Início » Computador » Thunderbolt: saiba tudo sobre a nova tecnologia da Intel

Thunderbolt: saiba tudo sobre a nova tecnologia da Intel

Tecnologia desenvolvida pela Intel foi adotada nos novos MacBooks Pro e permite transferências de até 10Gbps.

Avatar Por

Conhecida por forçar, de uma certa maneira, a adoção de novos padrões de tecnologias, tanto de hardware como software, a Apple aprontou das suas de novo com o anúncio dos novos MacBooks Pro. Os novos computadores portáteis da empresa são os primeiros do mercado a contarem com a nova tecnologia de transmissão de dados Thunderbolt (ex-Light Peak). O lançamento veio cheio de dúvidas e esse artigo vai servir para tentar responder algumas delas.

Antes de mais nada, o que é esse novo padrão?

O Thunderbolt é uma tecnologia de I/O ultra-rápida criada pela Intel para conectar dispositivos que demandam uma banda de tráfego extremamente alta, como monitores de alta definição. Ela foi melhorada numa parceria com os responsáveis pela parte de hardware da Apple. Originalmente chamada de Light Peak, a tecnologia foi desenvolvido em meados de 2009 e demonstrado em 2010. Não é sensacional ver uma tecnologia nova nascer e crescer na frente dos seus olhos? Ok, me empolguei.

Como ele funciona?

O padrão integra na camada de aplicação dois outros padrões já conhecidos e usados na indústria, o PCI Express e o DisplayPort. Portanto, ele pode conectar tanto monitores quanto dispositivos de armazenamento. O responsável por separar para onde vai cada pedaço dos dados é um chip controlador criado pela Intel e que é instalado direto na placa-mãe do computador.

Ele também suporta o padrão Daisy Chain de integração, isso quer dizer que podemos ter, por exemplo, um dispositivo Thunderbolt ligado a outro dispositivo Thunderbolt que por sua vez se liga no computador pela porta Thunderbolt, o que torna desnecessário um hub, por exemplo. Esse padrão suporta no máximo seis dispositivos, segundo a Apple.

Quão rápido é o Thunderbolt?

Cada porta do padrão Thunderbolt tem dois canais full-duplex capazes de transmitir até 10 Gbps de dados em cada canal. Isso é o suficiente para transmitir um filme em alta definição em menos de 30 segundos, diz a Intel. E como vocês podem ver no gráfico acima, criado pela Apple, ele é duas vezes melhor do que o USB 3.0, que ainda não teve nem tempo direito de ser adotado amplamente pela indústria.

Vou precisar comprar adaptadores?

Se você já tem um monitor que usa a porta Mini DisplayPort, não. A porta Thunderbolt é compatível com ele e pode ser usado com o mesmo cabo. É tão compatível que quando as imagens dos novos notebooks da Apple vazaram ontem, teve gente dando certeza de que era falso e que não tratava de um photoshop bem feito.

Se você quiser usar o novo padrão com um dispositivo de armazenamento como, por exemplo, um HD USB externo ou tiver um monitor com portas VGA, HDMI ou DVI, você vai sim precisar de um adaptador antes de poder plugá-los. A Intel também garante que, usando drivers já existentes para o padrão PCI Express, é possível criar adaptadores de portas Thunderbolt para que sejam conectadas nelas dispositivos Gigabit Ethernet, Firewire ou eSata.

O USB vai ser substituído pelo Thunderbolt?

Ainda é arriscado fazer alguma afirmação nessa área. Embora o Thunderbolt seja bem mais rápido do que qualquer padrão de USB disponível atualmente, os principais dispositivos de armazenamento ainda usam esse formato. Mas não vejo por que não teremos pendrives Thunderbolt no futuro, por exemplo. Tudo vai depender das fabricantes de computadores adotarem o novo padrão. E como ele é relativamente barato para ser adotado e inclui tanto transmissão de vídeo como de dados, talvez o USB 3.0 seja jogado para escanteio. Mas de novo: é muito cedo para afirmar qualquer coisa com certeza.

Além da Apple, quais outras empresas devem adotar o Thunderbolt?

