Início » Legislação » Google analisa retorno do Notícias à Espanha mediante negociação com jornais

Google analisa retorno do Notícias à Espanha mediante negociação com jornais

Com aprovação de uma lei de copyright na Espanha, o Google pode reinaugurar o Google News no país, mas teria que negociar com veículos de notícia pelo conteúdo

Por

O Google News deixou a Espanha em 2014 após a aprovação de uma lei que obrigava plataformas que republicavam notícias a pagarem uma taxa coletiva aos sites mencionados. Agora, o país adotou a lei de direitos autorais da União Europeia, que retira a taxa coletiva, mas obriga o Google a negociar contratos individuais com veículos para um espaço na página do serviço.

Ícone do Google
Ícone do Google (Imagem: Brett Jordan/Unsplash)

Lei prevê que Google News pague em contratos individuais

A nova lei de copyright foi aprovada nesta terça-feira (2) na Espanha. A sanção pavimenta o retorno do Google News ao país ibérico, já que o serviço havia sido removido do país em 2014. O Google vê agora um “ambiente favorável” para a reinauguração.

A legislação da UE sobre direitos autorais obriga grandes empresas de tecnologia, como o próprio Google e o Facebook, a pagarem pelo conteúdo publicado por sites de notícias. Mas a lei também determina que as companhias podem chegar a acordos individuais para dividir a receita, tornando obsoleta a taxa coletiva.

O Google disse à Reuters que gostaria de trazer o Google News de volta à Espanha, mas que analisaria com cuidado a nova lei de copyright antes de tomar qualquer decisão.

“Baseado nas informações iniciais… As condições para o potencial lançamento do Google News na Espanha são promissoras. Contudo, vamos precisar de uma análise na legislação antes de fazer qualquer tipo de anúncio formal”, diz um porta-voz do Google.

Associação de sites de jornalismo comemora aprovação

O ministro da Cultura espanhol afirma que a lei é um avanço em direção à era digital, e que ajudaria artistas e criadores a receberem por seu trabalho.

Já Arsenio Escolar, presidente da CLABE (Clube Aberto de Editores, em tradução livre) — que reúne um grupo de algo em torno de mil veículos de notícia, dentre eles os populares El Espanhol e Eldiario.es — mostrou-se satisfeito com a aprovação:

“Estamos felizes porque veículos da mídia retomaram as rédeas do uso, sequestrados há alguns anos por uma lei que nós da CLABE sempre consideramos injusta e ofensiva”

Não é a primeira vez que o Google é obrigado por lei a pagar pelo conteúdo publicado em seu serviço de notícias. Na verdade, algo bastante parecido aconteceu na Austrália. Mas a companhia ameaçou suspender a atividade de seu buscador no país, caso uma lei que a obrigava a pagar sites de notícias pelo conteúdo em pesquisas fosse aprovada.

Com informações: Reuters