Início » Celular » iPhone 13 requer “transplante” de chip para trocar tela sem pagar à Apple

iPhone 13 requer “transplante” de chip para trocar tela sem pagar à Apple

Face ID do iPhone 13 para de funcionar ao realizar a troca de tela do celular em assistências técnicas independentes devido a um pequeno chip

Por

Logo após o lançamento do iPhone 13, descobriu-se que o Face ID para de funcionar ao trocar a tela do celular da Apple em assistências independentes. Mas existe uma maneira de realizar o procedimento sem desativar a ferramenta de reconhecimento facial ao “transplantar” um pequeno chip do display durante a mudança do componente. É o que conta o iFixit em um artigo publicado nesta quinta-feira (4).

Face ID do iPhone 13 Pro Max para de funcionar após a troca da tela (Imagem: Reprodução/iFixit)
Face ID do iPhone 13 Pro Max para de funcionar após a troca da tela (Imagem: Reprodução/iFixit)

A discussão retorna à descoberta sobre o smartphone feita ainda em setembro. No dia 23 daquele mês, o canal do YouTube Phone Repair Guru mostrou que, ao fazer a reposição do display, o celular emite um aviso de que a tela não é genuína. Mas o maior impacto acontece no Face ID, que deixa de funcionar após a realização da troca.

Agora, o iFixit trouxe mais detalhes sobre o caso. De acordo com o site, a restrição acontece devido a um pequeno chip da tela. Este chip é capaz de autenticar o display ao número de série do celular. Caso o código da peça seja diferente do esperado, o smartphone não irá reconhecer o painel como genuíno, mesmo que seja original.

O canal do YouTube iCorrect demonstrou como isto se aplica na prática. O vídeo mostra dois iPhone 13 com telas originais. A princípio, tudo funciona normalmente mesmo quando os painéis estão soltos. Mas ao colocar o display de uma unidade em outra, o smartphone alerta que a peça não é genuína e informa que o Face ID está desativado.

Limitação dificulta troca de tela do celular da Apple

A limitação pode atingir justamente as assistências independentes. Isto porque somente estabelecimentos autorizados pela Apple têm acesso à ferramenta necessária para autenticar a nova peça ao fazer a troca. Este procedimento é realizado através de um app conhecido como Apple Services Toolkit 2, que é restrito a parceiros da fabricante.

Caso contrário, é preciso “transplantar” o chip da tela antiga para a nova para que o Face ID funcione. Mas o processo é complexo e requer ferramentas especiais retirar e soldar o chip. Ou seja, além de mais trabalhoso, torna-se mais caro às assistências que precisarão se especializar ainda mais para fazer esse tipo de serviço.

“É importante notar como isso é completamente sem precedentes. A substituição da tela é incrivelmente comum”, pontuou o artigo do iFixit. “Dezenas de milhares de oficinas de reparo em todo o mundo apoiam suas comunidades substituindo as telas para os clientes a preços competitivos. E a Apple está, de uma só vez, aparentemente cortando a indústria de joelhos.”

Sim, é desse pequeno chip no tamanho de um grão de arroz que estamos falando (Imagem: Reprodução/iFixit)
Sim, é desse pequeno chip do tamanho de um grão de arroz que estamos falando (Imagem: Reprodução/iFixit)

Consequentemente, também torna-se mais complicado para fazer a mudança em casa. Enquanto isso, a Apple cobra quase o preço de lançamento do Samsung Galaxy A32 4G (R$ 2.699) fazer o reparo da tela (fora da garantia) no sucessor do iPhone 12 Pro Max. Veja os valores do serviço a seguir:

“Estes preços se referem apenas aos reparos realizados em uma Central de reparos Apple ou em uma Apple Store em São Paulo ou no Rio de Janeiro”, informa a página de suporte da companhia. “Os Centros de Serviço Autorizado Apple (AASPs) podem definir seus próprios preços.”

iPhone 13 (Imagem: Reprodução / Apple)
iPhone 13 (Imagem: Reprodução / Apple)

Apple começa a vender iPhone 13 no Brasil

O iPhone 13 já está disponível no Brasil. A nova geração de celulares da Apple começou a ser vendida em 22 de outubro para o público brasileiro. Em comum, o quarteto vem com o processador Apple A15 Bionic na ficha técnica, iOS 15, câmera com Modo Cinema, suporte ao 5G e notch reduzido.

O iPhone 13 e a edição Mini continuam com câmera dupla de 12 megapixels. A tela da dupla mede 6,1 e 5,4 polegadas, respectivamente, e mantém a tecnologia OLED implementada na geração anterior. Além disso, a Apple aumentou a quantidade mínima de armazenamento dos celulares de 64 GB para 128 GB.

As edições Pro têm telas de 6,1 e 6,7 polegadas, respectivamente. O destaque fica pela taxa de atualização que varia de 10 Hz a 120 Hz graças à tecnologia ProMotion. Atrás, os telefones ainda têm três câmeras de 12 megapixels com sensor LiDAR. É possível comprá-los com até 1 TB de armazenamento.

O iPhone 13 desembarcou no Brasil com preço sugerido entre R$ 6.599 e R$ 15.499.

Com informações: Apple, iFixit, MacRumors e The Verge