Início » Software » Bon Jovi diz que Steve Jobs “matou a música”

Bon Jovi diz que Steve Jobs “matou a música”

Por
6 anos atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

Na humilde opinião do roqueiro Jon Bon Jovi, Steve Jobs é “pessoalmente responsável” por “matar a indústria da música” com sua dupla iPod e iTunes. Nas palavras do roqueiro, publicada no último domingo em uma entrevista ao Sunday Times Magazine, o astro oitentista relembrou os velhos tempos e lamentou a música digital que oferecida a US$ 0,99 a faixa na loja digital da empresa da maçã.

“Os jovens de hoje perderam toda aquela mágica de colocarem seus fones de ouvido, aumentarem o volume, de apreciarem a arte da capa e de se perderem num disco. Não existe mais o ritual de se guardar o dinheiro da mesada e se escolher um disco baseado em sua capa ou de imaginar como um disco iria soar olhando sua arte”, disse.

“Céus, aquele era um tempo mágico. Eu odeio soar como um velho, mas agora eu sou um. Então você pode anotar minhas palavras. Daqui umas gerações as pessoas irão perguntar ‘o que aconteceu?’, e a resposta é que Steve Jobs foi o responsável por matar o negócio da música”, completou o rabugento cantor.

Em sua sangrenta ficha criminal, Steve Jobs também já foi considerado culpado das acusações de matar brutalmente os disquetes, as portas seriais e os monitores CRT.

Com informações: MSN Music.

  • Eu concordo com o Bon Jovi, pegar um CD novinho, abrir, ver o encarte sentar em frente ao som e ouvir musica por musica, inteirinhas, acompanhando a letra no encarta é uma ‘experiencia’ diferente, mto boa mesmo. E hoje ta morta, mas não por culpa do Steve.

    Os tempos mudaram, o mundo digital tomou conta e as malditas gravadoras quiseram manter seu modelo de negócios num cenário que não era mais favorável. Jobs aproveitou um cenário novo pra criar um mercado novo (de musicas digitais)

    Steve Jobs pode não ter matado o negócio da música, mas ele deu o golpe de misericórdia

    • Old detected 😀

      Eu nunca tive essa paixão por capinhas, sempre gostei é das músicas mesmo, nada de experiência extra sensorial.

      Para mim, que gosto de música e tão somente, nada melhor como os tempos de hoje.

      • Rodrigo cara, se vacilar sou mais novo que você haha. Não estou dizendo que não gosto do modelo de hoje, se nao fosse por ele não teria boa parte das minhas músicas e nem conheceria um monte de bandas ae.

        A história do encarte era um plus que eu gosto, mas que ta indo pro saco, mto por causa do preço =(

        • Isso nem tem relação com idade, em toda forma de compra, tem quem goste do que compra, tem quem goste de toda experiência.

          Eu normalmente sou objetivo, quero algo que faça o que quero e pronto.

          Tem quem como você goste de curtir, abrir, cheirar, ver o encarte etc.

          Respeito, mas pelo que conheço minha rede de contatos são poucos que curtem essa experiência, em um mundo comercial, quem vende vai atrás do que vende mais, se tem como cortar custos sem a maioria sem importar, farão.

          Portanto não foi a Apple que matou, foi a própria indústria.

          A Apple como disseram, deu o tiro de misericórdia.

      • cash

        Bom, eu sou desses velhotes que gostam da experiência toda que o @oscher88 descreveu. Não que eu não goste dessa história de ter tudo a uns poucos cliques de distância, mas não é a mesma coisa.

        Eu compro os CDs das bandas que eu gosto, mesmo que seja por causa de 1 ou 2 músicas. Também já comprei músicas online, e não tem o mesmo charme. E também baixo músicas por meios nada legais, mas se eu gosto da banda, eu me esforço pra comprar o CD ou pelo menos as músicas que eu gosto, e se eu não gosto, simplesmente apago depois de ouvir.

      • Sou mais um “velho” que gosta disso que o oscher88 falou. Comprar uma música online não tem, nem de longe, o mesmo sabor de comprar um CD por uma única música.

