Início » Internet » Gmail Offline: para acessar o email quando não tem conexão

Gmail Offline: para acessar o email quando não tem conexão

Avatar Por

Você nunca mais vai poder reclamar que não tem como acessar o seu email quando está sem conexão com a internet. O Google apresenta hoje a nova iteração do Gmail Offline, que agora ressurge como um aplicativo gratuito para Chrome que, depois de instalado, sincroniza as mensagens e permite escrever e salvar emails que serão enviados somente quando a conexão voltar. Já não era sem tempo!

O Gmail Offline funciona de forma bastante semelhante à interface do Gmail para tablets. A equipe de desenvolvimento do webmail aproveitou o enorme conhecimento adquirido ao construir software usando o HTML5 no iPad e nos tablets rodando Android para criar esse aplicativo. Ficou realmente bom.

Gmail Offline é baseado na interface do email do Google para tablets | Clique para ver maior

De acordo com  o gigante da web, a grande vantagem de usar web app é que o usuário pode acessar suas informações a qualquer momento. Baseando-se no HTML5, o aplicativo tem acesso a um espaço maior para armazenar seus conteúdo. E assim fica fácil manter um histórico de conversas para aquele momento em que a aeromoça manda desligar os equipamentos eletrônicos — quando você puder ligar novamente o notebook, o sinal 3G ou Wi-Fi provavelmente já se perdeu, mas as suas mensagens continuam lá graças ao cache fornecido pelo Google Offline.

Uma vez que foi feito em cima do Gmail para tablets, o Gmail Offline destoa bastante da nova interface que o o Google liberou recentemente para seu serviço de emails. As fontes utilizadas são maiores, e basicamente o que temos são duas colunas. Uma para apresentar as conversações, e outra para exibir as mensagens em si. Acho que não é preciso nada mais do que isso num ambiente em que não tem conexão com a internet (o chat do Gmail, por exemplo, torna-se desnecessário nesse cenário; o mesmo vale para a barra superior, cheia de recursos inacessíveis do Google).

"O mundo de hoje não desacelera e é sempre boa a sensação de ser produtivo a partir de qualquer lugar, a partir de qualquer dispositivo, e a qualquer momento", o Google informa. A empresa ainda diz que o Gmail Offline é uma forma forçar os limites e fronteiras dos navegadores modernos. Pura verdade.

Eu estou usando o Gmail Offline mesmo tendo uma conexão de 10 Mega. Acima de tudo, o que me agrada no aplicativo é a simplicidade ao apresentar as funcionalidades do serviço de email. O foco fica exclusivamente nas mensagens, sem recursos em excesso. Quando preciso de algo mais complexo, é só abrir outra aba no Chrome e acessar a página normal do Gmail.

O Gmail Offline está em estágio Beta. Funciona tanto com o Gmail em si como no webmail baseado em Google Apps, que o Google oferece em uma série de sabores e preços. Na primeira vez que você abrir o web app será necessário dar permissão para que o Gmail Offline salve informações no seu computador (recomendado apenas se o PC for exclusivamente seu).

Download: Gmail Offline (para Chrome)

Uma coisa que não funciona no web app: o arrastar e soltar para incluir imagens no corpo do email. Nem adianta tentar. Uma pena.

O Google promete aplicativos para usar o Docs e o Calendar muito em breve.

Cabe lembrar que o email do Google já teve um modo offline que dependia da tecnologia Gears. Essa tecnologia foi descontinuada porque era proprietária do Google, e a empresa preferiu desenvolver algo com padrões abertos.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Victor Mangia
Uso e recomendo, a Google está de parabéns. http://www.brasmid.com.br
juli
Olá. Tem um contato no meu Gtalk que fica offline, mesmo estando online! E é um único contato que está acontecendo isso. Alguém sabe do que se trata?
Caio Furtado
Demorou hein Google...
Rafael
Pior é concordar com isso quando o único "navegador moderno" que a Google considera é o dela mesma...
Rafael
Ler e-mails sem conexão. (piada pronta)
Rafael
E o anti-malware do Yandex ainda reportou o site aqui pra mim no Opera...
Rafael
Nicholas, todos os navegadores publicam sua documentação mostrando o que funciona e o que não funciona. Você acha que o mesmo funcionário que programa um pedacinho do Chrome também trabalha na equipe do GMail? Eles também se baseiam por suas especificações (WebKit e V8).
Rafael
Beta: ah vamos lançar meio restrito para testes: ~25% do mercado e disponível apenas pela loja de aplicativos deles mesmos... Padrões Web = era para funcionar igual em todos os navegadores que já implementaram o recurso.
Rodrigo
"A empresa ainda diz que o Gmail Offline é uma forma DE forçar os limites e fronteiras dos navegadores modernos." Thássius, faltou o DE antes de forçar. :)
@AndresBRx
Bom, na verdade não funciona muita coisa, como atalhos do teclado. Quando deleta uma mensagem, a nova mensagem é aberta. Prefiro voltar para a Inbox.
Turdin
Pelo que vi ele só salva as mensagens que você ler pelo aplicativo, ou seja, se quiser salvar todas vai ter que ir até a sua ultima mensagem.. Sobre o ccleaner não sei...
@nicholaspufal
Dá uma olhada no suporte CSS3 e HTML5 de cada browser. Claro que tem o lance de puxar brasa pro seu assado, mas também tem muito a questão do suporte que os browsers tem. Mesmo entre browsers com a mesma engine, as vezes tem um delay na implementação correta de certas features. O Opera, por exemplo, é (era pelo menos) um dos únicos a implementar certos atributos do HTML5. Outros ficava apenas legal no Chrome. Natural que eles queiram limitar apenas aos produtos dele, os quais eles tem plena noção do que funciona bem e o que não funciona...
Breno Caldeira
Eu também prefiro matemática :D
Breno Caldeira
Povo encrenqueiro -.-' Igual o caso do Google+ para o iPod/iPad. O recurso ainda é beta, é mais que óbvio a Google lançar o produto meio restrito para testes e facilitar as correções. Quando for lançar para todos lugares, o produto estará melhor lapidado e não precisará sair corrigindo código de cada navegador. Melhor gastar braço corrigindo o treco do que, a cada release, corrigir a versão do IE, FF, Opera e Chrome...
Breno Caldeira
O Google Gears fazia isto, muito bem feito por sinal. O problema, com a chegada do HTML5, a Google preferiu abandonar a ferramenta e investir no HTML5, oras.
Exibir mais comentários