Início » Finanças » Criptomoeda inspirada em Round 6 colapsa e se revela golpe milionário

Criptomoeda inspirada em Round 6 colapsa e se revela golpe milionário

Inspirada em Round 6, criptomoeda "Squid" atrai milhares de investidores antes de colapsar; criadores desaparecem com milhões de dólares

Por

Uma criptomoeda recém-criada e inspirada em Round 6 (Squid Game), a popular série coreana da Netflix, se revelou como um golpe milionário nesta última segunda-feira (1), lesando dezenas de milhares de investidores. O token “Squid” despencou de um preço de US$ 2,8 mil para quase zero em poucas horas, logo após seus criadores desaparecerem e do site oficial do projeto ser retirado do ar.

Round 6, série da Netflix
Round 6 (Imagem: Divulgação / Netflix)

A criptomoeda inspirada em Round 6 começou a ser negociada no início da semana passada e rapidamente se tornou notícia em veículos do mundo todo. O Gizmodo chegou a alertar que o funcionamento do token Squid era muito suspeito e que tudo seria um “óbvio golpe”, mas dezenas de milhares de investidores compraram o ativo, alguns acreditando ser um produto autorizado pela própria Netflix.

O site oficial do token Squid parece ter sido retirado do ar. As redes sociais relacionadas a seus desenvolvedores foram desativadas, os e-mails enviados ao endereço do projeto retornam e sua conta do Twitter não está mais aceitando mensagens diretas ou respostas. Ao que tudo indica, estamos falando de um golpe “rug pull”, no qual os criadores de um ativo digital desaparecem com o dinheiro dos investidores.

Token Squid despenca de US$ 2,8 mil para quase zero

A moeda digital pareceu promissora durante sua primeira semana de operação. Em seu lançamento na segunda-feira, 25 de outubro, o preço de cada Squid era de apenas US$ 0,01. O ativo passou por valorizações constantes e abriu o dia de ontem valendo US$ 38, de acordo com dados do CoinMarketCap.

No entanto, o comportamento da criptomoeda inspirada em Round 6 mudou por completo nesta última segunda-feira. O preço do Squid decolou e, em menos de quatro horas, saiu de US$ 38 para atingir uma máxima de US$ 2.856. Porém, cinco minutos depois, o ativo despencou e seu valor se aproximou a zero, negociado por apenas US$ 0,0007 na exchange descentralizada de criptomoedas Pancakeswap.

Preço do Squid token nos últimos sete dias (Imagem: Reprodução/ CoinMarketCap)
Preço do Squid token nos últimos sete dias (Imagem: Reprodução/ CoinMarketCap)

Criptomoeda inspirada em Round 6 dificultava venda

De acordo com o BscScan, um mecanismo de pesquisa e plataforma de análise de blockchain, mais de 40 mil pessoas ainda possuíam o token no momento da queda. O filipino Jonh Lee foi um dos lesados pelo esquema. Ele disse ao New York Times que gastou cerca de US$ 1.000 em Squid, acreditando “instintivamente” que o projeto havia sido aprovado pela Netflix.

Porém, o funcionamento da criptomoeda surpreendeu Lee e muitos outros investidores. Eles não podiam simplesmente vender seus tokens. Um dos mecanismos suspeitos só permitia a venda se o número de compradores fosse maior que o de vendedores em uma proporção dois para um. Além disso, a venda só seria autorizada mediante a compra de uma segunda moeda digital, chamada Marbles.

Moedas representando criptomoedas ao lado de um smartphone
Criptomoedas (Imagem: Alesia Kozik/ Pexels)

Essa criptomoeda só poderia ser obtida através de um jogo online inspirado na série da Netflix. Para participar do primeiro jogo, por exemplo, os investidores precisavam pagar uma taxa de entrada gigantesca, de 456 Squid. Os níveis subsequentes custam milhares de tokens para entrar. Segundo o “white paper” da moeda, esses mecanismos eram medidas de segurança contra esquemas “pump and dump”.

Ouvida pelo New York Times, a editora do CoinMarketCap Yousra Anwar afirmou que tais mecanismos visam conter travamentos, não impedir os investidores de vender seus ativos no curso normal das negociações. Essas medidas impediram muitas pessoas de se livras de seus Squids conforme o valor despencava.

Criadores desaparecem após colapso da criptomoeda

Até o momento, a identidade dos criadores ainda é um mistério. Eles desapareceram logo após o preço do Squid despencar. Suas redes sociais foram desativadas e o site oficial do projeto está fora do ar.

Criadores do token Squid desaparecem com dinheiro de investidores (Imagem: B_A/Pixabay)
Criadores do token Squid desaparecem com dinheiro de investidores (Imagem: B_A/Pixabay)

Segundo Molly Jane Zuckerman, chefe de conteúdo da CoinMarketCap, trata-se de um clássico golpe “rug pull”. Ela disse ao New York Times que o comportamento dos desenvolvedores os incrimina:

“Não estou vendo os criadores ficarem online e dizer: ‘Esperem, nos desculpe, vamos resolver isso’, que é o que acontece quando há algum tipo de problema não intencional.”

Ainda é difícil estimar quanto dinheiro pode ter sido levado pelos golpistas. Conforme aponta o BscScan, os fundos foram convertidos em outras criptomoedas e direcionados a duas carteiras digitais. Uma delas recebeu aproximadamente US$ 3,38 milhões através da conversão de Squid em Binance Coin (BNB) realizada no Pancakeswap.

Por fim, as transações eram realizadas usando o Tornado Cash, um “misturador de moedas” e software que atua como intermediário entre as partes e dificulta o rastreamento das transferências de criptomoedas.

Com informações: The New York Times