Início » Brasil » Microsoft Brasil lança Office 365 baseado na nuvem

Microsoft Brasil lança Office 365 baseado na nuvem

Datacenter para Office Web está localizado no Brasil.

Avatar Por

Com quase cinco meses de atraso, a segunda leva de lançamentos do Office 365 ocorreu nessa terça-feira. Numa coletiva em São Paulo, a Microsoft anunciou a disponibilidade imediata do produto para usuários corporativos — profissionais, e pequenas e médias empresas — interessados em migrar para a nuvem de Steve Ballmer.

A principal vantagem do Office 365, de acordo com o material fornecido pela companhia, está no pagamento. Em vez de licenças, existe a assinatura mensal com custo por usuário. Para profissionais liberais e pequenas e médias empresas fica na casa dos US$ 6 mensais. Em grandes empresas que optem pelo Office 365 o investimento varia de US$ 2 até US$ 27 mensais por usuário cadastrado.

O Office 365 funciona intimamente com a web. Ele tira proveito do Office Web Apps, os aplicativos do Office como Word e Excel em sua versão para navegadores. Em tese não precisa instalar nada para começar a criar relatórios no processador de texto ou modificar planilhas no software para esse fim.

As grandes empresas que se interessarem pelo serviço ainda poderão contratar a instalação do Microsoft Office Professional Plus (precisa do nome gigantesco?) na estação de trabalho de cada funcionário cadastrado.

Word Web: editor de texto no navegador | Clique para ampliar

Entre os recursos da Microsoft suportados também pelo Office 365 estão o Sharepoint e o Lync, além da tecnologia Exchange para servidores.

Como você pode reparar, os preços do Office 365 anunciados hoje estão em dólares. Questionada sobre o assunto, a Microsoft Brasil se limitou a dizer que pretende oferecer os mesmos serviços em reais, a nossa moeda nacional, em breve.

Também respondendo ao TB a MS informou que tem um datacenter no Brasil para prover o Office 365. Muito bom, pois assim o acesso aos documentos tende a ficar mais rápido do que em servidores localizados nos Estados Unidos ou Europa.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Turdin
Desculpe ser grosso, mas: Cala boca por favor.
Turdin
Show de bola esse Office 365, curti demais!
Claudio
Se a solução roda num datacenter específico não é nuvem e sim hosting!
Vinicius Kinas
Lá na empresa usamos o Office 2003 até hoje. Em algumas máquinas novas que não usam tanto o Office, colocamos o BrOffice pra quebrar um galho.
Vinicius Kinas
@Rodrigo Hoje o Silverlight é basicamente usado para upload de arquivos, e algumas interações com o sistema operacional local que o HTML5 ainda não permite. E assumindo que a MS pretende descontinuar o Silverlight, provavelmente nos veremos livre dele também.
Rodrigo
Nem silverlight? :)
@mamaffezoli
Onde eu assino isso? Pois não achei link para isso em PT-BR!
Almy
Pois é, pessoal acha que todo mundo no mundo usa win pirata, mas empresas serias usam tudo original mesmo, já trabalhei em cuma compania que usavam em pleno 2007, o office 2000, pois era o unico que tinham licença.Se o preço dessas licenças web se confirmar tem tudo pra dar certo no mundo corporativo.Fora a mobilidade de poder acessar os arquivos em qualquer lugar do mundo.
Lucas G.
Todos estão enganados, isso vai pegar e muito! Façam as contas do que as empresas pagam por funcionário para ter uma licença de cada um dos seus produtos, e depois comparem com esses novos preços... Sem contar que as licenças são específicas para os produtos, e não migram para os novos (as versões mais recentes), diferentemente do que ocorreria em relação ao Cloud Office. Ainda, não podemos esquecer que isso é uma boa forma (ao menos na cabeça simplista das Empresas, que pouco conhecimento de causa têm) de se acabar com a diferença de arquivos, que rodam numa versão do word, mas não rodam noutro... Enfim, para nós, que somos assíduos leitores de tecnologia e temos um bom conhecimento para comparar e usar aquilo que melhor nos convém ($$) é diferente, do que realmente ocorre no mundo corporativo. Pensem, portanto, com a cabeça das grandes empresas, e não com as próprias. Assim sendo, acredito que tem tudo para dar certo, havendo uma boa propaganda, e parcerias, isso pode dar muito certo... E não vamos nos esquecer, por fim, que o mundo inteiro ruma ao cloud computing!
Alan Lupatini
Não é tão ruim assim, mas é nessas horas que a gente vê: Google rules.
@Cobalto
Nope. Totalmente Web.
Guilherme Macedo C.
Vai ter algum pré-requisito, como algum componente proprietário que só tenha no Windows, pra poder usar?
Nyappy!
Pago? Isso não vai pegar de jeito nenhum.
Bawlaw
Mais um facilitados para migrar para o Linux
Vinicius Kinas
Microsoft não existe sem nomes de produtos longos, huahuahua. O maior segundo um funcionário da empresa é "Microsoft® WinFX™ Software Development Kit for Microsoft® Pre-Release Windows Operating System Code-Named "Longhorn", Beta 1 Web Setup". 134 caracteres de pura nomenclatura.
Jean
Interessante.
@diegomfelipe
Realmente, esse lado da Microsoft ainda persiste né. Duas coisas que podiam morrer logo, os nomes gigantes e as trezentas versões do mesmo programa como o próprio Windows, que deveria ter duas versões no máximo, a Home e a Pro e só.