Início » Software Web » SkyDrive deveria aprender com a Dropbox

SkyDrive deveria aprender com a Dropbox

Executivo da Microsoft admite falta de bons app para o serviço de armazenamento na nuvem.

Por
7 anos atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

Melhor serviço de backup de dados que quase ninguém usa, o SkyDrive deve receber novos aplicativos num futuro próximo. A informação foi confirmada pelo líder da empresa para Internet Explorer e Live, Brian Hall, conforme nos informa o All About Microsoft.

Os 25 GB de armazenamento gratuito que o SkyDrive oferece não são suficientes para os usuários, que querem facilidade na hora de subir documentos, fotos e vídeos para a rede. Por isso que a companhia não descarta lançar apps que estendam as funcionalidades do serviço para além do navegador.

SkyDrive: 25 GB de armazenamento gratuito

De acordo com Hall, podemos esperar bons apps do SkyDrive para dispositivos móveis, que permitam visualizar arquivos, fotos e documentos armazenados pelo Office Web Apps. O próprio executivo admitiu que nem sempre é fácil encontrar as coisas que estão armazenadas no serviço de armazenamento na nuvem.

Se a Microsoft for esperta, criará aplicativos similares ao da Dropbox para as mais variadas plataformas móveis. Os usuários querem acesso rápido e móvel aos seus arquivos. Enquanto o SkyDrive estiver limitado ao browser, ninguém vai se interessar pelos 25 GB de espaço (5 GB podem ser usados para sincronizar pastas e arquivos com o computador; os demais são para upload somente).

É de se esperar que a Microsoft implemente uma maior integração com a nuvem (dela própria) no Windows 8, cujas primeiras imagens — e a tela inicial — foram demonstradas nessa semana. Um aplicativo baseado em HTML5 e JavaScript é o mais provável, mas a empresa não quis comentar nada sobre o assunto.

No meu uso diário, sempre optei pela SugarSync (inclusive já falei sobre ela por aqui) para manter minhas máquinas com arquivos sincronizados. Já o SkyDrive serve muito bem para desafogar os discos rígidos de arquivos desimportantes que podem muito bem ficar na nuvem e que, caso sumam, não farão muita falta. Trabalhos de faculdade antigos e desatualizados, por exemplo.