Início » Internet » A balada antes e depois das redes sociais

A balada antes e depois das redes sociais

Por
8 anos atrás

Como um adolescente comemorava seu aniversário no início dos anos 90, e como faz 20 anos depois?

Início dos anos 90

A patota se reuniu no intervalo de aula, após cada um pensar em lugares bacanas para comemorar o anversário do Juca. Foi complicado chegar a um consenso. Além de duros, como qualquer adolescente, a mesada estava mais do que racionada depois que o governo confiscou a poupança de todo mundo. Foi preciso escolher uma lanchonete boa e barata e uma balada com o mínimo de consumação.

Com muito sacrifício, a turma fez uma vaquinha para presentar o amigo: uma camisa com a banda favorita do aniversariante e uma fita cassete customizada com hits selecionados. Não foi fácil conseguir tantos LPs e fitas emprestados, mas deu certo; com um pouco de empenho do colega mais entendido em microsystems e double decks, nasceu a fita com faixas personalizadas.

Depois do lanche, a turma se reuniu rumo à casa noturna. Lá que viria a grande surpresa: os colegas de colégio estariam todos lá, aguardando. Até a Aninha, a menina que o aniversariante estava a fim, topou comparecer. Será que ia rolar alguma coisa?

Foi uma farra. Todos beberam, dançaram até não aguentar mais, contaram histórias, riram muito.

Ok, a ficada não aconteceu. Mas a Aninha não só apareceu como ainda trocou algumas frases com o aniversariante… Uma vitória e tanto! E, colírio dos colírios, assistiu a bela dançar a festa toda.

20 anos depois

Depois de trocar alguns torpedos e mensagens no Facebook durante a aula, a galera se reúne na saída para discutir qual balada seria a melhor para passar o aniversário do Pedro, ou melhor, Beowulf77 — só a família o chama pelo diminutivo de seu nome de batismo. Não houve consenso: cada um escolheu sua balada baseando-se nas arrobas que costumavam frequentar, e pelos “curtir” no Facebook. Enfim, foi decidido que se que se daria uma passada em cada uma delas para ver o que estava rolando, e, dependendo do clima, ficar ou não.

Ninguém comprou presente. Todos viram no Twitter que o próprio Beowulf77 acabou de se presentear com o último iPhone, parcelado em 10 vezes. Ele estava feliz da vida, afinal, só faltava uma parcela para quitar o smartphone anterior, já demasiadamente defasado.

Depois de alguma discussão, decidiram ir primeiro na balada de uma super arroba, que deveria estar bombando, afinal, ele é uma webcelebridade. E estava mesmo, até demais: casa cheia, cerveja morna e música ruim. Mas demoraram para perceber isso, pois passaram um bom tempo tentando fazer check-in no Foursquare, já que o 3G mal pegava lá dentro. Um dos membros da turma ficou revoltado com o nível da festa:

— Caramba, orkutizaram a balada! Vamos para outra.

Contudo, antes de partir, um feito fez o primeiro destino valer a pena: encontraram duas webgostosas populares no Twitter, fizeram fotos ao lado das moças e imediatamente postaram em todas as redes sociais, para os seguidores morrerem de inveja. É bem verdade que também tentaram encontrar a super arroba que organizou a festa, mas ninguém sabia como ele era na vida real. Afinal, seu avatar era um personagem da série Big Bang Theory.

Passaram por mais alguns barzinhos, e, muitos check-ins depois, encontraram uma que valia a pena ficar. Beowulf77 ficou aliviado, pois já eram quase 3 da manhã e ele teria que estudar matemática pra prova no dia seguinte.

Foi uma noite super legal. Sem largar seus smartphones, cada um postava no Twitter cada passo, cada cerveja bebida e cada arroba encontrada. Pena que não encontraram a @Vanessinhaaa_fofuxaaa, a menina que o Beowulf77 estava a fim. A mina não tinha Foursquare; como adivinhar os lugares que frequentava?

Depois de um tempo, a turma decidiu sentar e comer alguma coisa. Beowulf77 queria um ombro amigo para compartilhar seus sentimentos a respeito da @Vanessinhaaa_fofuxaaa, mas a turma estava quebrando a cabeça para fotografar os rótulos das cervejas e colocar no Instagram. Como a luz não favorecia, foram necessários muitos cliques até conseguir uma foto adequada. Em seguida, foram para a pista. Não dançaram, mas postaram dezenas de fotos. Cada um queria posar ao lado do aniversariamente e uma arroba popular, para postar em seus perfis. Quase deu cãimbra no Beowulf77 de tanta foto pra sorrir.

Exaustos, era pouco mais de 6 da manhã quando o amigo que tinha carro levou a turma embora. Triunfante, fez uma grande revelação: seu presente de aniversário. Beowulf77 arregalou os olhos, surpreso, e perguntou o que era.

— Eu que criei a hashtag #Bewoulf77day no Twitter!!!!

Participe das conversas do Tecnoblog

Leia o post inteiro antes de comentar
e seja legal com seus amiguinhos.

Carregar Comentários Conheça nossa política de comentários aqui.