Início » Computador Mobile Software » Apple não quer mais saber de software em caixinha

Apple não quer mais saber de software em caixinha

Por
7 anos atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

O OS X Lion foi apenas o começo. A Apple colocou em prática o plano de acabar com as caixas de software em suas lojas, as tão cultuadas Apple Stores. Em memorando enviado para revendedores, a companhia orientou para que eles não mais exibam as caixas de produtos conhecidos desenvolvidos pela maçã. A ideia é aproveitar o espaço com coisas mais rentáveis – um iPad ou um iPhone, na visão dos funcionários de Steve Jobs.

A equipe de varejo da Apple não é boba. Eles querem que os aplicativos da maçã sejam disponibilizados via Mac App Store, a loja de softwares dos Macs. Em vez de ir na loja e comprar um produto físico, com direito a DVD para instalação, os consumidores podem usar a Apple ID para simplesmente confirmar o pagamento e iniciar o download. Bastante simples, como já acontece no iOS.

As caixas estão proibidas nas lojas da Apple

O Apple Insider nota que os seguintes produtos da Apple não serão mais comercializados na tradicional caixinha: iLife 09, iWork 09 e Aperture 3. Os dois primeiros são softwares amplamente utilizados (quase uma unanimidade) nas máquinas da maçã. O último nem tanto, visto que tem uso voltado para profissionais.

Conforme alguns leitores observaram no review que eu escrevi sobre o Lion, uma mesma Apple ID dá direito a instalar determinado aplicativo em 5 computadores distintos da Apple. Isso significa que a venda de licenças do tipo Family Pack está com os dias contados. Ela foi substituída por uma tecnologia eletrônica muito mais prática de controlar para a Apple (no fim das contas, estamos falando de algo bem parecido com o DRM).

E como ficam os colecionadores? De mãos abanando. É o que vai acontecer com os brasileiros que queiram ter o Lion na caixa, em mídia física. A Apple prometeu para clientes americanos que vai oferecer um pendrive com o sistema no mês que vem. Pelo dobro do preço, no entanto. O escritório da Apple por aqui não soube dizer se o pendrive será vendido no mercado brasileiro.

Essa história me lembra de quando a Ubisoft anunciou que seus jogos não teriam mais manual impresso; apenas o digital. Meses depois, a EA foi pelo mesmo caminho. Quanto tempo vocês dão para que essas duas gigantes do software (afinal, jogo é software) também desistam dos CDs/DVDs de instalação e fiquem apenas na distribuição eletrônica?