Depois de um bom tempo de desenvolvimento e muita discussão entre usuários e desenvolvedores, finalmente a primeira versão estável do GNOME 3 é lançada, trazendo centenas de mudanças na usabilidade e na experência do usuário (algumas drásticas, outras muito bem-vindas). Mas calma, porque pelo menos por enquanto não há pacotes já prontos para as distribuições mais utilizadas.

Tratar o GNOME 3 como uma evolução do GNOME 2 é um erro; as mudanças foram tantas que pelo menos por algum tempo você provavelmente ficará perdido tentando navegar pelas opções. A sorte é que a interface é tão simples e minimalista que não há muitos segredos no uso. Aliás, basicamente o GNOME 3 pega umas partes interessantes do OS X, outras tantas partes do Windows 7, mais um pouquinho do Unity que a Canonical vem desenvolvendo, e junta tudo em uma interface única. Isso provavelmente deve acabar facilitando a migração dos usuários de diversos sistemas para uma distribuição Linux com o GNOME 3 instalado.

O vídeo abaixo é um dos muitos que apresentam o novo GNOME para os usuários, e mostra como é fácil responder ou ignorar uma mensagem instantânea dentro do GNOME, sem necessariamente perder o foco do que você estiver fazendo na hora. Ótimo para quando você está tentando escrever um post e toda hora aparece  alguma interrupção. 😛


(YouTube)

O único problema é que por enquanto, não há pacotes disponíveis para distros conhecidas, e isso deve demorar um pouco. No caso do Ubuntu, ele só deve estar disponível de forma estável em 28 de abril, e apenas em 24 de maio para o Fedora. Se mesmo assim você quiser instalar o GNOME 3 no Ubuntu 11.04, execute os comandos abaixo no terminal, mas prepare-se pois no momento ele quebra o Unity, e você será obrigado a escolher ou um, ou outro:

sudo add-apt-repository ppa:gnome3-team/gnome3
sudo apt-get update
sudo apt-get dist-upgrade
sudo apt-get install gnome-shell

Mas se você não curte fortes emoções e mesmo assim quer testar o GNOME 3, pode baixar um Live CD no site do projeto, e você ainda pode escolher entre uma instalação baseada no openSUSE ou no Fedora. A minha sugestão é exatamente essa, pelo menos por enquanto.

Com Informações: H Online.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Leonardo
Gnome sempre foi e sempre será o melhor, a estupidez do Mark Shuttleworth e dos desenvolvedores ao pensar que um filho é o próprio pai.
@burnermanx
Nem adianta rodar o Gnome 3 em maquinas virtuais, o Gnome 3 EXIGE aceleração por hardware, senão ele roda beeem capado.. parecido com o Gnome 2
Ramon Melo
Questão de tempo até resolverem isso.
@trovalds
Daqui alguns meses quem sabe eu vou usar, quando se tornar estável no Gentoo.
@brunogdb
Já usou? Nem me acostumei direito ainda :S (sério)
Turdin
Que coisa horrível aquilo ali! "deixando vc decidir quando irá querer quebrar sua concentração" Mais do que aquele popup gigante já quebrou?
@AntonioVeras
Opa. Ligando os motores do Virtual Box.
Eduardo
Vou esperar lançar a versão estável do Ubuntu 11.10 para testar o GNOME3.
Eduardo
Segundo a Canonical, ele não virá com o Ubuntu 11.10, esta versão só terá o Unity. ¬¬
Gabriel Bemfica
Será que ele vai bem com o Ubuntu 11.10? Tomara que sim :)
Matheus
Vou atualizar as minhas partições! :)
Rafael The Mist
Pior foi o segundo parágrafo, em que você começa perdido e depois descobre que não há muito segredo para o uso. hehehehe.
@leozacche
Eu fiz o caminho inverso: Ubuntu na máquina física e algumas virtuais (VirtualBox por favor!) para coisas diferentes: desenvolvimento windows (que é o meu trabalho), Oracle para uns testes, Suse para o Mono e uma limpinha com o Seven só para agradar o iTunes. Quer saber? Mesmo com uma ou outra chatice com USB, foi a melhor coisa que eu fiz! Tô amarradão. E se eu quiser reinstalar o Ubuntu, tudo meu continua funcionando! :D
@thiagoleite
o.O Quero testar essa nova versão... vou rodar o fedora na vm pra ver qualé que é
Guilherme Mac
Fez um voto? O_o
Exibir mais comentários