Início » Telecomunicações » Na briga pelo 5G, Claro, TIM e Vivo garantem espaço na faixa mais importante

Na briga pelo 5G, Claro, TIM e Vivo garantem espaço na faixa mais importante

Frequências nacionais de 3,5 GHz são arrematadas por Claro, TIM e Vivo no leilão do 5G; operadoras devem instalar nova rede em capitais até julho de 2022

Por

A Anatel realiza nesse momento o leilão do 5G, e as grandes operadoras já garantiram espectro em 3,5 GHz, que é a frequência mais cobiçada para a quinta geração. Claro, TIM e Vivo arremataram blocos com capacidades de 80 MHz e 20 MHz para atuação nacional, e devem ter o serviço operando em todas as capitais até julho de 2022.

5G (Imagem: Divulgação/Huawei)
Claro, TIM e Vivo garantem frequências para 5G (Imagem: Divulgação / Huawei)

Veja os valores pagos pelas frequências e o respectivo ágio:

OperadoraValor do lanceÁgio
Claro
Lote B01
80 MHz de espectro em 3,5 GHz
R$ 338 milhões5%
Vivo
Lote B02
80 MHz de espectro em 3,5 GHz
R$ 420 milhões30,69%
TIM
Lote B03
80 MHz de espectro em 3,5 GHz
R$ 351 milhões22%

A frequência de 3,5 GHz é a mais importante para a oferta de serviços de quinta geração. A capacidade de espectro de 80 MHz permite que as teles atendam uma grande quantidade de dispositivos simultâneos com velocidades muito superiores ao 4G.

Com o arremate, Claro, TIM e Vivo deverão instalar 5G em todas as capitais brasileiras até julho de 2022. Outros compromissos envolvem a criação de uma rede privativa para o governo federal, migração da TV aberta via satélite para a banda Ku e o projeto Norte Conectado, que expande fibra óptica em localidades da região.

Vale destacar a ausência que a ausência da Oi Móvel já era esperada: a operadora vendeu o braço de telefonia celular para Claro, TIM e Vivo por R$ 16,5 bilhões e aguarda aprovação do negócio por parte do Cade e Anatel.

Anatel tinha quarto lote nacional, mas ninguém quis

O leilão do 5G previa quatro lotes na frequência de 3,5 GHz, mas não houve nenhuma proponente além de Claro, TIM e Vivo para a licença nacional.

Sendo assim, o espectro remanescente será fatiado em quatro novos blocos regionais de 20 MHz. Claro, TIM e Vivo arremataram essa capacidade adicional para inteirar a licença em 100 MHz, máximo permitido pela Anatel na frequência de 3,5 GHz.

Veja como foram os lances:

OperadoraValor do lanceÁgio
Claro
Lote D33
20 MHz de espectro em 3,5 GHz
R$ 80,338 milhões0%
TIM
Lote D34
20 MHz de espectro em 3,5 GHz
R$ 80,337 milhões0%
Vivo
Lote D35
20 MHz de espectro em 3,5 GHz
R$ 80,337 milhões0%