Início » Jogos » Shadow Era, um cardgame virtual para todos

Shadow Era, um cardgame virtual para todos

No iPhone ou no browser, esse jogo simula perfeitamente um card game tradicional.

Avatar Por

No ano passado escrevi dois artigos aqui no Tecnoblog tratando sobre TCGs , ou trading card games. O gênero, que se tornou popular graças a franquias como Magic the Gathering e Yu Gi Oh, é essencialmente um jogo de estratégia em turnos. Há gerenciamento de recursos e a criação de exércitos para atacar oponente e se defender dos ataques dele (além da utilização de itens especiais que podem beneficiar você, ou atrapalhar o adversário).

Os artigos em questão lidavam com uma subcategoria específica dos trading card games: os TCGs virtuais. Há várias vantagens para a versão intangível; umas delas é o fato de que cartas virtuais não se perdem ou se desgastam como acontece com a versão física delas.

Entretanto, todos os jogos que eu citei naquelas duas matérias tinham duas coisas em comum. Primeiro, todos eles são pagos. TCGs têm uma considerável curva de aprendizado, e ter que pagar antes para aprender depois desmotiva um poucos os neófitos (e se você descobre que a coisa não é para você, agora é tarde pois você já investiu a grana).

Segundo, todos eles exigiam uma plataforma específica — seja Orions no iPhone, Eye of Judgement no PS3 ou Yu Gi Oh no Nintendo DS. Fica difícil recomendar um jogo para quem não tem o console necessário para jogá-lo, né?

Caso você tenha algum interesse no mundo de card games mas os títulos que eu recomendei ou são onerosos demais para quem tá começando ou não estão disponíveis para sua plataforma favorita, você vai adorar conhecer Shadow Era.


Shadow Era é um jogo lançado para iOS e browser, com previsão de chegar em breve ao Windows, Mac e Android (mas os usuários desses últimos já podem se divertir por enquanto no navegador mesmo). O jogo é gratuito e, embora seja possível usar dinheiro para adquirir decks e boosters, é estritamente desnecessário.

Em Shadow Era, você controla um baralho composto de no mínimo 30 cartas, sendo que uma delas é o “herói”. O herói (e existem várias classes de heróis no jogo) é a figura central da partida. Se ele morre, você perdeu o jogo.

O objetivo é matar o herói do oponente antes que ele mate o seu. Para isso, você usará “aliados”, que são os seu soldadinhos no campo de batalha. Se você é familiarizado com Magic, os tais aliados são análogos às “criaturas”. Há também itens e magias especiais — além de habilidades especiais dos heróis — que te ajudam durante o combate.

A progressão dos turnos é simples. Primeiro, você compra uma carta. Em seguida, elege uma carta da sua mão para ser “sacrificada”. Ou seja, você se livra dela permanentemente (durante aquela partida) e ela se torna parte da sua reserva de recursos. Depois, dependendo de quantos recursos você tem, é possível invocar um aliado, um item, uma magia. Findo os seus recursos, só te resta passar o turno para o oponente, que repetirá os mesmos passos.

A manha de Shadow Era, assim como em todo TCG, é decidir qual é a hora certa de executar uma devida ação. Isso vai requerer conhecimento sobre as cartas e sobre o tipo de deck que o oponente usa, mas isso que é o legal desses jogos.

Não existe uma campanha propriamente dita em Shadow Era. Ao iniciar o jogo, você cria uma conta no servidor deles — e você pode utilizar a mesma conta em qualquer plataforma que desejar, o que é muito bacana —, escolhe um deck para começar, e enfrenta outros baralhos controlados pela IA. Não existe uma progressão tangível neste quesito: você pula de um oponente para o outro ao passo que desejar.

Com as vitórias, você acumula ouro que pode ser usado para adquirir cartas avulsas que melhorem seu deck.

Existem duas moedas no jogo: o ouro, que é adquirido com vitórias, e os “Shadow Crystals”, que são unidades monetárias que você compra com dinheiro de verdade. O ouro é usado para conseguir cartas avulsas; já os Shadow Crystals são usados para comprar decks inteiros ou um booster (um pacotinho com 15 cartas aleatórias).

Como já expliquei, gastar dinheiro com o jogo é inteiramente dispensável. É possivel (com um pouco de paciência) vencer jogos o suficiente para angariar a quantia necessária para comprar aquela carta que você está querendo. E, caso você tenha dois dólares de sobra e tenha gostado muito daquele deck de Magos que você viu, você pode adquirir Shadow Crystals e pegar o deck duma vez.

Decks e boosters custam 100 Shadow Crystals cada um (o equivalente a um dólar), mas o mínimo que se pode comprar são 200. Logo, se você quiser fazer o mínimo investimento possível no jogo, gastará apenas pouco mais que 3 reais.

O sistema econômico do jogo simula perfeitamente a experiência real de um card game. Você pode comprar um booster, não conseguir nenhuma carta que você realmente queria, e então vender todas por ouro e, aí sim comprar, uma por uma, as cartas que você realmente precisa. Isso é uma prática comum para adeptos do hobby, e é interessante que conseguiram colocar isso em Shadow Era.

Depois que você tiver enfrentado o computador o bastante para acumular uma pequena fortuna em ouro — e quem sabe apelado para alguns Shadow Crystals para pegar aqueles dois decks que você achou bacana —, é a hora de enfrentar outros jogadores. Shadow Era é cross plataform, ou seja, jogadores de iPhone podem enfrentar jogadores de browser, por exemplo.