        Tenho 23 anos… já sou velho?

        • Como disse, vai do gosto do cliente, eu tenho 31 e sempre achei que ter vinil/CD era um disperdício de espaço útil na casa.

          Mas é aquilo, cada um tem suas preferências.

      • Breno

        Ah, fodas… as capas de hoje são tudo uma bosta mesmo (salve algumas, claro!).

        Aquele encarte do Aeromisth do disco dos gatos (n lembro o nome do disco) é épico! Hoje o que temos é muita tecnologia e pouca arte nessas capas 😀

        • Eu tenho esse CD! Nine lives! Um dos melhores encartes já feitos! Cada imagem continha a imagem anterior…demais.

        • Daniel Luiz

          Acapa em questao eh a do disco “nine Lives”, tb acho que o disco por completo eh foda

          • Eu tenho esse CD, mega foda o encarte!

    • Lembro o meu primeiro CD de rock que comprei, 30 pila para um muleque de 10 anos é muita coisa, a satisfação era imensa, tanto que tinha até um altar para aquela capinha.

  • O que Jobs realmente queria era matar a Microsoft e o Android.

    • rafaelhbarros

      Microsoft e Android vendem conceitos, não produtos. Assim como a Apple vende um conceito de unificação, onde você encontra “tudo aqui”. Eu acho que esse conceito nunca será exterminado, e isso é bom. A música ta aí, não morreu. Eu ainda adoro ouvir música olhando pra capa dos cds, só não gosto de carregar 20 capas de plástico e trocar os cds equanto espero o semáforo. O mundo mudou. Desculpa.

      • Nunca me importei de olhar a capa dos CDs, já que elas aparecem na miniatura do MP3 no player.

    • Marcelo Carvalho

      RKNeto, gostei das suas palavras: ”O que Jobs realmente queria era matar a Microsoft e o Android.”

      Ele queria SÓ matar eles, e acabou dominando até o mundo da música, isso é fato.

  • mimimi de quem vai ter que fazer musica boa pra vender, e não 2 músicas de trabalho nas rádios e preencher o album com lerolero generator tabajara…

  • Nunca tive essa experincia, ja que os CDs aqui no Brasil custam muito caro, poucos foram os que ou comprei. Culpe os impostos!!!

  • Puxa vida, o cara está com medo de não sobreviver ou só com preguiça de evoluir?

    • Edgard

      Boa! Essa sua colocação foi perfeita.

    • Quase perfeita, seria perfeita se fosse feita pra alguma banda nova que estivesse reclamando.

      E veja bem, pelo menos no texto citado, ele não crítica valores, nem fala da questão financeira, só da ‘magia da música’ e dos encartes.

      Pq cara, Bon Jovi ja ta com a vida feita, ganhou milhões e (ainda) tem fãs que lotam shows.

      • E tem centenas de músicas que vão continuar vendendo online mesmo depois de morto, tá com a vida ganha certamente.

        O que ele defende é “Comprei minhas 12 ou 15 músicas mesmo que só 2 prestem” … mas paguem por todas.

      • [OFF] OMG! Quanta gente usando Windows Vista! :O

  • Nossa vocês levam tudo a sério demais gente xD. Mas o que ele disse não é mentira, é ótimo você pegar o cd levar todo feliz e escuta-lo pela primeira vez.

  • Bom mesmo eram os tempos em que a boa música só era apreciada ao vivo e disponível apenas em partituras…

  • assassino do flash tambem, esqueceu disso na lista

  • Esse saudosismo todo com os CD’s é o mesmo que houve qdo os discos de vinil tbm foram sumindo…
    É bom lembrar de como era antes, mas vamos seguindo em frente, neh!?

