O Plano Nacional de Banda Larga deu seu primeiro passo nessa terça. Lá em Santo Antônio do Descoberto, em Goiás. A cidadezinha com cerca de 60 mil habitantes é a primeira do país a receber a tão aguardada banda larga popular, desejo da nossa presidente Dilma Rousseff desde que iniciou seu mandato. Os moradores da cidade podem assinar a internet rápida gastando apenas R$ 35 mensais — e a conexão é de 1 Mbps, veja só.

Até aí, tudo maravilhoso. O acordo do provedor local Sadnet com a Telebras, a empresa estatal de telecomunicações, permite oferecer o acesso de internet a muitas pessoas. A própria Telebras esteve na cidade para testar a estrutura antes de dar o pontapé inicial no serviço. 1 Mega por R$ 35. Sensacional.

Esse modem D-Link custa menos de 100 reais em alguns sites

Com uma exceção: o modem de internet não está incluído nesse valor. O assinante gasta trinta e tantos reais por 1 Mega de conexão, mas se não desembolsar o custo do modem, terá apenas um serviço de telecom que chega na sua casa, mas que não pode ser utilizado, visto que falta o equipamento para tal.

Em que lugar do mundo, com exceção do Brasil, esse tipo de coisa acontece? Aqui em São Paulo, onde você assina qualquer serviço de internet em praticamente qualquer ponto da cidade, as empresas de banda larga oferecem mundos, fundos e o que mais o setor de telemarketing permitir, para que o assinante feche o negócio e assine o contrato.

Já tive o Virtua da Net em casa e atualmente tenho a banda larga da TVA. Em ambos os casos, o modem para tecnologia coaxial é fornecido em regime de comodato enquanto eu continuar assinando o serviço. O mesmo vale para o Velox da Oi no Rio de Janeiro, minha terra natal, onde o modem ADSL era garantido.

Lá em Santo Antônio os assinantes têm que pagar pelo modem e pela instalação do aparelho. No fim das contas, ter a banda larga popular fica R$ 300 mais caro — sim, o modem oferecido pelo provedor parceiro da Telebras custa esse preço.

O ministro das Comunicações Paulo Bernardo já sinalizou que o governo quer baratear o preço dos modems. Como assim quer? Já deveria ter feito isso faz tempo, desde que o decreto que dá vida ao PNBL foi assinado. Não, empurraram com a barriga até chegar nessa situação atual.

Queria ver os funcionários do governo explicando para aquela senhorinha humilde que só agora, depois de aproveitar uma oferta de computador mais em conta (graças à Lei do Bem), que a internet rápida não é bem como ela entendeu. “Minha senhora, é isso mesmo, o serviço custa R$ 35. E precisa pagar mais R$ 300 por um aparelho que possibilita que a senhora receba a conexão na sua casa. Posso fechar o plano? Ah, entendi, a senhora recebe apenas um salário mínimo por mês… Nesse caso, melhor deixar de ir ao supermercado, né?” Inconcebível.

Em tempo: gostaria que o provedor local me explicasse que modem é esse que custa trezentos reais. Existem equipamentos por um terço disso, é só fazer uma busca no Google.

