Início » Internet » Google está sob investigação do governo americano

Google está sob investigação do governo americano

FTC vai revisar práticas comerciais do gigante da internet.

Avatar Por

Nada de boas notícias para os nossos amigos de Mountain View. O Google anunciou nessa sexta-feira que recebeu uma notificação da FTC (Federal Trade Commission, ou Comissão Federal de Comércio) nos Estados Unidos. Na carta, o órgão afirma que vai conduzir uma enorme investigação acerca das práticas comerciais do Google nos últimos anos.

A investigação é considerada como anti-truste, porque tenta levantar informação sobre práticas de truste do Google. Para quem não sabe, o tal do truste significa que uma empresa utilizou seu tamanho, poder econômico – e tecnológico, suponho, para o caso específico do Google – em benefício próprio.

Em um texto sobre o assunto, Google reafirmou que sempre teve o usuário em foco ao desenvolver novos produtos e serviços. "Nós reconhecemos que nosso sucesso levou a um grande escrutínio", diz a empresa ao admitir que recebeu o comunicado da FTC. É bem verdade: com os bilhões de dólares que o Google fatura anualmente e a grande concentração de mercado que a empresa abocanha no negócio de buscadores, não é surpresa que um órgão de investigação vá atrás de mais detalhes sobre a empresa.

A Microsoft passou por investigação similar e Bill Gates teve que prestar esclarecimentos

Na mensagem, o gigante da internet meio que ironiza o comunicado da FTC: "Ainda não está claro quais são as preocupações da FTC". Entretanto, o Google finge não saber que a investigação será ampla e possivelmente vai trazer questionamentos sobre diversos negócios da companhia.

O Google promete colaborar integralmente com as requisições da FTC. Se for assim mesmo, é de se esperar que a empresa tenha um grande custo com a produção de documentos, pareceres, provas e afins que tragam explicações para a comissão de comércio americana.

Esse é o só o começo do que me parece ser um processo bastante longo e litigioso. Cabe lembrar que a Microsoft também já enfrentou investigação similar no início dos anos 1990, quando diversas práticas da companhia foram investigadas. Até mesmo Bill Gates prestou (notáveis e inúteis) esclarecimentos ao governo americano.