    E outra, culpar o Steve Jobs, por isso, ah, faça-me o favor… ¬¬

  • Ah tá peraiiii… qm mudou o modo como encaramos a música no mundo digital não foi Jobs.. não se deve dar a ele essa Honra… mas Sim ao Criador do Napster – Shawn Fanning … esse cara foi quem realmente mudou o mundo da música como temos Hoje… e “Bom” “Jovem” vc não é mais jovem… mas ainda sim existe pessoas q compram o CD pela qualidade e não pela curiosidade e por ser fã da banda, que aprecia a musica e o CD. A unica diferença é que agora a gente pode escolher qual CD Bom podemos comprar e não um CD ruim por apenas curiosidade… hahaha

  • Acho que ele está muito de mimimi, pq quem quer, ainda consegue comprar CDs ou LPs, e ter o “tempo mágico” de volta.

  • Concordo que o ritual de adquirir um CD novo e colocá-lo para reproduzir no CD Player ou Discman era mágico. Agora, se atualmente possuímos facilidades e precisamos de apenas alguns cliques para conhecer uma imensa variedade de músicas novas, por quê viver apegado ao passado? Como bem diz o dito popular: “Quem vive de passado é museu” – Acredito que Jobs e a sua concepção de distribuição virtual de mídia ajudaram a salvar em partes o mundo da música. A propósito, era muito mais benéfico cobrar um valor elevado por um CD e consequentemente encher o bolso ainda mais, não é?

  • Pelo menos na maçã ainda estão pagando né? Na maioria das vezes todas as pessoas preferem baixar em P2P do que pagar.

  • Concordo que “não é mais a mesma coisa” como antigamente, mas os baixos preços são uma coisa positiva, o custo de aquisição de música agora se torna mais baixo, matando o monopólio das gravadoras, hoje vemos várias lojas virtuais que vendem a preços bem mais acessíveis, culpar o Steve Jobs é bobagem.

  • Eu sou do tempo do Vinil, comprei muitos, tenho vários até hoje (mesmo sem ter onde reproduzir). Comprei muito CD e achei tudo muito bom mas o tempo deles acabou.

    Os artistas deveriam agradecer ao Jobs por poderem estar vendendo singles hoje, se não fosse ele, nem isso venderiam e teriam que viver de shows.

    A frase mais idiota do Bon Jovi (nada contra ele ou o grupo) foi a de ser uma grande experiência comprar um disco sem saber o que tem dentro, só pela capa … por favor, ele está vendendo a capa do disco e não a música dentro, que porcaria de música deve ser esta que só se vende pela capa.

  • A indústria fonográfica não foi assassinada por Steve Jobs ela se suicidou, negando a revolução da internet com atitudes restritivas ao invés de se adequar a mesma.Quem não lembra das várias travas de segurança criadas que foram quebradas em algumas horas? A internet quebrou paradigmas dentre eles o velho processo de criação e produção de bens/consumo e serviços que consistia na centralização de todo o processo nas mãos das gravadoras, além disso o processo de distribuição de conteúdo que também era feito todo por elas aumentando e muito o custo do produto final. Quanto era um cd? R$ 50,00 em média. A Indústria fonográfica devia agradecer de joelhos a Steve Jobs porque se ela ainda é um pouco rentável é graças a ele que criou o Itunes. E outra Bon Jovi que era acostumado a ganhar fortunas com a venda de discos se viu obrigado a fazer turnes quase que a cada dois anos para conseguir sua grana. A culpa de tudo isso não é de Steve Jobs, da Internet ou de qualquer outra coisa mais sim da indústria fonográfica que não se antecipou ao advento da distribuição de conteúdo na internet, além do que a mp3 não foi Jobs que inventou, ele apenas sentiu o que estava acontecendo e lançou um serviço que causou uma revolução e é um sucesso.

  • E segundo o Dee Snider o Bon Jovi é culpado pelo mau uso do “metal horns”, a decadência do metal nos anos 80, os Bush na presidência, crise na economia…

    http://www.takebackthehorns.com/index.php?option=com_content&view=article&id=49&Itemid=153

  • jobs=assassino hehehueheuhueh

    acho q a tecnologia matou a industria da musica e nao jobs. depois que inventaram o mpo3, sendo 10 vezes menor q wav, a coisa piorou.

    Por fim, Bon Jovi que largue a mao de ser vagabundo e vai fazer show porque com CD ninguem ganha mais nada.