Atualização – 23.8.2011 às 22h25 | Depois de uma busca mais apurada no site do provedor, descobri indícios de que se trata de internet transmitida via rádio. De acordo com alguns leitores, isso explica o preço do modem. Ainda assim, devo dizer que o preço de R$ 300 não combina com um serviço propagandeado por aí como “popular”.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Carlos Cruz
ola galerinha po sacanagem tive um supresa comprei um moldem assinei para pagar 120 e veio a primeir fatura de 197 po mais 3 duzentão poo sacanagem e nem sempre o serviço é de qualidade tão querrendo fazer o povo de escravo
Bruno
Provedor local, portanto SAD = Santo Antônio do Descoberto. :)
vercetti
concordo com o amigo aí em cima. Uso internet a radio, pago 50 reais por 1MB de dia e 2 MB a noite. A internet a radio é muito discriminada, no entanto não fica atrás de outros serviços. Antes usava velox, essa tristeza, que ainda faz venda casada com provedor e linha telefônica.
@daniellpita
Pegadinha do Malandro!!!
Rodrigo Fante
A internet a radio melhorou muito de qualidade nos últimos anos mesmo, ainda sim perde um pouco para bons serviços ADSL como a GVT, agora comparando com a Oi mesmo a rádio ainda é melhor opção, com certeza;
@kerlei
Eu trabalho com internetr via radio a alguns anos, mesmo nos sendo responsaveis pela inclusão de milhares de pessoas na internet, normalmente nem entramos nas estatisticas. E falando sobre preço, tenho planos de 1Mega a R$ 95,00 com equipamento de alto desempenho em comodato. Atuo na região da OI e particularmente, ela vem perdendo espaço na minha região, para meu serviço e para nossos concorrentes do mesmo segmento. Na nosssa região ninguem quer ter linha telefonica e pagar valor acima do que realmente necessita.
Caio Furtado
Bom isso é Brasil né, quer mais o que... ?
Master Blaster
Mora em algum cafundó do Brasil? Não, né? Logo, comentário estúpido...
@lh_almeida
Você tem que saber que essa banda larga lançada pelo governo é apenas para baratear o preço da internet da outras operadoras e acelerar a ampliação para outras áreas. Repare só o preço da internet da Telefônica, da Oi. Estão a partir de R$30,00.
@sorvelton
Vai ser difícil ter 1 Mega a radio...Além de qualquer coisa interferir, os caras não vão nem ligar quando alguém reclamar que a net está ruim!
@gabrielablack
Incrível. Em São Paulo, por um pouco mais que isso, você tem internet de 10 MB! Cada coisa que aparece... SUPER POPULAR essa banda larga, até me assusta.
kindin
Tenho internet a radio em minha residencia, no interior do RS, e o radio, antena e aparelho responsavel por receber e enviar o sinal até o provedor, é oferecido tambem em modelo de comodata, assim como os planos citados acima em SP, fica evidente é claro, que a provedora que fechou a parceria esta "tirando" o lucro em cima do radio, assim lucrando com a parceria, e lembramos, que esses 1mb nunca vão existir, se não me engano no acordo feito com as empresas privadas elas precisam entregar 10% dese valor, logo, OBVIO que não vão entregar um mb. Eu pago R$60 por mes, durante o dia tenho 600kb e a noite 1mb. Outro fator importante é que conexões a radio são muito instaveis, ainda mais quando não se usam equipamentos de ponta, sendo necessario que diariamente sejam feitos ajustes na rede, o que não vai acontecer, pois são clientes "baratinhos"
RClemente
Nos grandes centros urbanos, onde a renda per capita das famílias certamente é muito superior a tal cidade do interior de Goiás, temos planos de 1mb a 29,90 com instalação grátis, modem "grátis" (comodato na maioria), cafezinho, biscoitos amanteigados, massagem e o que mais eles puderem oferecer, como disse o amigo acima. O que justifica então um serviço POPULAR custar 300,00 na sua aquisição? É mais ou menos correspondente a 55% do salário mínimo. Quantas famílias ganham mais que isso nessa cidade? A questão não é o governo doando torneiras ou encanamentos. Se eles se prestam a oferecer um serviço popular para atingir as famílias com menos poder aquisitivo, é preciso, antes de tudo, bom senso. Estão precisando de uma melhor consultoria lá em Brasília. É aquela máxima que diz: "Quando não c#gam na entrada, c#gam na saída", não tem jeito.
Kowalski
Amigos, agora está explicado o alto valor do "kit" de acesso do PNBL: a "fantástica" e "inovadora" tecnologia é... ACESSO VIA RÁDIO!
Kernel_panic
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Exibir mais comentários