Início » Brasil » Virando a mesa da banda larga “impopular”

Virando a mesa da banda larga “impopular”

Avatar Por

Da semana retrasada pra cá, venho acompanhando com interesse a repercussão dos leitores do Tecnoblog às notícias que concernem a banda larga popular. Como bem sabemos, o governo quer baratear o acesso à internet de alta velocidade aos brasileiros. Mas como isto está sendo proposto é alvo de muita polêmica.

Entre os comentários dos leitores, é quase unânime a opinião de que 300 MB de limite mensal para download é muito pouco, mesmo para um projeto popular. É difícil esmiuçar quanto isso representa em termos de navegação, mas calculando por cima, essa cota permite baixar uns 2 filmes de meia hora com qualidade mediana.

Franquias para o PNBL anunciadas até o momento

Os leitores do Tecnoblog estão habituados ao consumo ávido dos mais diversos tipos de conteúdo, e não me admiro que boa parte desse pessoal trabalha, estuda, lê, se informa, se comunica e se diverte quase que exclusivamente pela web. Houve até quem atestasse que gasta 80 GB mensais de tráfego!

Contudo, estamos falando do acesso à web a milhões de brasileiros que nunca tiveram acesso nenhum até hoje. Não se trata apenas de informação e relacionamentos, mas até do exercício de sua cidadania. Além do singelo correio eletrônico, que é uma janela para o mundo, estamos falando de serviços públicos e da reinvidicação de direitos dos mais básicos. Muitas vezes, em lugares onde até os meios analógicos lhes são negados!

Para essas pessoas, e para o que se propõe o Plano Nacional de Banda Larga (PNBL), os 300 MB são suficientes; afinal, o que importa aqui é uma assinatura que não pese no orçamento dos brasileiros mais humildes, que calculam as despesas do mês na ponta do lápis, de moeda em moeda. E não um desbunde internético para um público sedento por diversão, algo que, além de tudo, derrubaria de vez a nossa já saturada infraestrutura.

Mas é exatamente na questão preço que a “porca torce o rabo”.

A proposta de R$ 35 por 300 MB de tráfego a 1 Mbps de velocidade continua cara. Basta algumas poucas contas para notar que isso pouco difere dos serviços já oferecidos — naturalmente, onde há estrutura e concorrência que permitam preços competitivos. Além de ser um valor que pesa no bolso de quem mais precisa, tem a questão do compromisso mensal, que por si só já espanta muita gente.

Talvez a solução já esteja diante dos nossos olhos. Não somos o país dos pré-pagos? Analisemos o recuo da telefonia fixa no Brasil, frente ao crescimento exponencial da telefonia móvel. Mesmo pagando muito mais pelo minuto de uma chamada, as pessoas rejeitam o compromisso mensal. O que elas desejam é a conveniência: pagar quando querem e quando podem.

Na banda larga móvel pré-paga há planos interessantes, a 33 centavos ao dia, sem precisar de computador: por R$ 9,90 descontados nos créditos, o cidadão pode navegar 40 MB ao mês, a 1 Mbps, em seu celular. Estourando a cota, apenas abaixa-se a velocidade. Ou então, aos internautas ocasionais, pode-se pagar apenas 50 centavos caso deseje usar a internet apenas nas próximas 24 horas.

Adaptar o modelo da internet móvel à banda larga popular poderia sim promover a inclusão digital de milhões de brasileiros. Em vez de uma assinatura mensal, a aquisição de créditos em minutos, com a mesma fórmula do limite mensal de tráfego e de velocidade. Também pode-se dar a opção de compra de créditos, igualmente a preços populares, para quem não tem computador: as operadoras instalariam suas próprias lanhouses — outro fenômeno tupiniquim —, que funcionariam da mesma forma que as agências telefônicas já existentes em cidades do interior.

O PNBL se transformaria numa espécie de “orelhão” da banda larga.

Como não sou engenheira ou especialista em infraestrutura, gostaria de ouvir a opinião dos tecnoleitores sobre o tema. O que vocês propõem para que tenhamos um projeto de banda larga verdadeiramente popular?

