Início » Aplicativos e Software » Instagram sinaliza fake news em post de Carlos Bolsonaro sobre Lula

Instagram sinaliza fake news em post de Carlos Bolsonaro sobre Lula

Rede social usou marca de "falsa informação" para classificar dois posts de Carlos Bolsonaro sobre concessões da Petrobras feitas durante governo Lula

Por

O Instagram marcou duas publicações de Carlos Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, como falsas. Ambas as postagens são vídeos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em uma palestra realizada em 2015, na qual o petista relata uma conversa sobre a nacionalização de refinarias da Petrobras na Bolívia pelo governo de Evo Morales, presidente do país em 2007, quando o Brasil vendeu instalações da estatal no por US$ 112 milhões.

Dois posts de Carlos Bolsonaro foram classificados como “informações falsas” pelo Instagram (Imagem: Carlos Bolsonaro/ YouTube)

Carlos Bolsonaro teve seus posts marcados pelo Instagram como falsos na manhã de domingo (7). Segundo o aviso da rede social, o post inclui um vídeo que já foi verificado por checadores do Aos Fatos.

Vereador postou uma fala de Lula em seu Instagram

A primeira postagem feita pelo vereador carioca e filho do Presidente da República contém um vídeo em que Lula discursa em uma palestra realizada em seu instituto em 2015. O ex-presidente comentou sobre a nacionalização de refinarias da Petrobras na Bolívia.

De acordo com o Aos Fatos, que é especializado em checagem e cobertura de desinformação, Lula não simplesmente “deu” as refinarias da Petrobras para o governo da Bolívia, como Carlos Bolsonaro insinua. Na verdade, ele as vendeu por US$ 112 milhões.

No vídeo, Lula conta que, ao ser perguntado pelo governo de Morales sobre a nacionalização das instalações da estatal brasileira no país, deixou a decisão para o governo boliviano: “o gás é de vocês, o petróleo é de vocês”, disse ele na ocasião. Contudo, Carlos Bolsonaro atribuiu a decisão de vender refinarias na Bolívia à alta no gás de cozinha — no mês passado, a Petrobras anunciou um reajuste de 7,2% sobre o produto. Não há uma ligação comprovada entre os dois fatos.

Carlos Bolsonaro vs. Instagram

Após o Instagram ter marcado sua primeira postagem como “falsa”, o vereador republicou o mesmo vídeo. A única diferença foi que na segunda tentativa, ele retirou uma legenda que aparecia no post original.

Instagram diz que a mesma informação republicada pelo vereador já foi desmentida por “verificações de fatos independentes” (Imagem: Reprodução)

Novamente, o Instagram marcou a publicação como “falsa”. Logo depois, o vereador reclamou da etiqueta usada pela rede para classificar fake news. Ele disse em um terceiro post, dessa vez publicado em sua página no Facebook:

“Chegamos num momento do mundo em que colocar um vídeo de um ex-presidiário falando por si mesmo, sem nenhum comentário do autor da postagem sobre o fato exposto, sem edição alguma, somente com a fala do próprio petista é considerado falso pelos ‘checadores’. Tem método e muito, mas muito, prudente, sofisticado e biografado!”

O Facebook não costuma usar muito sua marca de conteúdo falso para posts com autoridades políticas. Documentos internos vazados durante o Facebook Pappers revelaram que a companhia — que mudou o nome para Meta em meio ao escândalo de reputação — tem um programa que isenta famosos e políticos de uma moderação mais à risca. Mas a rede social já usou essa classificação para etiquetar uma postagem do presidente Jair Bolsonaro, também publicada no Instagram.