quer ser auxiliada? A senhora tem que seguir os padrões dentro… (inaudível)

K: E quais são os padrões… pra vocês mandarem pra mim um software sem eu querer, vocês não precisaram de padrão nenhum, então…

Atualizações do Windows XP (Imagem: David Fulmer / Flickr)
Atualizações do Windows XP (Imagem: David Fulmer / Flickr)

R: A atualização, senhora, é disponibilizada no sistema mediante a sua liberação no sistema.

K: Mas não foi avisado em momento nenhum, não foi avisado que seria um software, uma porcariazinha que estaria instalando no meu computador. Não foi avisado, apenas isso. Uma… “Existe uma atualização para você, deseja instalar a atualização?” Atualização comum, como todas as outras vezes eu instalei, não mostrou que era um software ou algo parecido.

R: Mas é um software, essa é uma atualização também.

K: Ah, é uma atualização? Então eu vou ficar com essa porcaria aí até quando?

R: A senhora sabe o que é atualização?

K: Sei, perfeitamente. Só que a mocinha já me disse que isso não era uma atualização qualquer, era um software.

R: Toda e qualquer atualização, senhora, é um software.

K: Uhm-rum. Tá, mas esse aí vai ficar no meu computador, tanto é que ele não sai. Tanto é que eu fui nas atualizações, procurei e ele não sai. Eu quero tirar ele.

R: Para que possamos fazer isso, nós temos que abrir um chamado.

K: O que é que eu preciso pra abrir esse maldito desse chamado?

R: É o que eu pedi pra senhora.

K: Ahn, só o nome?

R: Nome completo, e-mail e telefone, e eu vou fazer a checagem pra identificar o produto.

K: Então você precisa de tudo da minha vida só pra mim fazer uma reclamação. Eu só quero saber como é que tira.

R: Toda sua vida, não: nome completo, e-mail e telefone.

K: (Leve riso.) Minha vida, praticamente. Você, também, só falta querer saber outras coisas. Então, eu só quero… (Ruídos da mãe ao fundo.) Eu só quero saber uma coisa: como é que eu tiro. Você já não falou isso para outras pessoas? Com certeza você vai saber me informar, certo?

Todas as vezes, outras pessoas já te ligaram perguntando a mesma coisa que eu estou te perguntando: como é? Que eu tiro? Essa estrelinha? Ela já está dando problema no meu computador. Antes dessa maldita estrela estar no meu computador não tinha acontecido nada; agora está até travando. Eu quero tirar. Você já deve ter avisado isso pra outras pessoas, então pode me informar.

R: Só uma in…

K: Não tem um superior dessa porcaria dessa Microsoft?

Bill Gates
Bill Gates (Imagem: Divulgação / Netflix)

R: Só uma informação, senhora. Pra eu poder fazer o procedimento que a senhora está me solicitando, a senhora tem que seguir os padrões pra isso.

K: Ah, que padrão, que b**** de padrão!… (Kátia larga o telefone e sai de cena.)

Ato 3: Eu Fui Ludibriada Pela Microsoft

Mãe da Kátia: Alô?

R: Sim, senhora, estou aqui na linha, é o Roberto da Microsoft.

M: Ah, Roberto, ah sim, é minha filha que tava falando com você. É o seguinte, Roberto: mandaram alguma coisa pro meu computador, certo?

R: Sim.

M: Como uma atualização, certo?

R: Sim.

M: Então eu já fui enganada nisso, certo? Aí já fui ludibriada pela Microsoft. Agora tem uma estrelinha aqui, diz que não vou mais poder fazer atualizações no MEU computador que EU paguei, eu não roubei, certo? Vocês mandaram… Agora precisa ter padrão pra quê, filho? Se pra mandar essa burusqueta, essa b****, esse c***** dessa estrela, vocês não precisaram de padrão nenhum?

