Início » Games » As mil e uma profissões do Mario

As mil e uma profissões do Mario

Por
7 anos atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

O Mario é provavelmente um dos personagens mais marcantes de toda a história dos videogames, aparecendo em dúzias de jogos desde 1981 até hoje.

Entretanto, ao contrário de outros personagens igualmente prolíficos, o Mario não se limita à sua zona de conforto. Em seus trinta anos de carreira, o encanador italiano já explorou praticamente toda profissão disponível no mercado de trabalho videogamico.

Chega ao ponto de eu me perguntar por que o chamamos de “encanador” afinal de contas, já que ele praticamente mal desempenhou essa função nos jogos. Por outro lado, já o vimos como…

Carpinteiro

Quando? Donkey Kong, de 1981.

Em sua primeira aparição, Mario nem tinha esse nome ainda — o encanador italiano se chamava Jumpman.

Opa, eu falei “encanador”? Foi força do hábito. Em sua primeira aparição nos games, “Jumpman” era um carpinteiro (por isso sua arma era um martelo). E o vilão do jogo (outro personagem que acabaria tendo uma lucrativa carreira solo) era seu animal de estimação.

Encanador

Quando? Mario Bros, de 1983.

O primeiro jogo que portava o nome dos icônicos irmãos estabeleceu boa parte da história central deles: Mario e Luigi são encanadores italianos que descem ao subsolo de New York para combater tartarugas e outros bichos mais estranhos. Os canos e as tartarugas iriam eventualmente se tornar parte intrínseca da série.

A propósito, ao contrário do que você possa ter acreditado por causa do horrendo filme Super Mario Brothers (mais especificamente esta cena), a Nintendo nunca deu sobrenomes aos irmãos. É só Mario e Luigi mesmo.

Demolidor

Quando? Wrecking Crew, de 1985.

Wrecking Crew é um jogo bastante obscuro, por dois motivos. Primeiro, ele não foi desenvolvido por Shigeru Myamoto, e sim por Yoshio Sakamoto (o cocriador da série Metroid). E a segunda razão foi o ano de lançamento. Outro jogo estrelando Mario viria a ser lançado naquele ano também, obscurecendo praticamente qualquer game concorrente.

A missão do Mario é destruir os objetos (paredes, escadas etc) na tela. Como o personagem não pode pular — mas que blasfêmia é essa?! —, a sequência de demolição precisa ser perfeita. Por exemplo, destrua uma escada cedo demais e você não poderá subir de volta para alcançar os outros objetos.

Juiz de boxe

Quando? Punch-Out!!, de 1987.

O jogo não tinha nada a ver com o Mario, mas o personagem já era mascote da Nintendo a essa altura. Decidiu-se que o gordinho italiano faria uma aparição especial como juiz. E um juiz que não parece ir muito com a sua cara, diga-se de passagem. Quem nunca notou que a contagem de nocaute do seu oponente parecia ser bem mais lenta que a sua?

É uma participação pequena (tudo que o Mario faz é berrar “FIGHT!”) e executar a contagem do nocaute, mas pode ter certeza que esse emprego também consta no currículo do personagem.

Médico

Quando? Dr Mario, de 1990.

Entre esmagar goombas, tartarugas voadoras e salvar princesas, Mario aparentemente arrumou tempo para se formar como médico.

Dr. Mario é um puzzle bastante similar a Tetris, mas baseado em cores. Não basta fechar linhas, você precisa orientar as pecinhas (que são pílulas coloridas arremessadas pelo médico) fazendo com que as cores se empilhem. Faça isso em cima dos vírus e bactérias que habitam o nível e eles desaparecem.

Além de trazer o Mario em sua carreira mais acadêmica, Dr. Mario também é responsável por uma das musiquinhas mais viciantes do repertório do personagem.

Malabarista

Quando? Mario the Juggler, de 1991.

Mario the Juggler foi o último Game and Watch (aqueles minigames clássicos da Nintendo) a ser produzido. Nele, inimigos clássicos da série arremessam objetos igualmente clássicos (cascos de tartarugas, bombas, estrelas) que deviam ser mantidos no ar por Mario. Derrube três deles e o jogo acaba.

Curiosamente, a “engine” do jogo — se é que podemos usar esse termo se referindo a um jogo de Game and Watch, né? — foi baseada num dos primeiros jogos da série de minigames da Nintendo: Ball. Tudo que a Nintendo fez foi aplicar o tema Mario por cima e relançar.

Piloto de corrida

Quando? Super Mario Kart, de 1992.

Eu ainda lembro como me contaram a respeito de Super Mario Kart. Um dos moleques que habitavam a locadora da região, que andava por lá com tanta frequência que acabou virando nosso feed RSS para os lançamentos da loja, nos encantou com a seguinte definição: “saiu aí um Top Gear com o Mario”.

Super Mario Kart viria a dar o pontapé no gênero “jogo de corrida com mascotes de empresa de videogames”.

Vale lembrar que esta não foi a primeira aparição do Mario em jogos de automobilismo (esse crédito vai para F1 Race do NES). Apesar de aparecer na capa do jogo, em F1 Race o Mario tinha apenas uma aparição especial do outro lado do volante.

Atleta

Quando? Inúmeros jogos, mas começou com Golf em 1985.

O Mario não tem as características que geralmente se esperam de um atleta respeitáve. Ser baixinho, levemente rechonchudo e com um hábito de consumir cogumelos que definitivamente causaria muitas desqualificações em exames antidoping.

Apesar disso, o mascote da Nintendo já apareceu em quase todo tipo de esporte que você possa imaginar. Ou, mais especificamente, versões cartunescas deles: futebol, baseball, tênis, golfe, basquete e até mesmo atletistmo olímpico (e contra o Sonic ainda por cima).

Curioso é que, mesmo após todos esses anos de intensa atividade esportiva e inúmeros empregos diferentes, o Mario ainda mantém aquela clássica barriguinha de chopp…

Mais sobre: ,