Início » Legislação » Geohot faz acordo com Sony para fechar processo [atualizado]

Geohot faz acordo com Sony para fechar processo [atualizado]

Por
7 anos atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

Ao divulgar a chave-mestre do PS3, o hacker Geohot se meteu em altas confusões com a SCEA, o braço da Sony responsável pelo console. Quando soube da divulgação da chave, o time de advogados da empresa tratou de abrir um processo contra ele para tentar garantir que a chave não se espalhasse mais ainda. Nesse aspecto, falando nisso, eles falharam miseravelmente. Hoje, no entanto, ambos anunciaram que o processo foi fechado depois de chegarem num acordo.

Nem a Sony nem o próprio hacker liberaram detalhes do acordo, mas segundo um post no blog oficial do PlayStation anunciando o acordo, o hacker teve que concordar com termos de uma ordem judicial permanente, que também não foi revelada. Mas como um das ordens judiciais emitidas durante o processo pediam para Hotz retirar do ar o código, é bem provável que esses termos também se fizeram presentes na nova ordem.

Segundo o conselheiro-geral da Sony “estamos muito felizes com a vontade do Sr. Hotz de trabalhar conosco para resolver os problemas legais o mais cedo possível”. O processo, no entanto, foi aberto não só contra Geohot mas também contra o grupo de hackers fail0verflow. Ainda não se sabe se o acordo também os inclui, mas imagino que sim.

Atualização às 13:31 | Em seu blog pessoal, Geohot diz que se une ao boicote à Sony e que nunca mais na vida vai comprar um produto da empresa.

Atualização às 15:53 | Lendo os comentários do último post do Geohot, acabei esbarrando no site PSX-Scene.com que, muito convenientemente, publicou a ordem judicial que deveria ser supostamente confidencial e do qual nenhuma das partes poderia falar publicamente sobre.

Pelo que entendi do juridiquês em inglês, o hacker ou qualquer pessoa trabalhando para ele fica proibido de criar ou distribuir programas ou dispositivos que modifiquem qualquer produto Sony, usar algum produto Sony de forma não-autorizada, ajudar a modificar produtos da Sony ou distribuir informações confidenciais sobre tais produtos. Se ocorrer uma violação dessa ordem, o hacker pode ter que pagar entre 10 e 250 mil dólares de multa.