Início » Celular » Atualização do iPhone sem depender do iTunes? Num futuro distante, quem sabe

Atualização do iPhone sem depender do iTunes? Num futuro distante, quem sabe

Avatar Por
8 anos e meio atrás

Sempre que tem atualização do iOS, os leitores TB são os primeiros a saber por meio de tweets e posts por aqui, dependendo da importância de cada atualização. Aí começa o suplício de abrir o iTunes, buscar pelo update, possivelmente esperar um bom tempo pelo arquivo, já que os servidores da Apple ficam superlotados... Inspirada no Android, a Apple bem que deveria considerar mudar esse processo.

Para tanto, bastaria adotar as atualizações OTA (over the air, ou pelo ar, em tradução livre). Alguns poucos aparelhos rodando Android contam com o recurso, que facilita muito a vida. Cabe ao usuário esperar que o arquivo seja baixado e, depois disso, confirmar a sua instalação. Simples assim.

Segundo o GigaOM, a Apple tem alguns desafios a enfrentar antes de oferecer iOS OTA para iPhones, iPods Touch e iPads. Para início de conversa, o tamanho dos arquivos de instalação precisa diminuir. Não é raro baixar mais de 500 MB para cada nova atualização do iOS, o que inviabiliza o processo para quem usa 3G vagaroso. O mesmo vale para usuários com um pacote de dados com limite mensal (no ortodoxo limite de 1 GB por mês, o download de um arquivo de instalação do iOS representaria 60% do tráfego mensal).

Outro possível problema é a forma como a atualização se instala no aparelho. A intervenção do usuário deveria ser mínima, diz o GigaOM, mas nem por isso o dono do aparelho precisa ficar às escuras sobre o que exatamente ele está colocando em seu equipamento.

Captura de tela: atualização do iOS no iTunes

iTunes: necessário para atualizar o iOS

Realizar backup do conteúdo do aparelho, por exemplo, ainda é difícil sem o iTunes. O Android oferece a sincronização de contatos de graça, enquanto outros aplicativos permitem fazer o backup dos arquivos salvos no aparelho. O iOS não é tão simples assim, então faz-se necessário que a Apple crie um serviço na nuvem especificamente para esse fim — dizem que o iCloud cumprirá a função.

Uma vez que esses pré-requisitos sejam cumpridos, ainda falta a colaboração das operadoras. O Google tem apoio das fabricantes de celular e das operadoras para distribuir atualização do Android via OTA. O mesmo terá que ser alcançado quando a Apple decidir oferecer o mesmo recurso no iPhone.

Ainda vai demorar para que o smart da Apple baixe suas atualizações automaticamente, que serão instaladas com uma simples confirmação do usuário. Mas é inegável que tal recurso seria muito bem-vindo dentro do ecossistema da maçã, principalmente por aposentar o iTunes quando não há necessidade de transferir novas músicas para o aparelho.

Imagem: rodrigotoledo.com.