  • John

    Se Steve Jobs matou a música, João Brunelli matou o português ao escrever “rabuJento”.

  • Urssula

    Bom, concordo em partes.
    Como já disseram, realmente foi o tiro da misericórdia. Mas mesmo com toda a tecnologia, as pessoas ainda querem comprar os cd’s de sua banda favorita. Há várias maneiras de prestigiar seu artista predileto.
    Quanto à história de comprar o cd só pela capa, acho que na verdade é comprar o CD por causa de uma música ou duas.. eu mesma já fiz isso várias vezes. Muitas das coisas que eram feitas estão perdidas. Quase ninguém fica sentado em frente ao aparelho de som curtido uma boa música. O máximo que fazem é piratear da internet e sair tocando a música em alto e bom som pelas ruas (se é que se pode chamar de música o que tocam por aí).
    Quanto ao colega acima, o Alexandre, acho que o Bon Jovi nunca teve preguiça de absolutamente nada, pois é uma banda com décadas de sucesso, e como disseram, ainda lota estádios pra assisti-los.

  • Felipe

    Acho desnecessario um comentario desse!
    Mercado de cd acabou por causa de pirataria prefiro mt mais comprar no itunes do que em um camelo
    Sem contar q essa evolucao soh ajuda divulgar o trabalho dele pras novas geracao…sou fã de vinil axo mt bom pena q nao fazem mais a n ser musica eletronica…ridiculo dizer isso nosmdias de hj….

  • Rafael The Mist

    O que ele esqueceu de falar é que se todos comprassem realmente as músicas ao invés de baixá-las por aí, os artistas estariam ricos e não ousariam falar mal de quem vende.

  • Paulo

    eu sou velho (43) mas meu filho de 18 fez uma coisa que eu mesmo considerei incrivel, comprou a coleção dos cds do Coldplay, mesmo tendo todos os mp3, ele disse que era o prazer de TER a midia original. acho que ele curte mais que voces que disseram querer só a música.

  • eu tb baixo muita musica de formas tipo PIRATE BAY, mas se eu gosto eu comrpo o cd ( mesmo que eu nunca use eles ) eh legal isso eh uma forma de prestigiar o artista. OO bom do cd eh que tem musicas que podem ser legais e boas mas nao vao pra radio, logo a maioria das pessoas ficam sem conhecer ela. O que f…. com a industria foi o “zoiao” deles de quererem ganhar rios de dinheiro na venda de um CD.
    A 8 anos atras eu paguei R$ 50,00 no cd do Korn. ate hoje eu acho caro iamgine naquela epoca

  • acho desnecessário essa critica
    o o kra diz q steve jobs acabo com a musica…para…quem acabo com a musica foi pirataria e mts outros fatores…sei la soh acho q prefiro mt mais comprar no itunes uma ou 2 musicas q eu gosto do q ir no camelo comprar um cd q vem com uma capa fulera scaneada em computador. Ainda mais rola divulgação do trabalho dele um oitentista q nem todos conhecem hoje..novas geracoes estao por vim ali na internet vai ser o meio mais facil de ser conhecido e reconhecido…tah reclamando de boca cheia acho q bon jovi n aceita essa nova era da informação rapida.

  • Gabriel Silva

    Ridículo… Os que “mataram” a música foram esses sites que disponibilizam o download de álbuns ilegalmente…

  • Em minha opinião, aconteceu justamente o contrário, Steve Jobs salvou o que restou dos direitos autorais das músicas. Se os usuários da Apple não tivessem a oportunidade de comprar as músicas individuais pela Apple Store, certamente eles baixariam em P2P e não pagariam nem essa pequena taxa para baixar no iTunes.

    Tem razão em dizer que Steve Jobs “assassinou” brutalmente os disquetes e as portas serias, além de frequentemente dar uma surra na em seus concorrentes. Se pensarmos dessa forma, até que ele foi bonzinho com o mercado da música.

  • Marcoscs

    Discurso de velho nostálgico, o que aliás é meio contraditório por vir de um cara que fez plástica até no dedão do pé pra parecer mais jovem…
    Corpo ‘muderno’ e cabeça retrógrada, que coisa, hein….