A Intel já está trocando figurinhas com diversas empresas e fabricantes de equipamentos eletrônicos, para garantir que o Thunderbolt seja amplamente adotado. Dentre elas a Aja, Apogee Avid, Blackmagic e LaCie, conhecidas fabricantes de placas e equipamentos de áudio e vídeo, e também a Western Digital e Promise, conhecidas fabricantes de HDs e outros dispositivos de armazenamento. Então você com certeza verá monitores e HDs externos usando esse padrão no futuro.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

GUSTAVO
estamos crescendo em progressao geometrica!!! precisamos de coisas mais rapidas para o próximo salto ser maior.
Douglas Cajueiro
Inclusive o iPad 2 já vai vir com o Thunderbolt *-*
Douglas Cajueiro
Daqui a pouco Back ups de HDs inteiros serão literalmente num piscar de olhos... A adoção desse padrão, mas não fazendo as devidas adaptações pode ser como o André disse mais acima,um tiro no pé, ou pegando mais leve, um cuspe pra cima que vai cair na cara... Os HDs, pen drives e outros dispositivos limitariam mesmo a transferência de dados, seria quase como querer colocar fibra ótica em PC com Window$ 98 :S Ao menos seria boa a padronização, que ajudaria usuários domésticos além do preço, que segundo o post é favorável.
Henrique
Lembre de corrigir o artigo, a LaCie é uma empresa direcionada para o armazenamento de dados, e não "fabricante de placas e equipamentos de áudio e vídeo".
Caio Furtado
Simples.
@amsalau
Não sei quanto ao restanto mas a USB 2.0 é padronizada em 5 Volts com 0,5 Ampere, é o suficiente para HDs de 2,5" mais recentes que puxam menos carga mas os mais antigos exigiam mais do que 0,5 Ampere e precisavam de cabo duplo para alimentação. Não imagino que passe mais do que 5 volts na porta nova, o que faz a diferença é a intensidade de corrente disponível, que é medida em Amperes. Outra coisa, as portas USB 2.0 suportam até 127 dispositivos ligados em sequencia, normalmente quando se coloca um Hub externo com muitas portas ele já vem com uma fonte extra de energia para alimentar.
Gabriel Bemfica
Se você contar que dá pra ligar até 6 dispositivos numa Thunderbolt com apenas uma porta, isso fica relativamente sem noção.
Gabriel Bemfica
Concordo plenamente. Por sinal, o ícone dos adaptadores de alimentação dá a entender qualquer coisa, menos que eles são plugs para o carregador (olha o da porta MagSafe na foto do post e vc entenderá).
Gabriel Bemfica
Isso varia bastante. Por exemplo, as portas USB 2.0 dos Macs têm saída de, salvo me engano, 4 volts, contra 3 dos PCs (entre outras coisas, isso é vantagem para usar HDs externos e modems 3G sem precisar ocupar 2 portas USB, já que elas são poucas nos computadores da Apple, especialmente nos MacBooks. Outra coisa bacana é que dá pra carregar um iPad pelo cabo num Mac, algo que não dá pra fazer num PC). Agora, já que deve dar pra ligar até 6 dispositivos, imagino que algo entre 9 e 15 volts seria bem adequado.
Gabriel Bemfica
Haviam HDs externos, também. A Firewire não se popularizou por causa do padrão USB 2.0 e, em parte, do E-Sata. Fora que os custos de licenciamento das portas eram altíssimos (cerca de 2 dólares por computador, contra 25 centavos de dólar do USB), então não valia a pena para os fabricantes.
Gabriel Bemfica
Na verdade, o desenvolvimento foi conjunto. A Apple não entrou logo no começo, é verdade, mas se uma equipe está desenvolvendo um equipamento e outra se interessa, quando o desenvolvimento já está num estágio relativamente avançado (digamos, uns 30%), a primeira equipe não vai negar a ajuda (especialmente por que poderão dividir os custos que a implementação gerará).
John
Deveras.
@fibrasek
Simplesmente lindo... Abolir milhões de padrões de cabos por 1 só. Video, dados num só :]
John
Sem falar na retro compatibilidade do padrão USB 3.0 com o 2.0, o que permite às empresas adotar um padrão mais veloz sem ter que "desperdiçar" espaço com mais uma porta no computador.
@amsalau
HDs externos usam toda a banda da USB 2.0 e ficam pedindo mais.
Exibir mais comentários