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

@PontoBRInfo
Aqui na minha cidade temos o Velox 49,90 300k ilimitado,um provedor furreca chamado Sapucainet que vende 300k por 86,90 E o provedor que eu uso, eu tenho conexão de 2MB, 20gb mensais por 69,90, eles tem um plano de 2mb 2gb mensais por 29,90 e um de 3mb 30gb por 89,90. é via rádio mas opera em 5.8ghz Além da velocidade ser constante e não ter horário de pico o ping sempre está na casa dos 8ms além das 1600 conexões por segundo, o velox fornece 160 conexões por segundo. Concordo plenamente com o Fernando Silva, o Brasil é uma festa para as empresas de telefonia, e um grande depósito de velharia também, enquanto era lançado a rede HSPA (3G) na Europa já era usado o HSDPA (4G), e onde vocês acham que foram usados os equipamento desativados do primeiro mundo????
Daniel
Pois é, nas cidades vizinhas o que se vê muito são aquelas LANs atravessando quarteirões, porque vale muito mais à pena pegar um plano comum (500k/1mb, ilimitado) e dividir pra várias casas do que pegar um plano porco de 300mb.
Fer
"tupiniquim"? Hello, sabem o significado disso?
Silvio
Ola Bia A respeito do seu texto acredito que a telefonia móvel seria a verdadeira inclusão digital pois a grande maioria já possuem aparelhos celulares.
@tsavkko
Porque não?
@xrenan
Um erro comum que vejo acontecer - principalmente com o pessoal que assina 3G - é o tal do LIMITE DE DOWNLOAD. A primeira coisa que as pessoas pensam é "Não vou baixar nada do Baixaki, só vou ficar no Orkut, MSN, Twitter e Youtube". Aí é só contar até dez e a conexão ficar uma lerdeza só, pois estouram a cota... Acho que seria muito mais válido investir diretamente na educação. Criar escolas, colocar carteiras decentes, remunerar professores dignamente, oferecer conteúdo de qualidade, estrutura boa, alimentação... Tenho certeza que isso seria mais proveitoso do que essa conexão natimorta.
Fernando Silva
POR FAVOR A TODOS OS BRASILEIROS: Vejam que são os deputados e senadores que elaboraram esse PNBL e nunca mais votem nele. Isso inclui a Presidente. Isso serve apenas para financiar empresas de Telefonia e Telecomunicações que financiam as campanhas deles. Quer um pelo exemplo do que aconteceu a pouco tempo: No governo Lula foi criado o "Computador para todos", com financiamento do BNDS, Incentivo fiscal, financiamento em 24x, entre outras coisas. Mas o computador pra todos era apenas da marca Positivo. As empresas provedoras de banda Larga brasileiras cobram o maior valor de internet do mundo e prestam o pior serviço do mundo. Os roteadores e servidores são arcaicos e desatualizados. Os Backbones, routers e outros dispositivos não são substituídos por melhores para melhorar o serviço prestado. São apenas alocados para regiões mais pobres ou pro interior. Esse limite proposto apenas assegura o direito das operadoras de prestarem um serviço péssimo a população de baixa renda, cobrando caro e garantindo o lucro aos acionistas de empresas de telecomunicações. Moro próximo a região do Jardim Angela em São Paulo (Capital) e depois de muito brigar com a Telefônica consegui ter apenas 250k de internet. Mesmo pagando quase 60 reais. Eles alegam que não foi possível colocar uma velocidade maior por problemas na região. Mas em Off, funcionários da própria Telefonica me disseram que os dispositivos estão operando acima da capacidade, que foram vieram usados de outras regiões como Itaim e Morumbi. E ate o absurdo de existir cabeamento analógico do tempo da Telesp que não foi substituído pela telefonica. Antes de propor aumentar o acesso a novos usuarios de internet no brasil, deve-se investir em infra-estrutura, profissionais e outras coisas deficitárias. Com o dinheiro investido pelo governo federal nesse PNBL, eles construiram programas de inclusao digital como o acessasp em todas as cidades do Brasil.