  • Quem canta “It’s My Life” depois de ter gravado clássicos como “Blaze of Glory” e “I’ll Be There For You” é que matou a própria música. =)

  • Steve Jobs não destruiu a indústria da música. Ela só impulsionou uma mudança que, mais cedo ou mais tarde, seria necessária. Caso contrário, a pirataria iria dominar praticamente todo o mercado.

    Mas concordo com o que Bon Jovi falou: nada era tão legal quanto juntar dinheiro pra comprar o CD novo de sua banda favorita. Admirar a capa, folhear o encarte, prestar atenção em cada detalhe da sonoridade da música. Essa sensação infelizmente não volta mais.

    Mas Bon Jovi tem que encarar. Os tempos mudaram. E as coisas mudaram, em vários aspectos, pra melhor.

  • Jobs ajudou a salvar, isso sim. Mp3 não vai deixar de existir, pelo menos com o iTunes alguém ainda paga por isso…

  • Saudosismo, isso nunca vai deixar de existir. Mas culpar alguém por isso (Jobs no caso) é no mínimo piada de mau gosto.

    Até concordo que em mercados como USA, Europa e JP temos encartes fantásticos, embalagens diferenciadas, etc, etc que faziam realmente a diferença. E mais do que nunca quem pensa que o vinil está morto existem cada vez mais pessoas descobrindo os prazeres da “bolacha”. Não digo pessoal da “old-school”, digo é juventude mesmo.

    Só que, invariavelmente, estamos caminhando pra uma era em que mídias físicas são coisa do passado, nada de armazenar em casa, vai tudo pra “nuvem”, é tudo virtual. O problema é que AINDA existem pessoas que vivem de passado, como o (chapinha cara) Jon Bon Jovi. O mundo muda, quem não muda com ele fica obsoleto, acabou.

  • Ta ficando velho e pobre, e agora vem de MIMIMI

  • Jean Carlos

    Quem falando,tenho 2 álbuns de sua banda no meu iPod,comprado no iTunes,Mr.Jon Bon Jovi.
    Jobs fez o que era certo,cada vez mais gosto do iGod.

  • É que, realmente, depende.

    Por exemplo, hoje em dia as bandas recentes não conseguem manter uma qualidade por todo o álbum. Não é só o encarte que é a questão, é o conjunto da obra.

    Em tempos de Pink Floyd, Queen e outras grandes bandas das décadas passadas, o disco era feito para ouvir do início ao fim, olhar o encarte como um meio extrasensorial baseado naquilo que se sentia nas músicas. Hoje, em tempos que Katy Perry e Lady Gaga emplacam sucessos, não quer dizer que o disco tenha esse conjunto da obra que valha a pena a compra. Realmente, para quem curte essa nova geração de músicas é muito mais viável e prático comprar as faixas mais legais no iTunes e escutá-las no iPod ou no computador.

    Agora, é inegável dizer que ao comprar um CD você tem sim uma experiência completa. Principalmente quando a banda tem esse olho para construir algo único. Embora musicalmente não seja tão bom, o Coldplay produziu um disco bem nesse exemplo com o Viva La Vida. Parece que a música tem mais vida, e torna-se até mesmo melhor, olhando as ilustraçòes do encarte e ouvindo faixa por faixa continuamente.

  • Ainda bem que o Sr Trabalho está encomendado pela Sra Morte.

  • Ramon Melo

    Resumo do que o Bon Jovi falou: mimimimimimimimi

    • Mimimi life
      Mimimi now or never
      Mimi ain’t mimimi forever
      I just want mimimi while I’m alive
      Mimimi life

      [coolface]

  • Luciano Vieira

    “Antes eu colocava 10 músicas ruins e 2 boas num álbum e vendia pra um bando de trouxas que compravam sem saber. Agora, com esse novo modelo criado pelo Jobs, não posso mais fazer isso. As pessoas só compram as minhas músicas que são boas. Deixei de ganhar milhões com isso, e a indústria fonográfica a qual sou filiado também. Jobs é o demonho!” Bon Jovi.