No modo online você testará sua habilidade e o baralho que você montou. Oponentes humanos são bem mais difíceis de derrotar que o computador, e eles se comportam de forma mais flexível também. Você acaba aprendendo muitas estratégias, mesmo que leve muitas surras para tanto.

Shadow Era é muito promissor. O jogo saiu há pouco mais de uma semana, mas já atingiu a marca de 200 mil jogadores. Updates importantes sairão nas próximas semanas, incluindo novas cartas e versões baixáveis para PC, Mac e o app para Android. O fato de que todos os usuários podem competir entre si, a despeito da plataforma usada, torna a lista de possíveis adversários imensa.

O fato de ser gratuito torna Shadow Era impossível de não recomendar. Se você tem no mínimo curiosidade sobre card games, não há por que não baixar.

E, ao contrário do que você pode estar pensando, jogadores que decidam não gastar dinheiro não estarão em completa desvantagem em relação àqueles que compram Shadow Crystals. Talvez você demore um pouco mais tempo para montar aquele deck cheio de cartas caras, mas isso apenas significa que você adquiriu mais experiência e familiaridade com o jogo até chegar lá.

Download | Shadow Era (iTunes)
Acessar | Shadow Era

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Karen Carolina Mousinho
eu lie uma de um garoto que perdeu mil cartas eu tenho 1000 00 de cartas
deivid
eles aceitam sugestões e estão trabalhando nessas coisas inclusive vai haver um campeonato mundial on o game é muito bom eu deixei de jogar magic por causa dele pois tem coisas no magic q são insuportaveis por exemplo aquela sua carta dos sonhos nao é aceita em campeonatos o magic é jogo de rico yugioh é de criança. bom terei q ser campeão mundial em alguma coisa :D 3 portal + 3 x Aeon Stormcaller = meu futuro deck hehe
Rangel
O jogo é muito bom. Só achei ruim que, pelo que eu saiba, não é possível trocar cartas com outros jogadores. =/
Diogo
Muito legal, vi o vídeo sobre esse jogo no canal do Leon (coisa de nerd). Só que para mim se um jogo permite a injeção de dinheiro real para aquisição de qualquer coisa, não há competição em igualdade de condições entre os jogadores. Simplesmente porque quem pode mais, pode mais e ponto. Não há como lidar com isso utilizando-se dos elementos do jogo. Enquanto em um jogo no qual todos devem partir do 1, a diferença entre um jogador bom e os outros é a persistência e quem sabe até outros fatores como conexão boa em jogos online, por exemplo, mas nunca a condição financeira. E causa até uma má impressão dos donos do jogo para quem se perguntar: será que vão colocar as cartas top naqueles decks e boosters comprados com moedas do jogo? É a minha opinião não só para esse jogo, como também para todos os outros que permitem o uso de dinheiro real para comprar itens.
Ewerton
Izzy conhece algun tipo de jogo nesse estilo de yugioh ?
@oerickbruno
Nem com gambiarras das brabas no linux ele roda, e quando tenta fazer algo o Unity trava em Wine :/ Se alguém usuário linux conseguir rodar, avise ;)
@lucasdnd
Ninguém notou as semelhanças com o TCG de World of Warcraft? É idêntico! http://migre.me/40RO4 O formato das cartas, o sistema de heroes/spells, allies, até a característica "Protector" de algumas criaturas. Also, tenho certeza que aquele Logan Stonebreaker é um Tauren photoshopado haha. Anyway, tava na hora de surgir um jogo desses. Vou jogar já.
@bimduarte
Alguém com um Ranking menor que 100 aqui? Tô 270 acho, passei o carnaval fora então preciso jogar hoje heh! Pelo celular consegui jogar umas 10 partidas e ganhei as 10. Achei os players meio estranhos, viu? Cada jogada louca que aparece, não fizeram sentido na minha cabeça, até pra um cara com um deck praticamente igual ao meu, só fez cagadas. Duas coisas que faltam MUITO ainda são 1: poder jogar contra quem quiser e 2: CHAT!
Hernani
Para quem ja esta jogando uma dica: Se o life do oponente for maior que o ataque da sua carta você recebera um contra-ataque, não lembro se tem essa dica no post, mas esta ai. ;)
@cloipolastro
Fala povo! Eu to jogando e gostei. É Punk (qdo eu criei minha conta, só tinha hero mais ou menos - tô usando um Mage - mas tô no 4 nível). Quem quiser trocar umas batalhas, sheepcore é meu nick por lá!
@brunogdb
Quando eu baixei esse jogo, adorei de primeira, pena que tem que ter internet para jogar, e quem tem iPod Touch na viagem dança :(
iNsTaKiLL
nunca gostei de jogos de cartas mas agora e diferente passei a jogar magic e é bem fixe
@renanferrari2
Na verdade, ainda não tem como jogar no browser do Android também, porque precisa do plugin do Unity Web Player pra jogar. Mas de acordo com o site, o app pra Android está em fase final de testes já, deve sair muito em breve. (:
@aaronsoares
ou melhor lobisomem...sorry. Mas que tá usando um iPad isso tá
@aaronsoares
Gente, observem a carta chamada Lone Wolf. É um lobisonmen usando um iPad! auhauauhuauhauahuhahaua
Exibir mais comentários