@pedronaroga
Bia, deixa eu deixar aqui duas dúvidas: 1) O que é "exercer a cidadania"? É uma criança carente fazer o trabalho de escola com auxílio da internet? Então, nesse caso, a criança VAI precisar baixar um pacote de algumas centenas de MBs, pra baixar, que seja, seu OpenOffice ou BROffice. 2) Qual a utilidade de uma conexão de 1mbps quando é limitado o consumo a 300MB? Se é só pra usar e-mail, ler notícias e textos em geral - ou seja, não é pra ser utilizado pra entretenimento (fotos/vídeos) - não há necessidade de uma largura de banda alta. É necessário somente uma latência baixa.
Marcelo
Finalmente a internet no brasil está saindo do buraco!!!
Tavares
Eu baixo 20 GB em 1 dia com minha conexão de 10mb, E pago somente R$ 69,00 por ela, acho um roubo esse PNBL, PORQUE SERÁ que a Anatel acabou com o projeto de Internet pela rede elétrica, não vou explicar aqui o que a Anatel fez mas basta uma busca pela web pra ver que o Governo e continua sendo safado e está manipulando todos com ajuda da mídia, pregando mentiras a população, o Governo corrupto do Brasil destruiu o PLC, abram o olho pois vocês estão sendo enganados mais uma vez.
@danradio
Olá Bia! Novamente, ótimo texto e análise. Porém, tenho um outro ponto de vista: Este projeto é algo utópico. Sinceramente não acredito que uma pessoa, por mais humilde que seja, consiga utilizar os 300 por mês. Não me parece justo. Bem, na verdade, JUSTO é. Porque cada um paga o que quer, o que pode e quando pode. Acho que a palavra certa seria, HONESTO. Esse projeto não me parece e não é nada honesto. Foi como você disse: Poderia, um cidadão, comprometer-se mensalmente por um serviço "incompleto?" Se nós, meros usuários, ligados quase que 24h. na rede, sabemos que para ler notícias e realizar tarefas basicas, gastamos mais do que o proposto pelo PNBL. Você realmente acredita que quem dita as regras não sabe que "não dá" ? Lógico que sabe. No final das contas fica caro: Será que ele tem PC? Será que ele tem uma suite de escritório? Será que que ele tem um sistema atualizado? Será que ele manda e-mail? Será que ele tem uma impressora? Será? Não é honesto. É chamar o cidadão de burro. Cidadania pra mim é outra coisa... O ideal seria: O indivíduo quer internet? Que ele pague conforme o uso. popular é isso. Esse governo é vergonhoso. A ANATEL virou casa da mãe Joana. Estamos nas mãos das operadoras.
c_guy
Francamente, é no mínimo ingênuo querer que toda a população de baixa renda atenha-se ao exercício da cidadania na internet ANTES de dar uma passadela no YouTube e estourar essa cota de 150, 300, 500 MB.
Tiago Braga Cavalcanti
Eu me lembro que tinha 600kbps da velox até 05 de outubro de 2009(quando finalmente me tornei mais um Feliz). Com os miseros 600kbps eu fazia fácil, mas muito fácil mais de 100GB só de downloads via torrent/emule. Sem contar navegação. Hoje jã não uso tanto assim o emule, pra os raros é uma beleza no entanto. Não quero nem contar aqui o quanto baixo por mês hoje com meus 15mb, futuramente 35mb. 300mb? Não dá uma hora de navegação.
@_Bunnye
Fiquei sem internet esses dias em casa, eu tenho Net Virtua de 6mb, fiz a substituição temporária pelo meu TIM móvel a 50¢ o dia, usando meu celular como modem e com um app pra monitorar o tráfego... em 3 dias, estourei a franquia de 300mb, só em navegação, midias sociais, youtube... Colocar franquia pra quem paga pouco pra não prejudicar quem paga mais e pode ter sua internet de 10, 20, 100mb eu concordo, mas colocar MISEROS 300mb? Os antigos planos móveis da Oi, o Velox 3G de 1mb, tem a franquia de 10gb... DEZ GIGAS! a 120 reais por mes.. A verdade? internet no Brasil é cara demais, mesmo com a ajuda do governo, isso nunca vai mudar.
marcoscs
Perfeito seu comentário, Marcio, disse tudo, nada a acrescentar.
Exibir mais comentários