No último mês de fevereiro os e-books se tornaram a categoria de maior participação nas vendas toda-poderosa indústria editorial norte-americana, informa o jornal Financial Times.

De acordo com a Association of American Publishers (AAP), os livros digitais registraram vendas de razoáveis US$ 90,3 milhões (R$ 142 milhões) em fevereiro, contra os US$ 81,2 milhões (R$ 127 milhões) das “publicações adultas em brochura”, segunda categoria mais vendida.

No bolo total, os livros de papel ainda superam os eletrônicos por uma larga margem, contabilizando vendas de US$ 442 (R$ 665)milhões no mês – a AAP divide o mercado em diversas categorias, como livros infantis, livros infantis de capa dura, livros adultos, livros adultos de capa dura, brochuras e por aí vai.

Em relação ao mesmo período do ano passado, os livros digitais também foram a categoria a registrar maior crescimento, com 169% de aumento. Já a publicação de livros impressos caiu 24,8% em relação a 2009. Na Amazon, maior vendedora de livros dos EUA, a venda de livros digitais superou os de papel no último mês de janeiro deste ano,quando o fundador do site, Jeff Bezos, disse que “a cada 100 livros físicos impressos são vendidos, outros 143 digitais são comercializados”.

Com informações Estado de S.Paulo, The Next Web

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

@oscher88
Fora que o eReader brasileiro foi trollado pelo governo e não teve 1 centavo de isenção de impostos. É mais barato importar um Kindle dos EUA do que comporar o Alfa por aqui....
Rafael The Mist
Sinal de alerta nas editoras "comuns". PS: Parabéns pela notícia. Está melhor escrita que a do Estadão.
Caio Furtado
Continuo preferindo o livro físico.
@EmanuelSchot
A tela dos e-readers são diferentes. Não emitem luz (assim como o papel) e dependem da luz externa.
Ramon Melo
Concordo plenamente. O que mais me irrita nos e-books é o fato de você não poder emprestá-los de/a ninguém, a não ser que você entregue seu e-reader. Isso estraga completamente a leitura como um hobby social e atrapalha o debate de ideias. Prefiro continuar com meus livros em papel mesmo. Acho muito hipócrita querer poupar papel de alguns livros e ficar comprando gadgets novos todos os anos. Por acaso Kindles, tablets, smartphones e PCs novos são menos poluentes que uma coleção de livros em papel?
@SammyHeavenly
Continua sendo muito mais barato ler livros de papel mesmo, pois mesmo apos a leitura, voce pode vende los a sebos e empresta-los a seus amigos, em troca de outros livros. E ainda sai de graça aluga los em bibliotecas. Livro eh para ser lido, nao para ser guardado em estantes.
@andradevini
Eu acho melhor ler 'ao vivo mesmo'. A vista cansa nesses monitoreszinhos de LCD...
@brunogdb
O pior é ver isso. Uma solução para ajudar a natureza, e o país não tem isso. Ainda quer ajudar os tablets...
@AntonioVeras
E o Brasil ajuda bastante nesta área. O arquivo digital custando o mesmo que o de papel. Compro o papel.
Alexandre
Daqui pra frente esses numeros soh crescerao. Nao podia ser diferente
@brunogdb
Pensando assim, o eBook é bom, mas de visual os livros são mais bonitos -- leio muito, e tenho muiiiitos livros antigos em casa, tipo do Machado de Assis e de muitos anos anteriores, e por isso acho mais bonito -- em troca, eu curto muito meus eBooks no iPhone :)
John
Prefiro não ter uma biblioteca em casa mas saber que toneladas de papel estão sendo economizadas. Que os eBooks possam num futuro não muito distante, substituir todo e qualquer prazer de ser ler um livro propriamente dito. A natureza agradece.
RKNeto
Virtual ou não, é bom saber que ainda existem pessoas que lêem livros. Queria que o brasil fosse assim também.
@brunogdb
Em questão, o eBook é melhor pela facilidade, mas nada substitui o papel e sua beleza de livro nas estantes. Acho legal ter crescimento este método :)