  • Quando eu compro um livro, não ligo pra capa, ela é relevante. Prefiro ler o conteúdo. Com a música é a mesma coisa…

    • Votei nessa resposta e concordo. Mas vc quis dizer irrelevante. 😛

  • Quem matou não foi o tio Jobs, e nem a Apple, quem matou foi a indústria musical. O fato é que o Jobs aproveitou isto para crescer na empresa, com o iTunes, que é um grande marco.
    Agora, há quem gosto de comprar na capa (como eu algumas vezes), e há quem gostei de comprar virtualmente (prático, rápido e sem entregas). Acho que virtualmente cabe mais vantagens ao consumidor por ter na hora aquela música e no maior dos casos o preço é vantajoso.

  • j2k

    não sei se isso me faz velho, mas também gosto da experiencia em torno de um álbum/cd de músicas…

  • Eu tenho 17 anos e hoje em dia não compro mais CDs, mas antigamente na minha cidade tinha uma loja que alugava CDs. Era muito legal, eu alugava um CD, se gostava pedia dinheiro para os pais e comprava o CD.

    Outro costume era de ir na loja de CDs e passar tardes ouvindo previews de músicas naqueles fones que deixam tocar só até um tempo as faixas. Era um programa de sábado. “Mãe, vou lá na loja de música” e ia. Perdia tardes ouvindo, escolhendo, avaliando custo e comprando. E depois, ao ouvir em casa, vendo o encarte, parecia um som magicamente mais interessante ainda do que era na preview. Conhecia todos os funcionários da loja e todos eram meus amigos.

    Sei lá, eu gosto de como as coisas são hoje, porque tenho acesso a muito mais coisas muito mais rápido, mas “the old way” tem sim o seu charme.

  • João você pode me explicar o porque das 3 ultimas afirmações: “disquetes, as portas seriais e os monitores CRT”

  • Isabella Moreira

    Eu concordo com tudo que o jon bon jovi disse, pois as pessoas não tem mais aquela empolgação quando vai comprar um cd na loja, pois já conhece ele. Eu digo isso pq os cds q eu compro eu já tenho escutado antes pela net e com isso não tenho a mesma empolgação na hora que eu compro ele.
    Os músicos nessa história são os menos prejudicados, pois a gravadora é a principal ganhadora nessa historia de venda de disco. Cada musica ganha em cima, apenas, do contrato com a gravadora.
    Músicos como o bon jovi, não precisa mais de gravadora p lançar um disco, tanto que eles agora são independentes. Para eles o lucro está na venda de shows.
    O que o Jon quis dizer é que hoje perdemos a magia que um disco pode causar.
    E para aqueles que acham que o bon jovi é um babaca e só pensa no lucro, ele foi a banda do ano passado que mais se destacou e o que mais lucrou.
    Provando mais uma vez que a intenção, de lucro, do bon jovi não é a venda de disco

  • Ale BJ

    Para variar, a mídia distorceu o que Jon falou. Ele não criticou diretamente Jobs, mas sim o que se perdeu com os avanços tecnológicos, apenas isso. Realmente, essa juventude de cultura de “macarrão instantaneo”, com 3 minutos tem tudo na mão, consome o que for mais fácil e nem sempre o que poderia proporcionar um momento mais singular.
    Povo não analisa direito e a mídia como quer vender, detonou logo…
    Concordo com o Mr. Bongiovi: “As crianças de hoje perderam a experiência de colocar os fones de ouvido, aumentar o volume ao máximo, segurar a capa do CD, fechar os olhos e se perder em um álbum…”.

  • Pingback: Bon Jovi é contra a música – Sinapses Livres()

  • Tato

    É normal, todos envelhecemos e achamos que nossa época era melhor que a atual. O nome disso é nostalgia. Quando eu for velho também vou ser assim. Isso só mostra que teve uma vida feliz e tem saudades. Cd e DVD não me fazem falta. Sou da geração da nuvem, de pedir pizza pelo Ipad, enfim, do mundo conectado. O futuro sempre chega! E Steve Jobs foi um dos arautos de novas mudanças.