Só que se acontecer qualquer coisa com o MEU computador e vocês não tomarem providências urgentes, eu estou indo no pequenas causas. Existe lei, sabia? Eu aceitei uma coisa que vocês me enganaram, e eu tenho prova que está aqui no meu computador.

E eu só quero tirar essa b**** daqui que eu não fui vítima coisa nenhuma – eu pus um software falsificado e eu sabia disso. Só isso. Pra vocês mandar, vocês não precisaram de nada, nenhum dado, certo? Agora vocês tão precisando de dado? Por quê? Qual é o procedimento, então, seu? De estragar a vida dos outro? Ou só o meu computador que tá acontecendo isso?

R: Não, senhora… todo e qualquer sistema operacional que está com o software não original, vai aparecer essa mensagem.

"Você pode ter sido vítima de falsificação de software", avisa Windows XP (Imagem: Reprodução)
“Você pode ter sido vítima de falsificação de software”, avisa Windows XP (Imagem: Reprodução)

M: É, querido? Então vocês podem TIRAR, AGORA, ou… me passa pra algum superior seu. Porque vocês não vão querer ver o nome da Software, d- do Microsoft nas notícias dos jornais, você concorda comigo? Que eu vou procurar meus direito. Vocês não podem mandar NADA pra ninguém sem falar o que é do que eu estou aceitando. Você concorda comigo?

Eu fui ludibriada pela Microsoft e quero que vocês reparem este erro. Só isso. Não estou pedindo que você mate, roube ninguém. Só isso que eu tô te pedindo. Você pega essa porcaria dessa estrelinha e enfia no teu **. Só que eu quero que você tire essa m**** do meu computador, você tá entendendo? Você está entendendo o que eu tô falando?

Ato 4: Baixo Calão É O C*****

R: Enquanto a senhora não falar menos palavrões…

M: Não, filho, não, filho…

R: … e não seguir…

M: Eu falo palavrão porque eu estou na minha CASA, no meu TELEFONE! E eu não pedi nada pra você! Estou te falando, tô te pedindo pra fazer o SEU SERVIÇO! Eu não tô te pedindo nada não, filho, eu não fui na tua casa pedir dinheiro pra comprar nada, não! Eu nem te conheço! Eu só quero que vocês tirem uma coisa que vocês puseram no meu computador.

R: Senhora, a partir do momento em que a senhora utiliza de palavras que são de baixo calão…

M: Ah, baixo calão é o c*****, vai tomar no seu **. BAIXO CALÃO É O C*****! Eu tô no meus direito! Entendeu? Entendeu o que eu tô falando, meu filho? Eu estou no meus direito, falo mesmo. E grava tudo o que eu tô falando! Porque na hora que eu tiver que ir no pequenas causa, pode levar isso gravado! Que eu sou mulher de assumir o que eu faço!

R: Não existe… não existe direito nenhum quando a senhora…

M: Não, existe SIM! Existe, que ninguém tira meu direito de consumidora legal nesse país! Ninguém me tira meu direito! E não é um borra-b**** como você que vai me tirar o direito! Direito eu tenho, SIM! Entendeu? Agora, eu não admito que alguém mande alguma coisa pro meu computador e mande eu instalar com boa-fé, vou e instalo, e é uma b****! Entendeu? Passa pro seu superior, por favor, que eu xingo ele também!

R: Senhora…

M: Pode… pode passar p- p- pra algum superior seu…

R: … o procedimento é…

M: … nessa b****, alguém que seja superior.

R: O procedimento é: só auxiliaremos mediante o seu cadastro…

M: Ahn!

R: … e a validação do seu produto.

M: É, né? A-hã…

R: Sem seguir esse padrão, não temos como auxiliar a senhora.

M: Aaaaaaah certo, então meu filho, então meu filho, eu vou no pequenas causa e vocês vão responder lá. E leva essa fita gravada que eu xinguei. Pode levar, tá bom? Porque você vai ser chamado, tá bom? Você entendeu o que eu falei?

R: Claramente…

M: Vai tomar no seu **!

R: Mais alguma informação?

Fim